PREVIOUS FREE PAGES BLOG

PREVIOUS FREE PAGES BLOG
DIPLOMATIC FREE PAGES - click image

 

What part will your country play in World War III?

By Larry Romanoff, May 27, 2021

The true origins of the two World Wars have been deleted from all our history books and replaced with mythology. Neither War was started (or desired) by Germany, but both at the instigation of a group of European Zionist Jews with the stated intent of the total destruction of Germany. The documentation is overwhelming and the evidence undeniable. (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11)

READ MORE

 https://www.moonofshanghai.com/2021/05/larry-romanoff-what-part-will-your.html

Saturday, July 30, 2016

Português -- ENTREVISTA DO PRESIDENTE VLADIMIR PUTIN AO CANAL TELEVISIVO CBS E PBS - Parte 1





ENTREVISTA DO PRESIDENTE VLADIMIR PUTIN  AO CANAL TELEVISIVO CBS E PBS

Setembro 29, 2015
06:00
Novo-Ogaryovo, Moscow Region


Nota da Tradutora: A seguir menciono a fonte da única transcrição fidedigna. Tudo o que é mostrado nos sites americanos está deturpado, tendencioso e, por vezes, é incompreensível. Foi precisamente por encontrar incongruências e ter pedido a ajuda de um colega russo que vive na Ucrânia, para reproduzir o diálogo falado em russo, que cheguei ao site oficial, que o reproduz integralmente, sem manipular o texto a favor de ninguém.


CHARLIE ROSE: Quero agradecer ter-nos convidado para sua casa, numa ocasião que eu teria descrito como uma bela tarde de domingo russo. Vocês chamam-lhe Old Wives Summer (tradução literal =Verão das Esposas Idosas. Em Portugal chamamos Verão de S. Martinho)Faremos a nossa entrevista, que será transmitida no domingo. No dia seguinte, irá falar nas Nações Unidas num discurso muito esperado. Será a primeira vez que vai estar lá depois de alguns anos. O que vai dizer às Nações Unidas, à América e ao mundo?

VLADIMIR PUTIN: Visto que esta entrevista vai ser divulgada antes do meu discurso, penso não ser razoável entrar em muitos detalhes sobre o que vou falar, mas, em geral, irei mencionar certamente, alguns factos da História das Nações Unidas. Posso dizer-lhe que a decisão de criar as Nações Unidas foi tomada no nosso país, na Conferência de Yalta. Foi na União Soviética que esta decisão foi considerada. A União Soviética e a Rússia, na qualidade do Estado que sucedeu à União Soviética, é um estado membro fundador da Organização das Nações Unidas e um membro permanente do Conselho de Segurança.

Claro que vou ter de proferir algumas palavras sobre os dias de hoje, sobre a evolução da situação internacional, sobre o facto de que as Nações Unidas continuam a ser a única organização internacional universal, elaborada para manter a paz global. E, nesse sentido, hoje não há outra alternativa. Também é evidente que deve adaptar-se a um mundo em constante mudança, que discutimos sempre: como deve evoluir e a que cadência, que componentes devem ser submetidos a mudanças qualitativas. Certamente, terei de utilizar ou melhor dizendo, devo utilizar esta plataforma internacional para explicar a visão da Rússia sobre as relações internacionais de hoje, bem como o futuro desta Organização e da comunidade global.

CHARLIE ROSE: Esperamos que fale sobre a ameaça do Estado Islâmico e da vossa presença na Síria, que está relacionada com essa mesma ameaça. Qual é o propósito da vossa presença na Síria e como se relaciona com o desafio do ISIS?

VLADIMIR PUTIN: Creio, tenho quase a certeza de que, praticamente, todos os que discursarem nas Nações Unidas vão falar sobre a luta, sobre a necessidade de combater o terrorismo e também não posso evitar esse problema. É bastante compreensível, porque é uma advertência grave e um desafio para todos nós. Hoje, o terrorismo ameaça um grande número de estados, um grande número de pessoas - centenas de milhares, milhões de pessoas sofrem devido à actividade criminosa do ISIS. E todos enfrentamos a tarefa de unir os nossos esforços na luta contra este mal comum.
Como diz, no que respeita à nossa presença na Síria, a partir de hoje assumiu a forma de fornecimento de armas ao governo sírio, treino de pessoal e ajuda humanitária ao povo sírio. Agimos em harmonia com a Carta das Nações Unidas, ou seja, em conformidade com os princípios fundamentais do Direito Internacional moderno, segundo os quais, este ou aquele tipo de ajuda, incluindo a assistência militar, pode e deve ser fornecida exclusivamente ao governo legítimo de um ou de outro país, mediante o seu consentimento ou pedido e de acordo com a decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Neste caso particular, intervimos, baseados no pedido do governo sírio para prestarmos assistência militar e técnica, o que fazemos ao abrigo de contratos internacionais completamente legítimos.

CHARLIE ROSE: O Secretário de Estado John Kerry disse que os Estados Unidos se congratulam com vossa ajuda na luta contra o Estado islâmico. Outros tomaram conhecimento do facto de que são aviões de combate e sistemas MANPAD que estão  a ser usados contra o exército convencional e não contra os extremistas.

VLADIMIR PUTIN: Há apenas um exército regular na Síria. É o exército do Presidente sírio al-Assad. E ele está a ser confrontado com o que alguns dos nossos parceiros internacionais interpretam como a existência de uma oposição. Na realidade, o exército de al-Assad está a lutar contra organizações terroristas. Deve saber melhor do que eu sobre as audiências, que acabaram de ter lugar no Senado dos Estados Unidos, onde, se não me engano, os representantes militares e do Pentágono, informaram os senadores sobre o que os Estados Unidos tinham feito para treinar as forças de combate da oposição. O objectivo inicial era treinar entre 5.000 a 6.000 combatentes e, em seguida mais, 12.000. Acontece que apenas 60 destes combatentes foram devidamente treinados e apenas 4 ou 5 pessoas, na verdade, usam as armas, visto que os restantes desertaram, levando o armamento e juntando-se ao ISIS. Esse é o primeiro ponto.
Em segundo lugar, na minha opinião, a prestação de apoio militar a estruturas ilegais é contrária aos princípios do Direito Internacional moderno e à Carta das Nações Unidas. Temos vindo a prestar assistência às únicas entidades governamentais legítimas.
Neste contexto, propusemos aos países da região para cooperarem e estamos a tentar estabelecer algum tipo de estrutura de coordenação. Informei, pessoalmente,  o presidente da Turquia, o rei da Jordânia, bem como a Arábia Saudita; informamos também os Estados Unidos e o Snr. Kerry, que você mencionou, teve uma conversa profunda com o nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, sobre este assunto; além disso, os nossos militares estiverem em contacto e discutiram este assunto. Gostaríamos de dar as boas vindas a uma plataforma comum para estabelecer uma acção colectiva contra os terroristas.

CHARLIE ROSE: Está pronto para unir forças com os Estados Unidos contra o ISIS e é, por essa razão, que está na Síria? Outros acreditam que pode fazer parte do seu objectivo, que está a tentar salvar a administração do presidente al-Assad, porque têm estado a perder terreno e a guerra não correu bem para eles e você está lá para resgatá-los.

VLADIMIR PUTIN: Está correcto, é assim que é. Como já disse duas vezes durante esta entrevista  e posso repetir novamente, prestamos assistência às autoridades sírias legítimas. Além disso, acredito firmemente que, se agíssemos de outra forma, se trabalhássemos para destruir os corpos legítimos do poder, iríamos criar uma situação que estamos hoje a testemunhar  noutros países da região ou noutras regiões do mundo, por exemplo, na Líbia, onde todas instituições do Estado estão completamente desintegradas.
Infelizmente, estamos a assistir a uma situação semelhante no Iraque. Não há outra maneira de resolver o conflito sírio, senão reforçar as autoridades governamentais legítimas existentes, apoiá-las na sua luta contra o terrorismo e, claro, ao mesmo tempo incentivá-las a iniciar um diálogo positivo com a parte "saudável" da oposição e iniciar transformações políticas.

CHARLIE ROSE: Como sabe, alguns parceiros de coaligação querem que al-Assad se retire, para que eles possam apoiar o governo.

VLADIMIR PUTIN: Gostaria de aconselhar ou recomendar-lhes para transmitirem essa sugestão não ao próprio al-Assad, mas sim ao povo sírio. Cabe apenas ao povo sírio, que vive na Síria, determinar quem deve governar o seu país, como e de acordo com que princípios. Qualquer conselho externo desse tipo seria absolutamente inadequado, prejudicial e contra a lei internacional.

CHARLIE ROSE: Já discutimos isso antes, mas pensa que o Presidente al-Assad, que você apoia ... Aprova o que ele está a fazer na Síria e o que está a acontecer aos sírios, aos milhões de refugiados, às centenas de milhares de pessoas que foram mortas - pelas suas próprias forças armadas?

VLADIMIR PUTIN: E você pensa que os que apoiam a oposição armada, estão a fazer a coisa certa,  principalmente, as organizações terroristas apenas com o intuito de derrubar al-Assad sem pensar no que aguarda o país após a destruição completa das instituições e do Estado?
Já testemunhamos esse reultado antes, já mencionei Líbia. Não foi há muito tempo. Os Estados Unidos contribuíram activamente para a destruição dessas instituições estatais. Se eram boas ou más, isso é outra questão. Mas foram destruídas e os Estados Unidos sofreram graves perdas depois, incluindo a morte do seu embaixador. Compreende a que é que isso leva? É precisamente, por essa razão, que prestamos assistência aos órgãos governamentais legítimos, mas - gostaria de salientar novamente - vamos fazê-lo na esperança de que a Síria dê início às transformações políticas necessárias ao povo sírio.
Continuadamente e com perseverança, à falta de melhor expressão, você menciona a luta do exército sírio contra o seu próprio povo. Mas observe os que controlam 60 por cento do território sírio. Onde é que está a oposição civilizada? 60 (sessenta) por cento da Síria é controlada pelo ISIS, pelo Jabhat al-Nusra ou por outras organizações terroristas, as mesmas que foram reconhecidas como organizações terroristas pelos Estados Unidos, bem como por outros países e pela ONU. São elas e mais ninguém, que tem o controlo de 60 por cento do território sírio.

