PREVIOUS FREE PAGES BLOG

PREVIOUS FREE PAGES BLOG
DIPLOMATIC FREE PAGES - click image

Tuesday, July 18, 2017

Thierry Meyssan -- Milhares de milhões de dólares de armas contra a Síria

UMA REDE DE TRÁFICO DE ARMAS IMPLICANDO PELO MENOS 17 ESTADOS

Milhares de milhões de dólares de armas contra a Síria

Desde há sete anos, vários milhares de milhões de dólares de armamento entraram ilegalmente na Síria ; um facto que, só por si, basta para desmentir a narrativa segundo a qual esta guerra seria uma revolução interna democrática. Inúmeros documentos atestam que este tráfico foi organizado pelo General David Petraeus, primeiro a título público a partir da CIA da qual ele era o director, depois a título privado a partir da sociedade financeira KKR, com a ajuda de altos funcionários. Assim, o conflito, que era inicialmente uma operação imperialista dos Estados Unidos e do Reino Unido, transformou-se numa operação capitalista privada, enquanto em Washington a autoridade da Casa Branca era contestada pelo “Estado Profundo”. Novos elementos lançam luz sobre o papel secreto do Azerbaijão na evolução desta guerra.
 | DAMASCO (SÍRIA)  

Como é que os jiadistas de Alepo eram abastecidos com armas búlgaras ?
Aquando da libertação de Alepo e da captura do estado-maior saudita que lá se encontrava, a jornalista búlgara Dilyana Gaytandzhieva constatou a presença de armas do seu país em novos armazéns abandonados pelos jiadistas. Ela anotou cuidadosamente as indicações inscritas nas caixas e, de regresso ao seu país, investigou o modo como elas haviam chegado à Síria.
Desde 2009 —com a breve excepção do período entre Março de 2013 a Novembro de 2014— a Bulgária é governada por Boiko Borissov, um personagem colorido, saído de uma das principais organizações criminosas europeias, a SIC. Lembremos que a Bulgária é, ao mesmo tempo, membro da OTAN e da União Europeia e que nenhuma destas organizações emitiu a mínima crítica contra a chegada ao poder de um chefe mafioso, desde há longo tempo claramente identificado pelos serviços internacionais de polícia.
Foi, pois, arriscando a sua vida de forma clara que Dilyana Gaytandzhieva rastreou a rede e que a redacção do quotidiano de Sofia, Trud, publicou o seu dossiê [1]. Se a Bulgária se colocou como um dos principais exportadores de armas para a Síria, ela contou para tal com a ajuda do Azerbaijão.

Pondo a nu o gigantesco tráfico de armas da CIA contra o Afeganistão, o Iraque, a Líbia, a Síria e a Índia

Desde o início das Primaveras Árabes, um gigantesco tráfico de armas foi organizado pela CIA e pelo Pentágono em violação de inúmeras resoluções do Conselho de Segurança da ONU. Todas as operações que aqui vamos recapitular são ilegais à luz do Direito Internacional, nelas incluídas, bem entendido, as organizadas publicamente pelo Pentágono.
Em matéria de tráfico de armas, mesmo quando certos indivíduos ou empresas privadas servem como disfarce, é impossível exportar materiais sensíveis sem o assentimento dos governos envolvidos.