CHARLIE ROSE: Está preocupado com o que pode acontecer depois de al-Assad. Está preocupado com a anarquia e segue com atenção a ameaça do ISIS. São diferentes? São únicos como organização terrorista?

VLADIMIR PUTIN: Tornou-se única porque está a tornar-se global. Estabeleceram um objectivo, que é o de criar um califado no território que se estende desde Portugal até ao Paquistão. Já estão a reivindicar locais islâmicos sagrados como Meca e Medina. As suas acções e actividades estendem-se muito para além das fronteiras dos territórios sob o seu controlo.
Quanto aos refugiados, a Síria não é o único país onde eles têm origem. Quem está a fugir da Líbia? Quem está a fugir dos países da África Central, onde os islamistas estão no comando hoje em dia? Quem está a fugir do Afeganistão e do Iraque? Será que os refugiados chegam apenas da Síria? 
Por que motivo pensa que os refugiados sírios fogem apenas, devido ao resultado das acções do Presidente al-Assad para proteger o seu país? Por que razão não considera que os refugiados fujam das atrocidades dos terroristas, do ISIS, que corta as cabeças às pessoas, que as queima vivas, que as afoga vivas e que destrói monumentos culturais? 
As pessoas também fogem deles, sobretudo, fogem deles. E da guerra - isso é claro. Mas não haveria guerra, se esses grupos terroristas não fossem abastecidos de armas e dinheiro a partir do exterior. 
Parece-me que alguém quer usar certas unidades do ISIS ou o ISIS em geral, a fim de derrubar al-Assad e só então pensarão sobre a melhor maneira de se livrar do ISIS. Esta tarefa é difícil e, na minha opinião, é praticamente impossível.


CHARLIE ROSE: Receia que eles possam vir para a Rússia? Teme que, se o afluxo de refugiados não parar agora,  possam chegar à Rússia, através da Europa ou até mesmo chegar  aos Estados Unidos e, por isso, é que tem de avançar, porque ninguém mais está a fazer o que é necessário para travar e derrotar o ISIS?

VLADIMIR PUTIN: Na verdade, poucos participantes tomam medidas sérias para combater esta ameaça. Poucos tomam medidas eficientes e bem ponderadas. Inteiramo-nos da eficiência das acções dos nossos parceiros americanos, através do relatório do Pentágono, no Senado dos EUA. Para dizer a verdade, a sua competência é baixa. Sabe, não vou falar com ironia sobre este assunto ou acusar ninguém. Propomos cooperar, aconselhamos unir esforços.
Temos receio ou não temos? Não temos nada a temer. Estamos no nosso país e estamos a controlar a situação. Mas fomos submetidos a um caminho muito difícil para combater o terrorismo, o terrorismo internacional, no Cáucaso do Norte. Esse é o ponto número um.
Ponto número dois, é que sabemos com certeza que hoje existem pelo menos 2.000 ou mais de 2.000 militantes na Síria que são da Rússia ou de outras repúblicas soviéticas antigas e, claro, há a ameaça do seu regresso à Rússia.  Por essa razão, é melhor ajudar al-Assad a acabar com eles lá do que esperar que eles regressem à Rússia.

CHARLIE ROSE: Sim, mas você diz que entrou em cena, porque pensa que o trabalho não estava a ser bem feito e escutou o que está a acontecer no Senado americano, atentou nos resultados e disse que a Rússia devia agir.

VLADIMIR PUTIN: Já estamos a agir e sempre funcionamos dessa forma. Temos cooperado com muitos países e continuamos a colaborar, inclusivé com os Estados Unidos. Estamos constantemente a enviar para os nossos colegas, através dos canais de serviços especiais, a informação que é necessária para as forças especiais americanas, a fim de dar o nosso contributo para garantir a estabilidade e a segurança, incluindo a integridade dos cidadãos americanos, tanto nos Estados Unidos como para além do seu território. Mas penso  que hoje,  este nível de coordenação é insuficiente; precisamos de trabalhar mais intimamente uns com os outros.

CHARLIE ROSE: De acordo com a sua opinião, qual é a estratégia que está a recomendar, a não ser apoiar o regime de al-Assad?

VLADIMIR PUTIN: Já disse, devemos ajudar o exército do Presidente al-Assad. E não há mais ninguém no terreno a lutar contra o ISIS, a não ser o exército do Presidente al-Assad. Portanto, quero que você e o seu público, percebam finalmente, que ninguém, excepto o exército de al-Assad está a combater o ISIS ou outras organizações terroristas na Síria, ninguém mais está a defrontá-los em território sírio. Os ataques aéreos de menor importância, incluindo os dos aviões dos Estados Unidos, não resolvem o problema na sua essência; na verdade, não o resolvem de maneira nenhuma. O trabalho deve ser realizado no local depois dessas ataques e deve ser rigorosamente coordenado. Precisamos compreender que ataques é que são necessários, onde precisamos atacar e quem irá avançar no terreno após esses ataques. Na Síria, não há nenhuma outra força, senão o exército de al-Assad.

CHARLIE ROSE: Será que a Rússia enviaría as suas tropas de combate para a Síria, se for necessário derrotar o ISIS?

VLADIMIR PUTIN: A Rússia não vai participar em quaisquer operações no terreno, no território da Síria ou noutros estados; pelo menos, não planeamos fazê-lo, por agora. Mas estamos a pensar em intensificar o nosso trabalho, tanto com o presidente al-Assad, como com os nossos parceiros de outros países.

CHARLIE ROSE:  O que é que quer dizer com isso?

VLADIMIR PUTIN: Significa que as nossas forças armadas não vão participar directamente nas hostilidades e não vão combater. Vamos apoiar o exército de al-Assad ...

CHARLIE ROSE:  Quer significar que vai apoiar com ataques aéreos?

VLADIMIR PUTIN: Quero referir guerra, operações de combate no território, unidades motorizadas e de infantaria.

CHARLIE ROSE: Que mais será necessário? Como voltamos ao problema de muitas pessoas considerarem que al-Assad está a ajudar o ISIS, é uma atitude terrível em relação ao povo sírio, ao uso de bombas de barril e a outras acções que estão a ajudar o ISIS. Se al-Assad for removido, o período de transição poderia ser melhor, até certo ponto, para o objectivo de combater o ISIS.

VLADIMIR PUTIN: Na linguagem dos serviços secretos, posso dizer que essa avaliação é um acto flagrante dos inimigos al-Assad. É propaganda anti-síria, não há nada em comum entre al-Assad e o ISIS, eles lutam uns contra os outros. E repito mais uma vez que o Presidente al-Assad e o seu exército, são a única força que realmente luta contra o ISIS.

CHARLIE ROSE: Mas houve relatos anteriores a dizer que se estava a preparar para lhes dar apoio e que o que queria ver era uma transição política negociada.

VLADIMIR PUTIN: Pensamos que as questões de natureza política devem ser resolvidas em qualquer país, inclusive na Síria, principalmente pelo seu povo - neste caso, pelo próprio povo sírio. Mas estamos prontos para prestar assistência, tanto às autoridades sírias como à oposição saudável, para encontrarem alguns pontos de contacto e chegar a um acordo sobre o futuro político do seu país. É com este objectivo que temos organizado uma série de reuniões entre os representantes da oposição e do governo de al-Assad, em Moscovo. Participámos na Conferência de Genebra, sobre este assunto. Estamos prontos para continuar a trabalhar nesse sentido, pressionando as partes, as autoridades oficiais e os líderes da oposição, para concordarem uns com os outros, exclusivamente através de meios pacíficos.

CHARLIE ROSE: O Washington Post escreveu hoje: "Na ausência da liderança americana, o Presidente russo, Vladimir Putin, avançou e enviou tropas e equipamentos para a Síria, num esforço para forçar o mundo a aceitar a sua solução para a guerra, que é a criação de uma nova coligação para lutar contra o Estado Islâmico que inclua o governo de Assad ". É interessante que eles digam que você avançou devido ao vazio da liderança americana. Isto é o que The Washington Post escreve.

VLADIMIR PUTIN: Não estamos a avançar devido à ausência da liderança americana, estamos a tentar impedir a criação de um vazio de poder na Síria, em geral, porque, logo que são são destruídas as autoridades de um governo, num Estado e num país, instala-se um vazio de poder e esse mesmo vazio é rapidamente preenchido pelos terroristas. Foi o que aconteceu  na Líbia e no Iraque; foi este caso que ocorreu noutros países. O mesmo está a acontecer na Somália e verificou-se o mesmo no Afeganistão. E não está em jogo desafiar a liderança americana.

CHARLIE ROSE: Bem, um vazio é um problema. Parece que está um pouco irritado com um ponto: está a dizer que o ADN da Rússia, é um governo forte e centralizado e tem um receio enorme que não haja um governo forte na Síria e noutros países, que haja alguma espécie de anarquia.

VLADIMIR PUTIN: Não estou a dizer que não há um governo forte na Síria. Quero dizer que, se não houver nenhum governo, haverá anarquia e um vazio, e que esse vazio e essa anarquia iriam evoluir rapidamente em terrorismo.
Por exemplo, no Iraque, havia uma pessoa famosa, Saddam Hussein, que era bom ou mau. Foi numa certa fase (que pode ter esquecido, não é verdade?) e os Estados Unidos colaboraramm activamente com Saddam quando ele estava em guerra com o Irão: foram fornecidas armas, apoio diplomático e político, etc. A seguir, por algum motivo os EUA afastaram-se dele e decidiram eliminá-lo. Mas quando Saddam Hussein foi descartado, a soberania do Iraque e milhares de pessoas do antigo partido Baath, também foram excluídas. Milhares de soldados do Iraque, que faziam parte da elite sunita do Estado, viram-se atirados para a rua. Ninguém pensou neles e hoje esses mesmos soldados estão integrados no exército do ISIS. É contra esse facto que nos opomos.
Não somos contra um país que exerce qualquer tipo de liderança, em qualquer parte, somos contra acções impensadas que conduzem a essas situações negativas que são difíceis de corrigir.

CHARLIE ROSE: Como sabe, Soleimani, o Representante Geral do Irão, visitou Moscovo recentemente. Que papel é que ele, bem como as forças curdas desempenham na Síria? E o que precisa ser feito a este respeito?

VLADIMIR PUTIN: Como já disse, penso que todos os países da região devem unir esforços na luta contra uma ameaça comum - o terrorismo em geral e o ISIS em particular. Também diz respeito ao Irão, à Arábia Saudita (embora os dois países não se dêem muito bem, o ISIS ameaça ambos), ao Jordão, à Turquia (apesar de certos problemas relativos à questão curda), e, em minha opinião, todos estão interessados em resolver a situação. A nossa tarefa é organizar esses esforços para lutar contra um inimigo comum.

CHARLIE ROSE: Esta formulação é muito ampla, entre outras coisas. Pode manifestar os novos esforços da Rússia para assumir o papel de liderança no Médio Oriente e pode refectir a sua nova estratégia. É realmente uma táctica nova?

VLADIMIR PUTIN: Não, já mencionamos a razão por que apoiamos o governo de al-Assad e pensamos sobre as perspectivas da situação na região.
Já o referi, você perguntou e eu respondi. Há mais de 2.000 militantes na Síria da antiga União Soviética. Então, em vez de esperamos que eles regressem, devemos ajudar o Presidente al-Assad a combatê-los na Síria. Este é o principal incentivo que nos motiva a ajudar o Presidente al-Assad.
De um modo geral, é obvio que não queremos que a situação se torne semelhante à da região da Somália, não queremos ter novas Somálias lá, porque está tudo nas imediações das nossas fronteiras; queremos desenvolver relações normais com estes países. Temos estado tradicionalmente e quero enfatizar  a palavra tradicionalmente, em termos muito amistosos com o Médio Oriente. Esperamos continuar desta forma, no futuro.

CHARLIE ROSE: Está orgulhoso da Rússia, o que significa que deseja que a Rússia desempenhe um papel mais importante no mundo. É apenas um dos exemplos.

VLADIMIR PUTIN: Não é um fim em si mesmo. Estou orgulhoso da Rússia e tenho a certeza que a maioria dos cidadãos russos têm um grande amor e respeito pela sua Pátria. Temos muito do que nos orgulhar: a cultura e a História da Rússia. Temos todas as razões para acreditar no futuro do nosso país. Mas não temos a obsessão de que a Rússia seja uma super potência na comunidade internacional. A única coisa que fazemos é proteger os nossos interesses vitais.

CHARLIE ROSE: Mas é uma grande potência devido às armas nucleares que possui. São uma força a ser reconhecida.

VLADIMIR PUTIN: Espero que sim (risos). Caso contrário, para que são essas armas? Partimos do pressuposto de que as armas nucleares e outras armas, são meios para proteger a nossa soberania e os nossos legítimos interesses. Não são meios para nos comportarmos de forma agressiva ou para cumprir algumas ambições imperiais inexistentes.

CHARLIE ROSE: Quando estiver em Nova York,vai solicitar uma reunião com o presidente Obama?

VLADIMIR PUTIN: A reuniões deste tipo são organizadas com antecedência. Sei que durante estes acontecimentos cada segundo e muito menos os minutos, do dia do presidente Obama estão programados. Há muitas delegações de todo o mundo, por isso ...

CHARLIE ROSE: Pensa que ele não terá um minuto disponível para se reunir com o Presidente da Rússia?

VLADIMIR PUTIN: Bem, ele é que terá de decidir. Estamos sempre abertos a contactos de qualquer tipo: ao mais alto nível, ao nível dos ministérios e dos departamentos governamentais, ao nível dos serviços especiais, se for necessário. Mas ficaria lisonjeado se o presidente Obama tivesse alguns minutos para uma reunião e claro que depois, apreciaria essa reunião. Se por algum motivo, não lhe for possível, não importa. Teremos oportunidade de falar durante a Cimeira do G20, ou noutros eventos.

CHARLIE ROSE: Sabe, se gostasse de ver o Presidente, poderia dizer: "Tenho um plano para a Síria, vamos trabalhar juntos. Vamos ver o que podemos fazer. Não vamos trabalhar juntos apenas sobre a Síria, vamos ver o que podemos fazer sobre outros assuntos."

VLADIMIR PUTIN: De facto são questões difíceis; podem ser finalizadas apenas a nível superior entre os Presidentes, mas antes destes preparativos, há necessidade de haver consultas preliminares entre os Ministros dos Negócios Estrangeiros, os Ministros de Defesa e os serviços especiais. O que significa muito trabalho e se essa tarefa estiver pronta para ser concluída, então faz sentido que nos reunamos e que o completemos. Se os nossos colegas ainda não chegaram à etapa final, o Presidente Obama e eu, podemos reunir-nos, dar um aperto de mão e discutir assuntos actuais, nós - e eu pessoalmente - estamos sempre preparados para tais contactos.

CHARLIE ROSE: Mas estamos a falar de liderança e se vai lá para fazer um grande discurso, deseja que o Presidente dos Estados Unidos esteja totalmente disposto a apoiá-lo, tanto quanto possa. Logo que pegar no telefone, ligar-lhe e disser ... O mesmo que fez depois da nossa conversa em São Petersburgo, em que ligou ao Presidente. Você disse: "Vamos ter a certeza de que nos reunimos e discutimos alguns assuntos. As questões que são muito críticas e dois podem fazer melhor do que, apenas, um de nós ".

VLADIMIR PUTIN: Sim, fiz isso, liguei ao Presidente Obama e o Presidente Obama telefonou-me sobre vários assuntos. Faz parte dos nossos contactos regulares, não há nada de anormal ou de extraordinário nisso. Deixe-me repetir mais uma vez: de um modo geral, as reuniões pessoais são preparadas pelas nossas equipas. Digo-lhe, pela terceira vez que estamos prontos, mas não nos cabe decidir. Se os americanos quiserem reunir-se connosco, fá-lo-emos.

CHARLIE ROSE: A sua necessidade de estar preparado não é nenhuma, porque lida com estas questões todos os dias. Não precisa de nenhuma preparação para ver o Presidente dos Estados Unidos, e ele também não. O que está a sugerir é uma insignificância diplomática. Mas estou a escutá-lo; está preparado para se encontrar com ele.

VLADIMIR PUTIN: Há quanto tempo é jornalista?

CHARLIE ROSE: Há mais anos do que quero recordar.

VLADIMIR PUTIN: É difícil para mim aconselhá-lo sobre o que está preparado ou não está. Por que pensa que me pode aconselhar sobre se estou ou não capacitado, porque este não é o meu primeiro mandato como presidente? Mas este ponto não é o mais importante. O que é mais importante é que a Rússia - o Presidente da Rússia, o seu Governo e todos os meus colegas – estamos todos habilitados para ter estes contactos ao mais alto nível, ao nível dos governos, dos ministérios e dos departamentos governamentais.  Estamos qualificados para ir tão longe quanto os nossos parceiros americanos. Secundariamente, a plataforma da ONU foi criada precisamente com esta finalidade, para conseguir um compromisso, para cada país comunicar um com o outro. Portanto, vai ser óptimo, se usarmos esta plataforma.

CHARLIE ROSE: O que pensa do Presidente Obama? Como avalia o seu desempenho?

VLADIMIR PUTIN: Não considero ter o direito de avaliar o Presidente dos Estados Unidos. Isso diz respeito ao povo americano. Temos um bom relacionamento pessoal com o Presidente Obama, as nossas relações são bastante francas, sistemáticas e práticas. E isso é o bastante para fazermos o nosso trabalho.

CHARLIE ROSE: Você presume que as actividades dele em assuntos externos reflectem uma fraqueza?

VLADIMIR PUTIN: Por quê? Não penso assim, de maneira nenhuma. O cerne da questão é que em qualquer país, incluindo nos Estados Unidos - talvez nos Estados Unidos ainda mais do que em qualquer outro país - a política externa é usada para a luta da política interna. Em breve começará nos Estados Unidos uma campanha eleitoral. Eles jogam sempre a cartada russa ou qualquer outra, os opositores políticos levantam acusações contra o actual Chefe de Estado e aqui há muitas frentes de ataque, incluindo acusações de incompetência, fraqueza ou qualquer outra coisa. Não penso assim e não vou imiscuir-me  nas disputas políticas internas da América.

CHARLIE ROSE: Deixe fazer-lhe uma pergunta: Pensa que ele o escuta? 

VLADIMIR PUTIN: Creio que nos escutamos mutuamente, quando não há contradição das nossas idéias sobre o que devemos ou não devemos fazer. Mas, em qualquer caso, há diálogo e escutamo-nos um ao outro.

CHARLIE ROSE: Você disse que a Rússia não é uma super potência. Supõe que ele considera a Rússia uma nação igual? Que o considera a si um igual? Que essa é a maneira como gostaria de ser tratado?

VLADIMIR PUTIN: (Rindo) Pergunte-lhe, ele é o seu presidente! Como posso saber o que ele pensa? Repito, temos relações interpessoais par-a-par, respeitamo-nos mutuamente e, em qualquer caso, temos contactos de negociações a um nível de trabalho bastante bom. E o que pensa o Presidente norte-americano, o Presidente francês, a Chanceler alemã, o Primeiro Ministro japonês ou o Chefe do Conselho de Estado ou o Presidente chinês, como é que sei?
Não julgamos pelo que nos parece, mas pelo que as pessoas fazem.

CHARLIE ROSE: Claro. Aprecia o seu trabalho,  gosta de representar a Rússia e sei que foi um agente dos serviços secretos. Os agentes dos serviços secretos sabem ler as outras pessoas; faz parte do seu trabalho, não é assim?