Todas as armas de que vamos falar, salvo os sistemas de espionagem electrónica, são de tipo soviético. Por definição, mesmo quando se finge que exércitos equipados com armas de tipo OTAN são os destinatários finais destes fornecimentos isso é impossível de se verificar. A referência a tais exércitos serve apenas para encobrir o tráfico.
Sabia-se já que a CIA tinha recorrido à SIC e a Boiko Borissov para fabricar, com urgência, Captagon com destino aos jiadistas na Líbia, depois na Síria. Desde a investigação de Maria Petkova, publicada na Balkan Investigative Reporting Network (BIRN), sabia-se que a CIA e o SOCOM (Special Operations Command do Pentágono) tinham comprado, para os jiadistas, armas à Bulgária por 500 milhões de dólares, entre 2011 e 2014. Depois, que outras armas foram pagas pela Arábia Saudita e pelos Emirados Árabes Unidos e transportadas pela Saudi Arabian Cargo e Etihad Cargo [2].
Segundo Krešimir Žabec do quotidiano de Zagreb Jutarnji List, no fim de 2012, a Croácia fornecia aos jiadistas sírios 230 toneladas de armas por um valor de 6,5 milhões de dólares. O envio para a Turquia foi feito por três Ilyushin da companhia Jordan International Air Cargo, sendo depois as armas lançadas de pára-quedas pelo Exército Catariano [3]. De acordo com Eric Schmitt, do The New York Times, o conjunto do dispositivo tinha sido imaginado pelo General David Petraeus, director da CIA [4].
Quando, em 2012, o Hezbolla tentou descobrir o tráfico da CIA e do SOCOM foi perpetrado um atentado contra turistas israelitas no aeroporto de Burgas, o centro nevrálgico do tráfico. Em contradição com a investigação da polícia búlgara e as conclusões do médico legista, o governo de Borisov atribuiu este crime ao Hezbolla e a União Europeia classificou a Resistência libanesa como «organização terrorista» (sic). Foi preciso esperar até à queda temporária de Borisov para que o Ministro das Relações Exteriores, Kristian Vigenine, sublinhasse que tal acusação não tinha qualquer fundamento.
Segundo uma fonte próxima do PKK, em Maio e Junho de 2014, os Serviços secretos turcos fretaram comboios (trens-br) especiais para entregar em Rakka, isto é, naquilo que era então chamado o Emirado Islâmico no Iraque e na Síria, e que é conhecido hoje como Daesh, armas ucranianas pagas pela Arábia Saudita e mais de um milhar de Toyota Hilux (pickups de cabine dupla) especialmente arranjadas para resistir às areias do deserto. De acordo com uma fonte belga, a compra dos veículos tinha sido negociada com a japonesa Toyota pela empresa saudita Abdul Latif Jameel.
Segundo Andrey Fomin da Oriental Review, o Catar, que não queria ser deixado à parte, comprou para os jiadistas à sociedade Estatal ucraniana UkrOboronProm a versão mais recente do Air Missile Defense Complex "Pechora-2D". Tendo a entrega sido concluída pela sociedade cipriota Blessway Ltd [5].
Segundo Jeremy Binnie e Neil Gibson, da revista profissional de armamento Jane’s, o US Navy Military Sealift Command (o Comando de Aprovisionamento da Marinha de Guerra dos EUA- ndT) lançou em 2015 dois concursos públicos para transportar armas do porto romeno de Constanta para o porto jordano de Aqaba. O contrato foi ganho pela Transatlantic Lines [6]. Ele foi executado logo após a assinatura do cessar-fogo por Washington, a 12 de Fevereiro, 2016, em total violação do seu compromisso.
De acordo com Pierre Balanian da Asia News, este dispositivo prosseguiu em Março 2017 com a abertura de uma linha marítima regular da companhia norte-americana Liberty Global Logistics ligando Livorno (Itália) / Aqaba (Jordânia) / Jeddah (Arábia Saudita) [7]. Segundo o geógrafo Manlio Dinucci, ela destinava-se principalmente ao fornecimento de blindados para a Síria e para o Iémene [8].
Segundo os jornalistas turcos Yörük Işık e Alper Beler, os últimos contratos da era Obama foram feitos pela Orbital ATK que organizou, via Chemring e a dinamarquesa H. Folmer & Co, uma linha regular entre Burgas (Bulgária) e Jeddah (Arábia Saudita). Pela primeira vez, fala-se aqui não apenas de armas produzidas pela Vazovski Machine Factory Building (VMZ) (Bulgária), mas também pela Tatra Defesa Industrial Ltd. (República Checa) [9].
Muitas outras operações tiveram lugar secretamente como o atestam, por exemplo, os negócios do cargueiro Lutfallah II, apresado pela marinha libanesa a 27 Abril de 2012, ou do cargueiro togolês, o Trader, apresado pela Grécia, a 1 de Março de 2016.
O total destas operações perfaz centenas de toneladas de armas e de munições, talvez milhares, sobretudo pagas pelas monarquias absolutas do Golfo, pretensamente para apoiar uma «revolução democrática». Na realidade, as petro-ditaduras só intervieram para dispensar a administração Obama de prestar contas ao Congresso dos EUA (Opération Timber Sycamore) e lhe fazer aceitar gato por lebre [10]. O decorrer de todo este tráfico foi pessoalmente controlado pelo General David Petraeus, primeiro a partir da CIA da qual ele era o director, depois desde a sociedade de aplicações financeiras KKR onde ingressou. Ele beneficiou-se da ajuda de altos funcionários, algumas vezes sob a presidência de Barack Obama, depois massivamente sob a de Donald Trump.
JPEG - 33.3 kb