VLADIMIR PUTIN: Era a minha profissão. Agora tenho uma actividade diferente já há algum tempo.
.
CHARLIE ROSE: Alguém, na Russia, disse-me: “Não existe um antigo agente da KGB. Uma vez que seja um agente da KGB, será sempre um agente da KGB.”

VLADIMIR PUTIN: Sabe, todas as fases da sua vida tem um impacto em você. Tudo o que fazemos, todo o conhecimento e experiência adquirida, ficam connosco e usamo-los de uma forma ou de outra. Nesse sentido, sim, você está correcto.

CHARLIE ROSE: Uma vez, alguém da CIA disse-me que o treino que tem é importante, que também aprende a ser apreciado. Porque você tem de cativar as pessoas, tem de seduzí-las.

VLADIMIR PUTIN: Bem, se a CIA disse isso, então deve ser verdade. Eles são especialistas nesse assunto. (Rindo)


CHARLIE ROSE: Entretanto,pense em voz alta para mim, porque é importante. Como é que os Estados Unidos e a Rússia podem cooperar no interesse de um mundo melhor? Pense em voz alta.

VLADIMIR PUTIN: Estamos sempre a pensar nisso. Hoje, um dos nossos objectivos, uma das áreas da nossa cooperação que é extremamente importante para muitas pessoas, para milhões de pessoas no nosso planeta – é juntar esforços na luta contra o terrorismo e contra outros desafios semelhantes: conter o tráfico de drogas, a proliferação de armamento de destruição maciça, a luta contra a fome, a preservação do meio ambiente e da biodiversidade, fazer esforços para tornar o mundo mais previsível, mais estável. E finalmente, a Rússia...

CHARLIE ROSE: Estável onde?

VLADIMIR PUTIN: Em toda a parte, em todas as regiões do mundo. Pois, como você mesmo disse, a Rússia e os Estados Unidos são as maiores potências nucleares. Isso dá-nos uma responsabilidade acrescida muito especial. A propósito, conseguimos trabalhar juntos em certos campos, particularmente ao resolver o assunto do programa nuclear iraniano. Empenhamo-nos conjuntamente  e alcançamos resultados positivos na totalidade.

CHARLIE ROSE: Como é que funcionou? O Presidente Obama agradeceu várias vezes a ajuda que deu para alcançar o acordo final. O que fez? De que modo contribuiram os seus diplomatas? E o seu Ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergey Lavrov?

VLADIMIR PUTINBem, por mais estranho que pareça, por vezes, os interesses dos Estados Unidos e da Rússia coincidem. E, neste caso, quando referi que temos uma responsabilidade especial sobre a não-proliferação de armas de destruição maciça nesta área, claro que os nossos interesses coincidem. Por isso, é que, juntamente com os Estados Unidos,  trabalhamos dura e intensivamente para resolver este problema. Mas a Rússia foi orientada não só por estas considerações, mas também pelo facto do Irão ser nosso vizinho, nosso parceiro tradicional e queremos que a situação fique normalizada. Acreditamos que este acordo irá melhorar a situação da segurança no Médio Oriente. A este respeito, a nossa avaliação do programa nuclear do Irão coincide, praticamente, com a avaliação feita pelos nossos colegas americanos.

CHARLIE ROSE: Como sabe, provavelmente, os republicanos irão ganhar as eleições. Há um grande debate a respeito do acordo nuclear do Irão. O que lhes diria?

VLADIMIR PUTIN: Já o referi antes. Se quer que o repita, fá-lo-ei. Estou confiante que o acordo que conseguimos vai de encontro aos interesses da segurança internacional e fortalece a situação na região. Coloca sérios entraves à  proliferação de armas nucleares, porque a situação está sobre pleno controlo da AIEA  e melhora a situação no Médio Oriente em geral, pois permite construir relações de negócios, de parcerias comerciais e políticas normais,  com todos os países da região.

CHARLIE ROSE: O índice de popularidade que tem na Rússia fará com que qualquer político do mundo o inveje. Por que é que é tão popular?

VLADIMIR PUTIN: Há algo que une a mim e a todos os cidadãos da Rússia - o amor à nossa Pátria.

CHARLIE ROSE: Foi um momento de emoção, na ocasião do dia da Recordação da Segunda Guerra Mundial devido aos sacrifícios que a Rússia fez. E você estava com uma foto do seu pai e com lágrimas nos olhos.

VLADIMIR PUTIN: Sim, a minha família e todos os meus parentes sofreram graves perdas durante a Segunda Guerra Mundial. É verdade. Na família de meu pai, havia cinco irmãos e quatro deles morreram. Do lado da minha mãe a situação é praticamente a mesma. De um modo geral, a Rússia sofreu grandes perdas. E, sem dúvida, não podemos nem devemos esquecê-los. Não para culpar nínguém, mas para assegurar que algo semelhante não aconteça, de novo, no futuro. De facto, tratamos os veteranos com muito respeito e incluímos os veteranos americanos. Estiveram presentes no Dia da Parada da Vitória, em 9 de Maio deste ano. Recordamos os sacrifícios feitos por outros países aliados como a Grã-Bretanha e a China. Nós recordamo-los. Acredito que é a nossa memória positiva comum. A nossa luta conjunta contra o nazismo será uma boa base para superar os desafios que enfrentamos hoje.

CHARLIE ROSE: É isso o que você deseja reavivar, um sentido de parceria com a América contra inimigos comuns?

VLADIMIR PUTIN: Bem, não contra inimigos comuns, mas  com interesses mútuos.

CHARLIE ROSE: Tanto quanto sabemos, você é muito popular, mas desculpe,  há muitas pessoas que são muito críticas em relação à Rússia, como  sabe. Dizem que é mais autocrática e menos democrática. Dizem que houve opositores políticos e jornalistas que foram mortos e presos na Rússia. Dizem que o seu poder não pode ser contestado e que o poder e o poder absoluto corrompem completamente. O que diria a essas pessoas que se preocupam com o clima político, com a atmosfera política da Rússia?

VLADIMIR PUTIN: Bem, não pode haver democracia sem cumprir a lei. E todos devem cumprí-la. É o princípio mais fundamental e importante que devemos ter em mente.
Quanto a esses acontecimentos trágicos, como perdas de vida, incluindo a vida de journalistas, infelizmente, ocorrem em todos os países do mundo. Mas se acontecer na Rússia, faremos o máximo para encontrar os criminosos, identificá-los e puní-los. Trabalharemos nesses assuntos da mesma maneira. Mas o mais importante é que continuemos a melhorar o nosso sistema político para que as pessoas e todos os cidadãos sintam que podem influenciar a vida do Estado e da sociedade, que podem influenciar as autoridades e que essas mesmas autoridades estejam conscientes das suas responsabilidades perante as pessoas  que confiaram nelas durante as campanhas eleitorais.

CHARLIE ROSE: Se você, na qualidade de líder deste país, insistir para que a Lei seja respeitada, para que a justiça seja feita, se devido ao seu poder o fizer, então  poderá ser bem sucedido a eliminar essa percepção.

VLADIMIR PUTIN: De facto, muito pode ainda ser feito, mas nem todos alcançam um êxito imediato em tudo.Quanto tempo demorou o processo democrático a desenvolver-se nos Estados Unidos desde que foi fundado? Você crê que, actualmente, tudo está estabelecido nos Estados Unidos? Se fosse assim, não haveria nenhum problema em Ferguson, certo? Não haveria outros problemas de natureza semelhante. Não haveria abuso da parte da polícia. Mas o nosso objectivo é ver todos esses problemas e reagir adequadamente, na ocasião apropriada. O mesmo aplica-se à Rússia – Também temos muitos problemas.

CHARLIE ROSE: Então as pessoas que mataram Nemtsov serão perseguidas ao máximo? 

VLADIMIR PUTIN: Eu disse imediatamente que é um capítulo vergonhoso da nossa História Contemporânea e que os criminosos têm de ser encontrados, identificados e punidos. Provavelmente não pode ser feito num segundo. E apesar desta investigação ter demorado muito tempo, finalmente vai ser concluída.

CHARLIE ROSE: Você sabe que eu admiro muito a Rússia, a cultura, a literatura e a música da Rússia. É um país muito extenso, um país enorme. Muitas pessoas, incluindo Stalin, disseram que a Rússia precisa de uma figura de autoridade forte. Eles veneram o que Stalin disse sobre esse tipo de figura. Stalin estava certo?

VLADIMIR PUTIN: Não, não me recordo que ele o tenha dito, por isso não posso confirmar essa citação. A Rússia, como qualquer outro país não precisa de ditadores, mas precisa de princípios equitativos para organizar o Estado e a sociedade: princípios justos, eficientes e flexíveis para responder às mudanças dentro e fora do país – isso é o que a Rússia necessita. 

CHARLIE ROSE: Mas neste país, há uma tradição de liderança forte.

VLADIMIR PUTIN: Veja, há uma democracia parlamentar na maioria dos países europeus. Há também uma democracia parlamentar no Japão e noutros países, mas nos Estados Unidos, por alguma razão, o Estado é organizado de maneira diferente. Há uma república presidencial muito rígida. Cada país tem características próprias e especiais, tem tradições que se reflectem hoje e irão reflectir-se no futuro. Também temos essas tradições na Rússia, mas não é uma questão de uma figura forte, embora uma personalidade forte seja necessária na liderança, mas é uma questão de ver o que está implícito nesse termo. É uma coisa, se for uma pessoa com tendências ditatoriais. Mas, é um assunto completamente diferente, se for um líder justo, que aje dentro da lei e nos interesses da vasta maioria da sociedade, que actua com coerência e é guiado por princípios.

CHARLIE ROSE: Como sabe, alguns apelidaram-no de czar.

VLADIMIR PUTIN: Bem, e daí? Você sabe, chamam-me nomes diferentes, sabe o que eles dizem na Rússia...

CHARLIE ROSE: Bem, esse nome ajusta-se a si?

VLADIMIR PUTIN: Não, não se encaixa. Sabe o que dizem na Rússia? ’Palavras abusivas não causam dano físico a ninguém’.
Não é importante o que os seus simpatizantes, amigos ou adversários políticos lhe chamam. O que é importante é o que pensa que deve fazer pelos interesses do país que lhe confiou tal posição, tal cargo como Chefe de Estado russo.