O papel até agora secreto do Azerbaijão

Segundo a antiga funcionária do FBI e fundadora da National Security Whistleblowers Coalition, Sibel Edmonds, de 1997 a 2001, o Azerbaijão do Presidente Heydar Aliyev, acolheu em Baku, a pedido da CIA, o número dois da Alcaida, Ayman al-Zawahiri. Muito embora oficialmente procurado pelo FBI, aquele que era então o número 2 da rede jiadista mundial deslocava-se regularmente por avião da OTAN para o Afeganistão, para a Albânia, para o Egipto e para a Turquia. Ele era, igualmente, frequentemente visitado pelo Príncipe Bandar ben Sultan da Arábia Saudita [11].
Às suas relações de segurança com Washington e Riade, o Azerbaijão —cuja população é, portanto, sobretudo xiita— junta Ancara, a sunita, que o apoia no seu conflito contra a Arménia a propósito da secessão da República de Artsakh (Alto-Karabaque ).
À morte de Heydar Aliyev, nos Estados Unidos, em 2003, sucede-lhe o seu filho Ilham Aliyev. A Câmara de Comércio EUA-Azerbaijão torna-se a sala de manobras de Washington tendo ao lado do Presidente Aliyev, Richard Armitage, James Baker III, Zbigniew Brzeziński, Dick Cheney, Henry Kissinger, Richard Perle, Brent Scowcroft e John Sununu.
De acordo com Dilyana Gaytandzhieva, o Ministro dos Transportes, Ziya Mammadov, coloca em 2015 à disposição da CIA a companhia estatal Silk Way Airlines paga pela Arábia Saudita e pelos Emirados Árabes Unidos. O Ministro dos Negócios Estrangeiros, o muito pouco escrupuloso Elmar Mammadyarov, envia a várias das suas embaixadas pedidos de homologação de «vôos diplomáticos», o que interdita as inspecções dos mesmos segundo a Convenção de Viena. Em menos de três anos, mais de 350 vôos disporão deste privilégio extraordinário.
Muito embora segundo os tratados internacionais, nem aviões civis, nem aviões com imunidade diplomática estejam autorizados a transportar material militar, os pedidos de reconhecimento como «voos diplomáticos» fazem menção explícita das cargas transportadas. No entanto, a pedido do Departamento de Estado dos EUA, pelo menos o Afeganistão, a Alemanha, a Arábia Saudita, a Bulgária, o Congo, os Emirados Árabes Unidos, a Hungria, Israel, o Paquistão, a Polónia, a Roménia, a Sérvia, a Eslováquia, a República Checa, a Turquia e o Reino Unido irão fechar os olhos a esta violação do Direito Internacional, tal como já haviam ignorado os vôos da CIA entre as suas prisões secretas.
Em menos de três anos, a Silk Way Airlines transportou assim pelo menos US $ mil milhões (1 bilhão-br) de armas.
De forma exaustiva, a jornalista Dilyana Gaytandzhieva pôs à luz do dia um vasto sistema que aprovisiona os jiadistas não só no Iraque e na Síria, mas também no Afeganistão, no Paquistão e no Congo, sempre às custa dos Sauditas e dos Emiratis. Algumas armas entregues na Arábia foram reexpedidas para a África do Sul.
As armas transportadas para o Afeganistão teriam chegado aos talibãs, sob o controle dos Estados Unidos, os quais afirmam combatê-los. As fornecidas ao Paquistão eram provavelmente destinadas a cometer atentados islamitas na Índia. Ignora-se quem são os destinatários finais das armas entregues à Guarda Republicana do Presidente Sassou Nguesso, no Congo, e à África do Sul do Presidente Jacob Zuma.
Sendo os principais negociantes as firmas norte-americanas Chemring (já citada), Culmen International, Orbital ATK (também já citada) e Purpel Shove.
Para além das armas de tipo soviético produzidos pela Bulgária, o Azerbaijão comprou, sob a responsabilidade do Ministro da Indústria de Defesa, Yavar Jamalov, stocks (estoques-br) na Sérvia, na República Checa e incidentalmente em outros Estados, sempre declarando ser o destinatário final dessas compras. Em relação aos equipamentos de espionagem electrónica, Israel colocou à disposição a firma Elbit Systems, que simulava ser o destinatário final, não possuindo o Azerbaijão o direito de comprar este tipo de material. Estas excepções atestam que o programa do Azerbaijão, mesmo tendo sido requisitado pelos Estados Unidos e pela Arábia Saudita, era controlado, de uma ponta a outra, a partir de Telavive.
O Estado hebreu, que afirma ter permanecido neutral durante todo o conflito sírio, tem, no entanto, bombardeado repetidamente o Exército Árabe Sírio. Todas as vezes que Telavive reconheceu os factos, pretendeu ter atacado para destruir armas destinadas ao Hezbolla libanês. Na realidade, todas essas operações, salvo talvez uma, foram coordenadas com os jiadistas. Sabe-se, pois, hoje em dia que Telavive estava supervisionando a entrega de armas a esses mesmos jiadistas de tal modo que, se Israel parecia contentar-se em utilizar a sua Força Aérea para os apoiar, de facto jogava um papel central no desenrolar da guerra.
Segundo as convenções internacionais a falsificação de certificados de fornecimento final e o envio de armas para grupos mercenários afim de que eles derrubem governos legítimos, ou destruam Estados reconhecidos, constituem crimes internacionais.
Tradução
Alva
[1] “350 diplomatic flights carry weapons for terrorists” («350 vôos diplomáticos carregando armas para terroristas»- ndT), Dilyana Gaytandzhieva, Trud, July 2, 2017.
[2] “War Gains : Bulgarian Arms Add Fuel to Middle East Conflicts” («Proveitos de Guerra :Armas Búlgaras Somam Combustível aos Conflitos do Médio-Oriente»- ndT), Maria Petkova, Balkan Investigative Reporting Network, December 21, 2015.
[4] “In Shift, Saudis Are Said to Arm Rebels in Syria” and “Airlift To Rebels In Syria Expands With C.I.A.’S Help”, C. J. Chivers & Eric Schmitt, The New York Times, February 26 and March 25, 2013.
[5] “Qatar and Ukraine come to deliver Pechora-2D to ISIS” («O Catar e a Ucrânia, acabam de fornecer Pechora-2D ao Daesh-EI»- ndT), by Andrey Fomin, Oriental Review (Russia), Voltaire Network, 22 November 2015.
[6] “US arms shipment to Syrian rebels detailed” («Revelado em detalhe carregamento de armas dos EUA para os rebelde Sírios»- ndT), Jeremy Binnie & Neil Gibson, Jane’s, April 7th, 2016.
[7] “Jordan strengthens military presence on border with Syria and Iraq” («Jordânia reforça presença militar na fronteira com a Síria e o Iraque»- ndT), Pierre Balanian, AsiaNews, April 11, 2017.
[8] « De Camp Darby, des armes US pour la guerre contre la Syrie et le Yémen», par Manlio Dinucci, Traduction Marie-Ange Patrizio, Il Manifesto (Italie), Réseau Voltaire, 18 avril 2017.
[9] “O Pentágono prossegue os contratos de armamento dos jiadistas da era Obama”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 30 de Maio de 2017.
[10] “U.S. Relies Heavily on Saudi Money to Support Syrian Rebels” («EUA Baseia-se Sobretudo em Dinheiro Saudita para Apoiar os Rebeldes Sírios»- ndT), Mark Mazzetti & Matt Apuzzojan, The New York Times, January 23, 2016.
[11Classified Woman. The Sibel Edmonds Story: A Memoir ((«Mulher da Sombra. A História de Sibel Edmonds : Testemunho ndT) et The Lone Gladio((«Gládio Solitária»- ndT), Sibel Edmonds.
Este artigo encontra-se sob licença creative commons
Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