CHARLIE ROSE: Há pessoas na Rússia que têm medo de si?

VLADIMIR PUTIN: Penso que não.

CHARLIE ROSE: Fim da Parte 1 da minha entrevista de duas partes com o presidente Putin, da Rússia.


Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos
Email: luisavasconcellos2012@gmail.com

No comments:

Post a Comment

Note: Only a member of this blog may post a comment.

ROMANOFF INTERVIEW

ARRIVING IN CHINA

Ver a imagem de origem


APPEAL TO THE LEADERS OF THE NINE NUCLEAR WEAPONS’ STATES

(China, France, India, Israel, North Korea, Pakistan, Russia, the United Kingdom and the United States)

中文 DEUTSCH ENGLISH FRANÇAIS ITALIAN PORTUGUESE RUSSIAN SPANISH ROMÂNA

LARRY ROMANOFF on CORONAVIRUS

Read more at Moon of Shanghai

World Intellectual Property Day (or Happy Birthday WIPO) - Spruson ...


Moon of Shanghai

MOON OF SHANGHAI

MOON OF SHANGHAI
Click image

Larry Romanoff,

contributing author

to Cynthia McKinney's new COVID-19 anthology

'When China Sneezes’

When China Sneezes: From the Coronavirus Lockdown to the Global Politico-Economic Crisis

MANLIO

President of Russia Vladimir Putin:

Address to the Nation

Address to the Nation.


J. Bacque

coronavirus in Russia


Imagem

PT -- VLADIMIR PUTIN na Sessão plenária do Fórum Económico Oriental

Excertos da transcrição da sessão plenária do Fórum Económico Oriental


Joint news conference following a Normandy format summit

https://tributetoapresident.blogspot.com/2019/12/joint-news-conference-following.html

Joint news conference following the Normandy format summit.

ÍNDICE


“Copyright Zambon Editore”

PORTUGUÊS

GUERRA NUCLEAR: O DIA ANTERIOR

De Hiroshima até hoje: Quem e como nos conduzem à catástrofe

ÍNDICE

THE PUTIN INTERVIEWS


The Putin Interviews
by Oliver Stone (
FULL VIDEOS) EN/RU/SP/FR/IT/CH


http://tributetoapresident.blogspot.com/2018/07/the-putin-interviews-by-oliver-stone.html


FOX NEWS

TRIBUTE TO A PRESIDENT


NA PRMEIRA PESSOA

Um auto retrato surpreendentemente sincero do Presidente da Rússia, Vladimir Putin

CONTEÚDO

Prefácio

Personagens Principais em 'Na Primeira Pessoa'

Parte Um: O Filho

Parte Dois: O Estudante

Parte Três: O Estudante Universitário

Parte Quatro: O Jovem especialista

Parte Cinco: O Espia

Parte Seis: O Democrata

Parte Sete: O Burocrata

Parte Oito: O Homem de Família

Parte Nove: O Político

Apêndice: A Rússia na Viragem do Milénio


MANLIO DINUCCI -- NO WAR NO NATO

putin

Açores


Subtitled in EN/PT

Click upon the small wheel at the right side of the video and choose your language.


URGENT IMPORTANT -- FINANCIAL ASSISTANCE NEEDED FOR A YOUNG BOY 14 Y OLD WITH BRAIN CANCER

Dear Friends,

I have never asked any money/donations for myself in my blogs (400) but this is an exceptional emergency. Please help the best you can to assist Isabelle, our French Coordinator, to alleviate as much as possible her step son's health condition.



You can donate through Kees De Graaff

Type your recurring amount here:


PayPal


The email address connected with Kees Paypal account is keesdegraaff@gmail.com

Many thanks from the heart to all of you.



PUTIN FRENCH



2017 FSB Meeting - RO from Roberto Petitpas on Vimeo.

BOTH VIDEOS AVAILABLE IN ENGLISH,FRENCH, ROMANIAN, PORTUGUESE

PRESIDENT





Labels

: ARTICLES 'Epica della guerra di liberazione' "Flying Syringes" “Full Spectrum Dominance” "L'INSPIEGABILE COVID-19" "O plano dos judeus khazarianos para um Governo Mundial Único" “PROPAGANDA "Restabelecer factos distorcidos" "Restoring distorted facts" “The Khazar Jews’ Plan for a One-World Government” “可萨犹太人的计划一个世界政府” « Rétablir des faits distordus » «DICHIARAZIONE DI FIRENZE» 1961 1961 SPEECH 21st Century Wire 2AFRICA 4 Novembre 5G 5G Technology 6ª coluna 6th Column 7 APRIL 70 GODINA NATO-a: KONTINUIRANI RAT 9/11 911 A “Leap” toward Humanity’s Destruction A Arte da Guerra A BRAMERTON A GRANDEZA DE UMA NAÇÃO A GUERRA NUCLEAR A História das Invenções Chinesas A Litany of Pharma Crimes A Message from Larry Romanoff A new kind of Tiranny A SAMPLE OF THE E-BOOK A. Orlov A.C. Abayomi Azikiwe ABIZAID ABOGADOS ABOGADOS PROGRESISTAS DE ESPAÑA ABOUT TRUMP Abu Bakr al Baghdadi ABU GHRAIB Acción secreta Açores activism Adam GArrie ADL ADN CHINÊS Afeganistão Afeghanistan Afghanistan Africa AIDS Ajamu Baraka AL-ASSAD AL-HUSAINI Alberto Bradanini Aleksandar PAVIC Alemanha ALENA Alessandropoli alex gorka Alex Lantier Alex Rubinstein Alexander Azadgan ALEXANDER COCKBURN ALEXANDER DUGIN ALEXANDER KUZNETSOV Alexandra Bruce Alexandre Artamonov Alexandre Cazes ALEXIS Alfred McCoy ALLARME PER LA CRESCENTE TENSIONE INTERNAZIONALE Allied Spirit Allies Ambasciatore della Lettonia AMBASSADRICE DE LETONNIE Ambrose Evans-Pritchard AMÉRICA America's Bio-Weapons Status AMERICA'S WHITE SLAVERY AMERICAN EXCEPTIONALISM AMERICAN HEALTHCARE American Infiltration AMLO an Greenhalgh Ana de Sousa Dias ANA SOUSA DIAS ANASTASOV Anatol Lieven Andre Vltchek ANDREI AKULOV Andrew Griffin Andrew Korybko Andrew P. Napolitano Andrey Afanasyev Anglozionists animals Ann Diener Ann Wright Anna Hunt ANNA KURBATOVA Anna Von Reitz Anne Speckhard Ph. D. Anne Speckhard PH. D ANONYMOUS PATRIOTS Anti-Media News Desk ANTI-MONOPOLY POLICIES António Guterres Antony C. Black ap APEC APEL CONDUCATORILOR CELOR NOUA STATE DETINATOARE DE ARME NUCLEARE APELA A LOS LÍDERES DE LOS NUEVE ESTADOS CON ARMAS NUCLEARES APELO AOS DIRIGENTES DOS NOVE ESTADOS DETENTORES DE ARMAS NUCLEARES APPEAL TO THE LEADERS APPEL AUX DIRIGEANTS APPELLO AI LEADER DEI NOVE STATI APRIL 7 Arab NATO aRABIC Arabische NAVO ARAM MIRZAEI Argentina Ariel Noyola Rodríguez ARJUN WALIA Armas Nucleares ARMENIAN ARMES NUCLÉAIRES armi atomiche ARMI NUCLEARI arrested ARROZ DORADO ARTICLES Asaf Durakovic Asia Asma Assad ASMOLOV ASSANGE assassination At the helm: 20 years ago Atomic bomb Atomic Bombs AUDIO INTERVIEW AUKUS Australia Automóveis Eléctricos AUTOPSY Avelino Rodrigues Aviano AVNERY B61 B61-12 B61-12 Bomb Background BAKER balfour BAN ALL NUCLEAR WEAPONS bankers BANQUEROS EUROPEUS JUDÍOS BAOFU barcelona Barrett Brown Bash China Bashar al-Assad Basi americane Baxter Dmitry BECKER Before it's News BEGLEY Bell & Edison Belmarsh Prison Belshmare BEM NACIONAL BENJAMIN H. FREEDMAN BERGER Berlin Conference BERNAYS AND PROPAGANDA BERUTE BILDERBERG 2019 BILL GATES BILL SARDI Binoy Kampmark BIO WAR BIO WARFARE Bio-chemical Warfare BIOLOGICAL WARFARE Biological Weapon BIOLOGICAL WEAPONS Biotechnology and GMO Bioweapons Birth of America Bloqueios de Informação Body Systems BOER WARS BOGDANOV bolsa Bonnie Faulkner books about war Boris Johnson Brazilian BRENNAN Brexit BRIAN CLOUGHLEY BRICS briefing Bruce Cagnon Bruce Gagnon BULGARIAN Bulletin of The Atomic Scientists Bush family BUTLER By Jack Heart & Orage By Prof Michel Chossudovsky CABRAS Caitlin Johnstone CAMP DARBY CAMPOS DE CONCENTRAÇAO Canada’s Tainted Blood Canadian Red Cross cancer CAPITALISM capitalismo CAPÍTULO 10 CAPÍTULO 11 CAPÍTULO 8 CAPÍTULO 9 CAPÍTULO SETE Captagon CAPTAIN AMERICA Carey Wedler Carla Stea CAROL ADL CARTA ABERTA CARTALUCCI Casques Blancs CASTELLANO CATALUNHA Catherine Austin Fitts CATHY O'BRIEN cats cavaquismo CDC CEI 70 DE ANI AI NATO: DIN RAZBOI ÎN RAZBOI CFO of Huawei Change of Venue Chapter 2 CHAPTER 3 CHAPTER 4 CHAPTER TEN Chelsea Manning CHEMICAL WEAPONS CHEMICHAL WEAPONS Chi sono gli incendiari di petroliere CHIESA CHINA China reseeded China's 1959 Famine China's Hongersnood 1959 China's Summer Palace Chine Chineese feel home better CHINESE CHINESE UNIVERSITY SYSTEM Chinese Embassy Chinese Embassy in France CHINESE UNIVERSITY SYSTEM Choice and Truth Chossudovsky Chris Cole CHRIS HEDGES Christchurch Christian Far Right Christopher Black CIA CIA Project MK-ULTRA CIDADES MAIS SEGURAS DO MUNDO CIMEIRA DE VARSÓVIA CINA CITIBANK civilian repression Claire Bernish Clima CLIMATE CHANGE clinton CNN COCA COLA Coca-Cola Collective Evolution colonialismo coloured revolutions. elections meddling COMBOIOS DE ALTA VELOCIDADE Comitato No Guerra No Nato COMMENTS Como os EUA se Tornaram Ricos COMUNICATO/APPELLO Comunidad Saker Latinoamérica Condolences from the President of the Russian Federation CONVEGNO INTERNAZIONALE CONVEGNO INTERNAZIONALE PER IL 70° DELLA NATO CONVENÇÃO INTERNACIONAL DO 70º ANIVERSÁRIO DA NATO CONVENȚIA INTERNAȚIONALĂ PENTRU A 70-A ANIVERSARE A NATO-ULUI CONVERSATIONS WITH PUTIN COOK Cooper Union University coordinamento COPPA DEL MONDO coranavirus COREIA DO NORTE Corey Feldman corona virus coronavirus coronavírus corporações corsa nucleare cost of war COUNTER PUNCH COUNTER-ACTIONS AGAINST USA counterpunch Covert Action COVID Vaccinations Covid-19 COVID-19: Survival Guide COVID-20 COVID-US Craig McKee Craig Murray Crimes against Humanity Criminal Enterprise crise dos refugiados CROATIAN Cult CUNNINGHAM CURENT CONCERNS CURRENT CONCERNS CZECH DAMAS Damasco Daniel Ellsberg Daniel Lazare Daniel McCARTHY Daniele Ganser DANISH DANSK Darius Shahtahmasebi DARK JOURNALIST DARK JOURNALISTt DARPA DAVE WEBB DAVID HOROVITZ DAVID IGNATIUS DAVID IRVING David Krieger David Krieger. Martin Luther King David Lemire David STERN David Swanson DAVIDSWANSON Deal of Century DEAN Dean Henderson DECLARAÇÃO BALFOUR Declaração de Florença Declaration of Florence Deena Stryker Deep State Defender Europe 20 Defender Europe 2020 Defense Pact Delta coronavirus Democracia Multi-Partidos DEMOCRACY DEMOCRACY CONTROL demonização do Islã xiita Denali dependência depopulation Der Krieg gegen Jugoslawien DESENVOLVIMENTO desigualdades Desinformação Mediática Destruction and desperation Deutsch Devin Nunes Diário do Povo Online Dichiarazione di Firenze DICK CHENEY Die Kunst des Krieges Die Präsidenten DIMONA DINNUCI DINUCCI DIPLOMACY Directiva Guerini DISCOURS À l'ASSEMBLÉE FÉDÉRALE discurso de Walid Al-Moualem Distanziamento sociale DISTORTIONS Dmisa Malaroat DMITRIY SEDOV Dmitry Minin DMITRY ORLOV DOCUMENTARY AND DRAMATIC FILMS ON NUCLEAR WEAPONS Dollar Domenico Losurdo DOMÍNIO DA UNIVERSALIDADE Donald Trump Donbass doni DONINEWS Doomesday Clock Dr. Kevin Barrett Dr. Strangelove Dresden drone assassination Drone strikes Drones NATO Dublin DUFF DUGIN E-BOOK e-commerce EBOLA economia ECONOMIA. POLÍTICA economic costs Economic Theory ECONOMICS ECONOMY Ed Dames EDITOR'S CHOICE Eduard Bernays Education EDWARD BERNAYS EDWARD SNOWDEN EINLADUNG ZUR INTERNATIONALEN KONFERENZ ZUM 70-JÄHRIGEN JUBILÄUM DER NATO Einstein El Ejército Privado de los Banqueros El Excepcionalismo Americano El Periodico ELDERLY MAN ON FIRE ELECTION Eliason ELIJAH J. MAGNIER ELISABETE LUIS FIALHO Eliseo Bertolasi Elite’s Malthusian Agenda Embaixada da China em França Embaixatiz da Leónia Embajadora de Letonia EMBASSY OF ECUADOR EMMONS empréstimos EN -- INVITATION TO THE INTERNATIONAL CONVENTION FOR THE 70TH ANNIVERSARY OF NATO END FACTORY FARMING endgahl energia solar ENGDAHL English entrevista epidemias Erdogan Eric S. Margolis Eric Zuesse ERKLÄRUNG VON FLORENZ ESCOBAR ESPANÕL Español estado estado-nação Ethnicity EU EUA Europa EUROPE EUROPEAN KHAZARIAN JEWS European Union EUTM Eva Bartlett EVAGGELOS VALLIANATOS Evan at Fight for the Future EVENT 201 Evgeny Baranov EVs ewish Corporate Heroes EXÉRCITO DOS BANQUEIROS JUDEUS Expulsion of Russian Diplomats Over Skripal Case F-35 F. William Engdahl facebook Faco fake news Fake News Awards Fallujah FALTA DE IMPARCIALIDADE FANG Farage farewell address FARSI Fattima Mahdi FBI Federal District Judge Miles Lord FEDERICO PIERACCINI Felicity Arbuthnot FEMA FERDINANDO IMPOSIMATO FERRIS Festival des Droits Humains Field McConnell finança finance Finian Cunningham Finnian Cunningham FINNISH FIRENZE First International Conference Against US/NATO Foreign Military bases FIRST PERSON FLÁVIO GONÇALVES FLUORIDATION FMI Follhas