No comments:

Post a Comment

URGENT IMPORTANT -- FINANCIAL ASSISTANCE NEEDED FOR A YOUNG BOY 14 Y OLD WITH BRAIN CANCER

Dear Friends,

I have never asked any money/donations for myself in my blogs (400) but this is an exceptional emergency. Please help the best you can to assist Isabelle, our French Coordinator, to alleviate as much as possible her step son's health condition.



You can donate through Kees De Graaff

Type your recurring amount here:


PayPal


The email address connected with Kees Paypal account is keesdegraaff@gmail.com

Many thanks from the heart to all of you.



Manlio Dinucci


SUBTITLES -- EN, FR, IT, PT, TR

SI VOUS VOULEZ TRADUIRE LES RAPPORTS DE MANLIO DINUCCI D'ANGLAIS, FRANÇAIS OU ITALIEN DANS VOTRE LANGUE MATERNELLE, SVP VEUILLEZ DEMANDER À

IF YOU WANT TO TRANSLATE MANLIO DINUCCI'S REPORTS FROM ENGLISH, FRENCH OR ITALIAN,INTO YOUR NATIVE LANGUAGE KINDLY CONTACT

luisavasconcellos2012@gmail.com

PUTIN FRENCH



2017 FSB Meeting - RO from Roberto Petitpas on Vimeo.

BOTH VIDEOS AVAILABLE IN ENGLISH,FRENCH, ROMANIAN, PORTUGUESE

PRESIDENT





Labels

21st Century Wire A BRAMERTON A. Orlov Abayomi Azikiwe ABIZAID ABOGADOS ABOGADOS PROGRESISTAS DE ESPAÑA Acción secreta activism Adam GArrie Ajamu Baraka AL-ASSAD AL-HUSAINI Aleksandar PAVIC alex gorka Alex Lantier Alexander Azadgan ALEXANDER COCKBURN ALEXANDER DUGIN ALEXANDER KUZNETSOV Alexandra Bruce Alexandre Artamonov Alexandre Cazes ALEXIS Alfred McCoy Ambrose Evans-Pritchard an Greenhalgh Ana de Sousa Dias ANA SOUSA DIAS ANASTASOV Anatol Lieven Andre Vltchek ANDREI AKULOV Andrew Griffin Andrew Korybko Andrew P. Napolitano Andrey Afanasyev animals Ann Diener Ann Wright Anna Hunt ANNA KURBATOVA Anna Von Reitz Anne Speckhard Ph. D. Anne Speckhard PH. D ANONYMOUS PATRIOTS Anti-Media News Desk Antony C. Black ap APEC aRABIC ARAM MIRZAEI Ariel Noyola Rodríguez ARJUN WALIA Asaf Durakovic Asma Assad ASMOLOV ASSANGE AUTOPSY Avelino Rodrigues AVNERY BAKER balfour bankers BAOFU barcelona Barrett Brown Bashar al-Assad Basi americane Baxter Dmitry BECKER Before it's News BEGLEY BERGER BILL SARDI Binoy Kampmark BOGDANOV Brazilian BRENNAN BRIAN CLOUGHLEY Bruce Cagnon Bruce Gagnon BULGARIAN Bush family BUTLER By Jack Heart & Orage By Prof Michel Chossudovsky CABRAS cancer Captagon Carey Wedler Carla Stea CAROL ADL CARTALUCCI CATALUNHA Catherine Austin Fitts CATHY O'BRIEN cats Chelsea Manning Choice and Truth Chossudovsky Chris Cole CHRIS HEDGES Christopher Black CIA Claire Bernish clinton Collective Evolution Comunidad Saker Latinoamérica COOK COREIA DO NORTE Corey Feldman cost of war counterpunch Covert Action Craig McKee CROATIAN CUNNINGHAM CURENT CONCERNS CURRENT CONCERNS Daniel Lazare Daniel McCARTHY Daniele Ganser DANSK Darius Shahtahmasebi DARK JOURNALIST DARK JOURNALISTt DAVE WEBB DAVID HOROVITZ David Lemire David STERN David Swanson DAVIDSWANSON DEAN Dean Henderson Deena Stryker Defense Pact Denali Deutsch DINNUCI DIPLOMACY Dmisa Malaroat DMITRIY SEDOV Dmitry Minin Domenico Losurdo Donald Trump doni DONINEWS Dr. Kevin Barrett DUFF DUGIN e-commerce Ed Dames EDITOR'S CHOICE EDWARD SNOWDEN El Periodico Eliason ELISABETE LUIS FIALHO Eliseo Bertolasi EMMONS endgahl ENGDAHL English Eric S. Margolis Eric Zuesse ESCOBAR EUROPE Eva Bartlett Evan at Fight for the Future Evgeny Baranov F. William Engdahl FALTA DE IMPARCIALIDADE FANG Farage farewell address Fattima Mahdi FBI FEDERICO PIERACCINI Felicity Arbuthnot FERRIS Field McConnell finance Finian Cunningham Follhas FORBIDDEN KNOWLEDGE TV forbidden nowledge Foster Gamble four horsemen Fr. Andrew Phillips FRANCESCA CHAMBERS Francesco Colafemmina Freeman FRENCH FRISK FULFORD Fuller G20 G20 SUMMIT GALLAGHER Gareth Porter GARY NORTH General Flynn George Gallanis GERMAN GERMANOS Gilad Atzmon Gilbert Doctorow Glen Greenwald Glenn Greenwald GLOBAL RESEARCH global warming GMO GMOS GORDON GORDON DUFF Graham E. Fuller Graham Vanbergen GRAZIA TANTA GREENHALGH GREENWALD Greg Hunter Gregory Copley GRETE MAUTNER GUEST CONTRIBUTORS GUNNAR GUTERRES HAARP HAGOPIAN Hakan Karakurt health Herbert McMaster HERMAN HERNÂNI CARVALHO hill HILLARY CLINTON hollywood http://www.independent.co.uk/ http://www.northcrane.com/ http://www.salem-news.com/ http://yournewswire.com/ HUDON HUDSON Ian Greenhalgh Ian Shilling ideeCondividi INAUGURATION INCÊNDIOS INDEPENDÊNCIA Inform Clear House Internet IODINE Isaac Davis Israel ITULAIN Ivan Blot Jacques Sapir JALIFE-RAHME JAMES James A. Lucas James Comey JAMES CORBETT JAMES GEORGE JATRAS James ONeil JAMES PETRAS Jane Grey Jay Greenberg Jean Perier Jean Périer Jean-Claude Paye JEFF SESSIONS JEFFREY SMITH JEFFREY ST. CLAIR JEFFREY ST. CLAIR - ALEXANDER COCKBURN JEZEBEL JFK JILL STEIN Jim W. Dean Jimmy Carter Joachim Hagopian john McCain JOHN PILGER John Podesta John W. Whitehead JONAS E. ALEXIS Jonathan Marshall JONES Joseph Thomas JULIAN ASSANGE JULIAN ROSE Justin Raimondo KADI Kadir A. Mohmand Kadyrov kalee brown Karen Kwiatkowski Karine Bechet-Golovko KATEHON KATHEON Katherine Frisk Ken O’Keefe Kenneth P. VOGEL kerry KERRY BOLTON Kerry Cassidy Kerry Picket Kevin Barret. VT Kim Petersen KIMBERLEY KINZER KIRYANOV KOENIG Konstantin Asmolov KORYBKO KORZUN Krum Velkov Larry Chin Laurent Gerra lavr LAVROV Le Monde LE PARISIEN Le Saker Francophone LENDMAN Lionel Shriver LOFGREN LVOV MACMILLAN macron Maidan Makia Freeman MANLIO Manlio Dinucci Manlio Dinucci - Manuel Ochsenreiter Marco Cassiano MARCUS WEISGERBER MARGARET KIMBERLEY Margarita Simonyan MARIA ZAKHAROVA Mark Citadel Mark Taliano Markus Frohnmaier Martin Berger Martin Hurkes MARUSEK MARY BETH SULLIVAN Matt Agorist Matt Peppe MATTEO rRENZI MATTHEW COLE MATTHEW JAMISON MCLAUGHLIN MÉLENCHON MELKULANGARA BHADRAKUMAR MERCOURIS MEU COMENTÁRIO MEYSSAN MICHAEL AVERKO Michael Brenner Michael Hudson MICHAEL JABARA CARLEY Michael S. Rozeff Michael T. Klare Michel Raimbaud Middle East MIG video mike harris Mike Whitney militarized budget MINA Mint Press News MintPressNews MIRANDA Misión Verdad MKULTRA Mohamed Mokhtar Qandiel MOHMAND Montenegro MOON OF ALABAMA moonofalabama MOST DAMAGING WIKILEAKS NÃO À GUERRA NÃO À NATO national archives NATO NEO NEWS DESK Nicholas Nicholaides Nick Turse NIKANDROV nikki haley Nile Bowie NISSANI NO WAR