FORBIDDEN KNOWLEDGE TV forbidden nowledge FÓRUM ECONÓMICO ORIENTAL Foster Gamble four horsemen FR -- LES 70 ANS DE L'OTAN: DE GUERRE EN GUERRE Fr. Andrew Phillips FRANÇA FRANÇAIS France FRANCESCA CHAMBERS FRANCESCO CAPPELLO Francesco Colafemmina Francis Lee Frankreichs FRAUDE EXTRANJERO FREE AHED TAMINI FREE ENTERPRISE FREE Julian Assange FREE PAGES FREE PDF Freeman FRENCH FRISK FUKUSHIMA FULFORD FULL SPECTRUM DOMINANCE Fuller G-20 G20 G20 SUMMIT Galima Galiullina Galima Galiullina GALLAGHER Gareth Porter GARY NORTH Gás natural Gaza Gaza strip Gemplus General Flynn Genetic Manipulation genocide geopolítica George Gallanis George Szamuely GERMAN German. Manlio Dinucci GERMANOS germany Ghedi GHOUTA Ghouta Oriental Gilad Atzmon Gilbert Doctorow Giulietto Chiesa Giuseppe Conte Giuseppe Padovano GIVING NAMES Gladio Glen Greenwald Glenn Greenwald Global Economy GLOBAL MELTDOWN GLOBAL RESEARCH GLOBAL RESEARCH NEWS HOUR Global Times global warming Globalism globalização GMO GMO's REVEALED GMOS Gold GOLD ROBBERY google GORBACIOV AL CONVEGNO DI FIRENZE SULLA NATO GORDON GORDON DUFF GOUTHA Graham E. Fuller Graham Vanbergen GRANDANGOLO GRAZIA TANTA GREAT RESET Greece GREEK GREENHALGH GREENWALD Greg Hunter Gregory Copley GRETA THUNBERG GRETE MAUTNER GRUPO BILDERBERG Guerra alla Jugoslavia GUERRA BIOLÓGICA Guerra Civil guerra comeercial GUERRA NUCLEAR GUERRA NUCLEARE Guest Contributions GUEST CONTRIBUTORS GUNNAR Guns & Butter GUTERRES Gypsies Gypsies Expulsions Gypsies Origins HAARP HAGOPIAN Hakan Karakurt HAMBRUNA DE CHINA health HEGEMONIA USA HELLENIC Henry Kissinger HEPATITE C Hepatitis C Herbert McMaster HERMAN HERNÂNI CARVALHO HEZ HIBRYD WARS hill HILLARY CLINTON HIROSHIMA Hiroshima & Nagasaki História History History of Mossad assassinations and false flag attacks HIV hollywood HONG KONG HONG KONG PROTESTERS Honk if You Love Jesus http://www.independent.co.uk/ http://www.northcrane.com/ http://www.salem-news.com/ http://yournewswire.com/ HUAWEI HUDON HUDSON HUMANITY AT THE CROSSROADS HURRICANE HYBRID WARS Ian Greenhalgh Ian Shilling ICAN ideeCondividi Igor Nikulin Il futuro dell’America impeachment INAUGURATION INBJUDAN TILL EN INTERNATIONELL KONFERENS INFÖR NATO´S 70-ÅRSDAG INCÊNDIOS Incirlik INDEPENDÊNCIA India Índia Indiens INF TREATY Inform Clear House INFORMATION BLOCKADES INICIATIVA PRIVADA INSANIDADE AMERICANA Intelligence INTERNATIONAL CONFERENCE IN FLORENCE INTERNATIONAL CONFERENCE IN FLORENCE Italy INTERNATIONAL CONVENTION FOR THE 70TH ANNIVERSARY OF NATO INTERNATIONAL CONVENTION FOR THE 70TH ANNIVERSARY OF NATO INTERNATIONALE KONGRES FOR 70 ÅRS DAGEN FOR NATO’S OPRETTELSE INTERNATIONATIONAL CONFERENCE Internet INTERVIEW Interview with Larry Romanoff INVITACIÓN PARA LA CONVENCIÓN INTERNACIONAL DEL 70º ANIVERSARIO DE LA NATO INVITATION À LA CONVENTION INTERNATIONALE POUR LE 70ème ANNIVERSAIRE DE L'OTAN/NATO INVITO INVITO AL CONVEGNO DEL 25 APRILE IODINE ION COJA IRAN Irão IRAQ Iraq war Iraque IRRAN Isaac Davis ISIS Ismail Bashmori Israel Israeli mass murder Israels IT -- Manlio Dinucci -- L'arte della guerra -- Le 70 candeline (esplosive) della Nato IT – Manlio Dinucci – L’arte della guerra -- Hong Kong Itália ITALIAN ITALIANO Italy ITULAIN Ivan Blot JACQUES CHIRAC Jacques Sapir Jacy Reese JALIFE-RAHME JAMES James A. Lucas James Angleton James Comey JAMES CORBETT JAMES GEORGE JATRAS James ONeil JAMES PETRAS JAMES RISEN Jane Grey Japan JAPANESE Japão Jay Greenberg Jean Perier Jean Périer Jean Toschi M. Visconti Jean-Claude Paye Jean-Luc Melenchon JEFF SESSIONS JEFFREY EPSTEIN Jeffrey Epstein's suicide JEFFREY SMITH JEFFREY ST. CLAIR JEFFREY ST. CLAIR - ALEXANDER COCKBURN JEWISH BETRAYAL Jewish Corporate Heroes Jews JEZEBEL JFK JILL STEIN Jim W. Dean Jimmy Carter Joachim Hagopian Joan Roelofs Joe Biden Joe Biden apprendista stregone nucleare Johan McCain John Bolton John Helmer John LaForge john McCain JOHN PILGER John Podesta John W. Whitehead JONAS E. ALEXIS Jonas E. Alexis. VETERANS TODAY Jonathan Marshall JONES Jordânia JOSÉ GOULÃO Joseph Thomas jubilados Jugoslávia JULIAN ASSANGE JULIAN ROSE Justice Horace Krever Justice in Focus Symposium Justice Mary Lou Benotto Justin Raimondo KADI Kadir A. Mohmand KADOORIE Kadyrov kalee brown Karen Kwiatkowski Karine Bechet-Golovko KATEHON KATHEON Katherine Frisk Ken O’Keefe Kenneth P. VOGEL Kerch Strait kerry KERRY BOLTON Kerry Cassidy Kerry Picket Kevin Barret. VT Khashoggi Kim Petersen KIMBERLEY KINZER KIRYANOV KOENIG Konstantin Asmolov KORYBKO KORZUN KREMLIN LIST Krum Velkov KURDS L’agonie de la politique étrangère française l'arte de la guerra L'arte della guerra L’arte della guerra L’incendie de la cathédrale Notre-Dame L’Italia nella Coalizione «antiterrorismo» L’URLO DEGLI SCHIAVI SOFFOCATO DALLE ONG AL FESTIVAL DEI DIRITTI UMANI La corsa al dominio dello Spazio LA COUPE DU MONDE La course à la domination de l’Espace Labor Lajes USA base Larry Chin LARRY ROMANOF Larry Romanoff LARRY ROMANOFF Global Economy LARRY ROMANOFF ON CORONAVIRUS Latvian Ambassador Lauréat du Club de Periodistas de México Laurent Gerra lavr LAVROV LAW AND JUSTICE Le Monde LE PARISIEN Le Saker Francophone LENDMAN Leonardo LESIN Líbano LIBERIAMOCI DAL VIRUS DELLA GUERRA LIBIA Líbia LIBRI CONTRO LA GUERRA LIBRO APERTO LIBYA LIDAR COM DEMÓNIOS LIES Lies Everywhere Lionel Shriver LISBOA LITHIUM lítio Lituania Livorno Livro 1 lletin of The Atomic Scientists LOFGREN LONDON Lorenzo Guerini LUSITANIA LUTA ANIT-COMUNISTA LVOV LYBIA MACMILLAN macron Maduro Maidan Makia Freeman MANAGEMENT MANLIO Manlio Dinucci Manlio Dinucci - Manual de prevenção e controle da Covid-19 Manuel Ochsenreiter MAO TZE DONG MAO ZEDONG Mar del Plata Mar do Sul da China Marc Lassus Marco Cassiano MARCUS WEISGERBER MAREJADAS MARGARET KIMBERLEY Margarita Simonyan Margherita Furlan MARIA BUTINA MARIA BUTINA FUND MARIA ZAKHAROVA Mario Draghi Mark Citadel Mark Esper Mark Taliano Markus Frohnmaier Martin Berger Martin Hurkes Martin Luther King MARUSEK MARY BETH SULLIVAN Matt Agorist Matt Peppe MATTEO rRENZI MATTHEW COLE MATTHEW JAMISON MAX PARRY May McCain McCloy-Zorin Accords MCLAUGHLIN MEDIA AND CONSPIRACY IN ACTION Media Disinformation MEDIA E CONSPIRAÇÃO EM ACÇÃO” MEDIA E COSPIRAZIONE IN ATTO MEDIA I SPISEK W AKCJI MEDIA ȘI CONSPIRAȚIE ÎN ACȚIUNE” MEDICINE Meetings of NATO Ministers of Defence MEGYN KELLY MÉLENCHON MELKULANGARA BHADRAKUMAR meloni memo Memorial day Meng Wanzhou Meningitis mercado «repo» mercados MERCOURIS MERITOCRACY MERS-US MES Metas de desenvolvimento nacional da Rússia até 2030 MEU COMENTÁRIO MEXICO MEYSSAN MIC - MILITARY INDUSTRIAL COMPLEX MICHAEL AVERKO Michael Brenner Michael Hudson MICHAEL JABARA CARLEY Michael S. Rozeff Michael T. Klare Michał Kalecki MICHEL CHOSSUDOVSKY Michel Raimbaud Middle East MIG video mike harris Mike Pence Mike Pompeo Mike Whitney Militarização e Armas de Destruição em Massa Militarization and WMD militarized budget MILITARY INTELLIGENCE MINA Mint Press News MintPressNews MIRANDA miscalculation Misión Verdad MISSEIS NUCLEARES NA EUROPA missiles nucleaires en Europe missioni cloniale MKULTRA Mobile Phone Systems Mohamed Mokhtar Qandiel MOHMAND Montenegro MOON OF ALABAMA moonofalabama MORENA Mossad MOST DAMAGING WIKILEAKS Mouna Alno-Nakhal MOVIMENTO PORTUGUÊS CONTRA A CIMEIRA DA NATO EM LONDRES Mudança de Local MYTH OF SUPREMACY NA PRIMEIRA PESSOA nacionalismo Nações Construídas sobre Mentiras NAFTA Nagasaki NÃO À GUERRA NÃO À NATO national archives National Covid-19 Testing Action Plan NATIONAL GOOD NATIONAL SECURITY ARCHIVE National Security Strategy NATO NATO & NUKES NATO Araba NATO Counter-Summit NATO EXIT NATO GENNEM 70 ÅR: VEDVARENDE KRIG NATO nello Spazio NATO Summit in London NATO Trident Juncture 2018 NATOME Nazim Hikmet Nazis Nazism nazismo Nazismus NED NEDERLANDS NEIL KEENAN NEO neoliberalismo new high-speed maglev train NEW INTERNATIONAL ORDER new silk road NEW VIDEO New World Order New York Times NEWS DESK Nicholas Nicholaides Nick Turse Nigeria NIKANDROV nikki haley Nile Bowie NISSANI NO WAR NO NATO Noam Chomsky NOR Nordkoreas NORMAN SOLOMON NORSK NORTH KOREA North Stream 2 NORWEGIAN NOVOROSSIA novorussia NSA NSA BUILDINGS nuclear nuclear Armageddon Nuclear arsenal NUCLEAR MISSILES AGAINST USA NUCLEAR MISSILES IN EUROPE NUCLEAR WAR NUCLEAR WEAPONS NUCLEAR WEAPONS IN SPACE NUKES Nuovo Comando USA Nuremberg NWO NYTIMES O “Acordo do Século” O FUTURO DA AMÉRICA O SANGUE ADULTERADO DO CANADÁ obama obamas Observatório da Guerra e do Militarismo Obstruction of Justice Oil OLAS Oliver Stone Olivier Renault OMS ONDAS One-World Government ONU OPEN LETTER Operation Paperclip ORIGEM ORLOV Os Acordos