NO NATO NORMAN SOLOMON NORTH KOREA NOVOROSSIA novorussia nuclear NYTIMES obama obamas Oliver Stone Olivier Renault ONU ORLOV OSCAR FORTIN PALESTINE Palestinians PANDORA TV PARRY Patrick Iber Patrick J. Buchanan Patrick Martin PAUL CRAIG ROBERTS Paul Fitzgerald Paul R. PILLAR Paul Street PAYE PCR Pedro Bustamante pedrógão grande PEPE ESCOBAR Peter Dale Scot Peter Dale Scott Peter Koenig PETER KORZUN PETRAS Ph.D Phil Butler PICCARD Pierre Farge PILGER PISKORSKI PODESTA POLISH Pope Francis PORTUGUESE PRAVDA prc PRESTON JAMES Prof Michel Chossudovsky Prof Rodrigue Tremblay Project Veritas Público PUTIN PUTIN/TRUMP Putin/Trump meeting PYOTR ISKENDEROV Queen Elizabeth Rajan Menon Raphaël Meyssan rebecca gordon Redmayne-Titley RELAX remote viewing Rep. Ron Paul réseau Réseau International Réseau Voltaire Réseau Voltaire: Revue Défense Nationale Ricardo Vaz RICHARD DOLAN Richard Galustian Richard Labévière Richard Spencer Rick Sterling Rob Urie Robert Bridge Robert F. Kennedy Jr Robert J. Burrowes Robert J. O’Dowd Robert Maginnis Robert Mueller Robert O’Dowd ROBERT PARRY robert steele ROBERTS rof. Mohssen Massarrat ROLAND Roland San Juan blog ROMANIA PROTESTS ROMANIAN Ron Aledo RON PAUL Ron Paul Institute rothschild RT Rudolph Giuliani RUDY GIULIANI Russia feed RUSSIA TODAY russiafeed russiagate RUSSIAN Russian Insider Russie politics Russka RUSSOPHILE Ryan Dawson Ryan Gallagher Salman Rafi Sheikh sana sanders SANTOS SILVA Sarah Abed SCAHILL SCOTT Scott Humor Sean Adl-Tabatabai SERGEY LAVROV sessions Seth Ferris SETH RICH SHAKDAM Shawn Hamilton SHEIKH sic sic notícias SIMON PARKES Smith & Wesson SNOWDEN SNYDER Sophie & Co Soros SOUTH FRONT South Korea SOUTHFRONT Space Daily SPANISH speech GERMAN MP Speer-Williams Sputinik sPUTNICK SPUTNIK STACHNIO Stanislav Petrov State of the Nation STEPHEN KARGANOVIC Stephen Kinzer Stephen Lendman Steve Pieczenik STEVE PIECZENIK: Steve Robertson Steven MacMillan STONE STORM CLOUDS GATHERING StormCloudsGathering.com Strategic Culture STRATTON STRYKER Sunagawa Syria T.J. COLES TAKEHON TALIANO TASS TED RALL TEREHOV the The Anti-Media the coming storm The deeper state The Duran THE INTERCEPT THE SAKER the true activist THERAPEOFJUSTICE Thierry Meyssan Third Presidential Debate Tillerson tom dispatch TOM ELEY Tom Engelhardt Tom Feeley TOM JOAD TomDispatch TOMGRAM Tony Cartalucci trees True Activist TrueActivist.com trump TSUKANOVA TTIP TURKEY TYLER DURDEN Udo Ulfkotte Ukrainian Deserter USA USA ELECTION USA ELECTIONS USA USE OF CHEMICAL WEAPONS VALDAI Valentin Vasilescu Van AUKEN Vanessa Beeley VASILESCU Vault 7 Veteran Intelligence Professionals for Sanity VETERANS TODAY VETERNAS TODAY Victory Day video VIDEO. videos VIETNAM VETERANS Viktor Mikhin VITALY CHURKIN Vladimir Chizhov Vladimir Safronkov Vladimir Terehov VLTCHEK VT Waking Times WANTA war Washingtons blog WAYNE MADSEN WENDY WOLFSON – KEN LEVY WESTBERG Westmoreland WHITEHEAD Whitney Webb WIKILEAKS Wikispooks William Blum WOODS world beyond war world cup 2018 XI JIMPING Xi Jinping Yameen Khan Yanis Varoufakis YEMEN Youssef A. Khaddour ZAKHAROVA ZÉ GERALDO ZEROHEDGE ZUESSE