McCloy-Zorin Os judeus estavam ocupados na década de 1930 Osama bin Laden OSCAR FORTIN Osservatorio sulla presenza USA in Italia ouro Outer Space OWoN Team Oxitec Pacto PAKISTAN Pakistans Palestina PALESTINE Palestinians pandemia pandemias PANDORA TV PANGEA Papa Francisco PARRY Part 10 PARTE 1 PARTE 2 PARTE 3 Patrick Iber Patrick J. Buchanan Patrick Martin PAUL CRAIG ROBERTS Paul Fitzgerald Paul Martin Paul R. PILLAR Paul Street PAYE Paz PCR peace Pedro Bustamante Pedro Caetano pedrógão grande PENTAGON PEPE ESCOBAR PEPE ESOBAR PERSIAN Peter Dale Scot Peter Dale Scott Peter Koenig PETER KORZUN Petition PETRAS Petrodollar Ph.D Phil Butler PICCARD Pierre Farge PILGER Pirbright Institute Pisa Book Festival PISKORSKI PLAZA DE TIANANMEN Plenary session of the Eastern Economic Forum PODESTA POISONING CITIZENS POISONS IN THE WORLD CUP Police State & Civil Rights POLISH Política Political Economy Políticas anti-Covid-19 POLITICS POLSKI Pompeo Pompeo threatens Putin Pope Bergoglio Pope Francis Porte-parole du Comitato No Guerra No Nato PORTO Portugal PORTUGUES PORTUGUÊS PORTUGUESE Portuguguese PORTUGUSES Poutine POW POZVÁNKA NA MEDZINÁRODNÚ KONFERENCIU K PRÍLEŽITOSTI 70. VÝROČIA NATO PRAÇA TIANANMEN PRAVDA prc Premierminister und Gesetzgeber Chinas premIo dal Club de Periodistas de México Prémio Internacional de Análise Geoestratégica Premio Internacional de Análisis Geostratégico Premiul Internațional de Analiză Geostrategică preservação ambiental President Vladimir Putin Interview to Tucker Carlson Presidential Address to Federal Assembly Presidential Address to the Federal Assembly PRESTON JAMES PRINCE CHARLES PRINCE PHILIP PRIVATISATION Privatization Prof Michel Chossudovsky Prof Rodrigue Tremblay Project Veritas PROJECTO MK-ULTRA projecto Secasol PROPAGANDA PROPAGANDĂ PROPAGANDA E MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL psychological warfare Psycological Warfare PSYOP Psywar Público PUERTO RICO PUTIN Putin in Italia Putin’s State of the Union PUTIN/TRUMP Putin/Trump meeting PYOTR ISKENDEROV Qingdao Queen Elizabeth QUEEN VICTORIA racism Rajan Menon RAND CORPORATION Raphael Johnson Raphaël Meyssan rebecca gordon Recovery Fund Rede des Präsidenten vor der Bundesversammlung Redmayne-Titley Relatório do 2º Trimestre RELAX remote viewing Rep. Ron Paul Replant American Dream réseau Réseau International Réseau Voltaire Réseau Voltaire: Resources Warfare Rete Civica Livornese Contro la Nuova Normalità della Guerra Revue Défense Nationale Ricardo Vaz RICHARD DOLAN Richard Galustian Richard Labévière Richard Spencer Rick Sterling RIPPLES AND SURGES Rob Slane Rob Urie Robert Bridge Robert F. Kennedy Jr Robert J. Burrowes Robert J. O’Dowd Robert Maginnis Robert Mueller Robert O’Dowd ROBERT PARRY robert steele ROBERTS ROCKEFELLER rof. Mohssen Massarrat ROLAND Roland San Juan blog ROMÂNA ROMANIA PROTESTS ROMANIAN ROMÎNA Ron Aledo RON PAUL Ron Paul Institute Ron Unz rothschild roubo da prata RT Rudolph Giuliani RUDY GIULIANI RUSSIA RÚSSIA Russia feed RUSSIA TODAY russiafeed russiagate RUSSIAN Russian & Chinesese leaders Russian Insider RUSSIAN OLIGHARCHS Russian/Ukrianian conflit Russie politics Russka Russlands RUSSOPHILE Ryan Dawson Ryan Gallagher s: ARTICLES s:ARTICLES Sahra Wagenknecht SALÁRIO Salman Rafi Sheikh sana SANÇÕES sanctions sanders SANTOS SILVA Sarah Abed SARS SARS-US sARTICLES Sassoon SCAHILL Science SCOTT Scott Humor Sea of Azov Sean Adl-Tabatabai sécurité alimentaire syrienne Seeds of Destruction semences de blé contaminé September 25 SERBIAN SERGEY LAVROV serviços secretos servizi segreti Sessão Plenária do Fórum Económico Internacional de São Petersburgo sessions Seth Ferris SETH RICH SHAKDAM Shandong Province Shane Quinn Sharon Tennison Shawn Hamilton SHEIKH sic sic notícias SIDA Sigonella SIMON PARKES SIPRI Síria Skripal poisoning SLOVAK SLOVENIAN SLOVENSKÝ Smith & Wesson SNOWDEN SNYDER soberania SOCIALISM SOCIALISMO SOCIETY SOCIOLOGY Soleimani assassination Sophie & Co Søren Korsgaard Soros SOUS NOS YEUX SOUTH FRONT South Korea SOUTHFRONT Sovranità SP -- Manlio Dinucci -- «EL ARTE DE LA GUERRA»‎ La estrategia del caos dirigido Space Daily SPACE WARFARE Spain SPANISH speech GERMAN MP Speech at UN Assembly SPEECH TO FEDERAL ASSEMBLY Speer-Williams Sputinik sPUTNICK SPUTNIK SPY SPYING STACHNIO Stalin Stanislav Petrov State of the Nation stealth B-2 Spirit STEPHEN KARGANOVIC Stephen Kinzer Stephen Lendman Steve Pieczenik STEVE PIECZENIK: Steve Robertson Steven MacMillan STONE STORM CLOUDS GATHERING StormCloudsGathering.com STRAGE DI PIAZZA FONTANA PROVENIVA DALLE BASI NATO» Strategic Culture Strategic Maneuvers STRATTON STRYKER submarino ARA San Juan Submarinos nucleares SUMMIT Sunagawa SUOMI support his Health condition support his work SVENSKA Sweden SWEDISH SYLVAIN LAFOREST Syria t T.J. COLES T.V. SOONG TAIPINGS Taiwan TAKEHON TALIANO TASS Tavolo della Pace Val di Cecina Tecnologia 5G TED RALL TEREHOV Terrorismo the The American Insider The Anti-Media The British Royal Family The Chimera of Democracy The City of London the coming storm The deeper state The Duran The Economic Boycott of 1933 The Financial Times The Financial Times's Interview with President Putin THE HAMMER AND THE DANCE THE INFINITE WAR THE INTERCEPT The Jewish Declaration of War on Germany The Jewish Hasbara The Khazar Jews’ Plan The Most Dangerous Religion The Pathology of American Competition The Rockefeller Foundation The Rockeffeler Foundation The Rockfeller Foundation THE SAKER THE SCREAM OF THE SLAVES SILENCED By NGOs AT THE HUMAN RIGHTS FESTIVAL the true activist THE US IN VIETNAM The World of Biological Warfare The World’s Safest Cities THERAPEOFJUSTICE Thierry Meyssan Thierry Meyssan. Syria Third Presidential Debate TIBET PROVINCE Tik-Tok Tik-Tok and WeChat Tillerson TNP Treaty tom dispatch TOM ELEY Tom Engelhardt Tom Feeley TOM JOAD Tomas Pueyo TomDispatch TOMGRAM Tony Blair Tony Cartalucci torna il Trattato di Nanchino torture Trabalho e Roubo Salarial TRADE WAR TRUCE TRAIÇÃO DOS JUDEUS TRATADO DE VERSALHES Tratado ONU Tratatto ONU Trattato Open Skies TRE LIBRI CONTRO LA GUERRA trees TROVAN True Activist TrueActivist.com trump Trump's impeachment TRUTH TSUKANOVA TTIP Tucker Carlson Tukish Tulsi Gabbard TUR TURCHIA TURKEY Turkish TURQUIA Turquish Twitter TYLER DURDEN UCRANIA Ucrânia Udo Ulfkotte UE UITNODIGING VOOR HET INTERNATIONALE CONGRES VANWEGE HET 70e JUBILEUM VAN DE NAVO UK Ukraine Ukraine Biden Ukraine provocation Ukrainian Deserter Ukrainian Provocatian Un cambio de lugar de encuentro Un Messaggio di Larry Romannoff Un Mondo senza guerre UNDERSTANDING UNIÃO EUROPEIA Union of Concerned Scientists UNITED BASES OF AMERICA UNITED KINGDOM UNITED STATES UNIVERSIDADE DE HARVARD UNRISTRECTED WARFARE US bases in Greece US CORPORATE AND INSTITUTIONAL EXECUTIVES CRIMINALLY INSANE US Economic Statistics: “Unreliable Numbers” US ELECTIONS US HEALTH CARE US HEGEMO US HEGEMONY US imperialism US JOURNALISTS KILLED BY USA US MARINES US Military US NAO WAR AGENDA US NATO AGENDA US NATO War US NATO War Agenda US NGOs USA USA bases in Greece USA Criminally Insane USA ELECTION USA ELECTIONS USA Hegemony USA sanctions USA USE OF CHEMICAL WEAPONS USA/NATO Bases uso militar uso militare vaccin vacina vacinas VALDAI Valentin Vasilescu VALORES CULTURAIS Van AUKEN VANDERBILT VASILESCU Vault 7 Venezuela Veteran Intelligence Professionals for Sanity VETERANS VETERANS TODAY VETERNAS TODAY Victory Day video video interview VIDEO. videos VIETNAM VETERANS Viktor Mikhin VITALY CHURKIN VITOR LIMA VÍTOR LIMA Vladimir Chizhov Vladimir Danilov VLADIMIR KOZIN VLADIMIR PUTIN Vladimir Safronkov Vladimir Terehov VLTCHEK VOA VOICE OF AMERICA Volume 1 Votos de Feliz 2020 VT Waking Times WALTER LIPPMAN WANTA war Warsaw Washingtons blog WAVES WAYNE MADSEN Weapons of Mass Destruction WENDY WOLFSON – KEN LEVY West Bank WESTBERG Westmoreland What do you think about China wheel of misfortune WHITEHEAD WHITNEY WEB Whitney Webb WHO IS A JEW WIKILEAKS Wikispooks William Barr William Blum WILPF Wladimir Putin WOODS world beyond war world cup 2018 WORLD HEALTH ORGANIZATION WORLD MAP OF PRIVATISATION Wright Brothers Wuhan WWII WWIII XI JIMPING Xi Jinping XINGIANG Xinjiang XUE FENG Yameen Khan Yanis Varoufakis YEMEN YOUNG HERO Youssef A. Khaddour Yuan Yugoslavia ZAKHAROVA ZÉ GERALDO Zelensky ZEROHEDGE Zhang Wenhong ZIKA ZIONISM -- THE HIDDEN TIRANNY ZUESSE Волны ОБРАЩЕНИЕ К ПРЕЗИДЕНТАМ ПРИГЛАШЕНИЕ НА МЕЖДУНАРОДНУЮ КОНВЕНЦИЮ ПОСВЯЩЕННУЮ 70й ГОДОВЩИНЕ ОБРАЗОВАНИЯ НАТО РУССКИЙ рябь и всплески СРПСКИ 中国1959年的饥荒 关于新冠病毒未解释的事情 国际会议邀请 北约成立70周年纪念日 宣传、媒体和行动中的阴谋 拉里•罗曼诺夫访谈录 波浪,涟漪和波涛 简体中文 美国例外论