PREVIOUS FREE PAGES BLOG

PREVIOUS FREE PAGES BLOG
DIPLOMATIC FREE PAGES - click image

Saturday, June 24, 2017

Thierry Meyssan -- Ajustes no Médio-Oriente

Ajustes no Médio-Oriente

Enquanto os Estados do Médio-Oriente Alargado se dividem entre partidários e adversários do clericalismo, Washington, Moscovo e Pequim negoceiam uma nova orientação. Thierry Meyssan avalia o impacto deste tremor de terra sobre os conflitos palestino, sírio-iraquiano e iemenita.
 | DAMASCO (SÍRIA)  
JPEG - 31.5 kb
A crise diplomática em torno do Catar congelou diversos conflitos regionais e mascarou as tentativas de resolução de alguns outros. Ninguém sabe quando terá lugar o levantar da cortina, mas tal deverá fazer surgir uma região profundamente transformada.

1— O conflito palestiniano

Desde a expulsão da maioria dos Palestinianos das suas casas (a Nakhba, a 15 de Maio 1948) e a recusa pelos povos árabes desta limpeza étnica, apenas a paz separada israelo-egípcia dos Acordos de Camp David (1978) e a promessa de uma «solução de dois Estados» dos acordos de Oslo (1993) mudaram parcialmente a situação. No entanto, quando foram reveladas as negociações secretas entre o Irão e os Estados Unidos, a Arábia Saudita e Israel decidiram, por seu lado, negociar. Após 17 meses de reuniões secretas, foi concluído um acordo entre o Guardião das Duas Mesquitas e o Estado judeu [1]. Este concretizou-se através da participação do Tsahal na guerra do Iémene [2] e a transferência de bombas atómicas tácticas [3].
Lembremos que este acordo previa, igualmente, fazer evoluir a Arábia Saudita de modo que embora a sua sociedade permanecesse salafista as suas instituições se tornassem laicas. Previa também a independência do Curdistão Iraquiano (que irá realizar um referendo em Setembro) e, ao mesmo tempo, tanto a exploração dos campos de gás do «Quarto Minguante» (que estão a cavalo sobre a Arábia e o Iémene, daí a guerra actual) como os do Ogaden (daí a retirada, esta semana, das tropas catarianas da fronteira do Djibuti).

Por fim, o Egipto decidiu ceder as ilhas de Tiran e de Sanafir à Arábia Saudita, tal como havia prometido há um ano atrás. Ao fazê-lo, Riade reconheceu de facto os Acordos de Camp David, que incluem, nomeadamente, a gestão do status destes territórios. Israel confirmou ter obtido garantias sauditas (quanto ao direito de livre navegação- ndT).
Observemos que a decisão egípcia não foi tomada sob pressão saudita (Riade havia em vão bloqueado os seus fornecimentos de petróleo, depois um empréstimo de 12 mil milhões de dólares), mas, antes por causa da crise do Golfo. Os Saud oficializaram a sua ruptura com os Irmãos Muçulmanos, a qual vinha fermentando desde a transmissão pelo Presidente al-Sissi de documentos atestando um projecto de Golpe de Estado de certos membros da Irmandade contra eles. Primeiro, a Arábia pensara poder distinguir entre bons e maus Irmãos. Ela já tinha acusado o Catar de apoiar os putschistas, mas as coisas tinham acabado por evoluir pacificamente dessa vez. Agora, Riade entende combater toda a Irmandade o que a leva a rever a sua posição a propósito da Síria.
A entrega destas ilhas, egípcias desde a Convenção de Londres de 1840, não tem outro senso senão o de permitir à Arábia Saudita reconhecer implicitamente, 39 anos mais tarde, os Acordos de paz egípcio-israelitas de Camp David.
Por seu lado, Teerão acolheu a direcção política do Hamas (a qual é composta sobretudo por Irmãos Muçulmanos), quer em nome da solidariedade com a causa palestina, como porque partilha a mesma concepção de “islão político”.
A próxima etapa será o estabelecimento de relações comerciais públicas entre Riade e Telavive, tal como revela o The Times, de 17 de Junho (empresas israelitas seriam autorizadas na Arábia Saudita e companhia de aviação El-Al poderia utilizar o espaço aéreo saudita) [4], depois o reconhecimento da iniciativa de paz do príncipe Abdallah (Liga Árabe, 2002) e o estabelecimento de relações diplomáticas (o príncipe Walid ben Talal viria a ser o embaixador indicado) [5].
Este projecto poderá levar à paz na Palestina (reconhecimento de um Estado palestino e indemnização dos refugiados), no Líbano (retirada das quintas de Shebaa) e na Síria (paragem do apoio aos jiadistas e retirada do Golã).
A questão do Golã será particularmente difícil porque o governo Netanyahu afirmou ---não sem provocação--- que iria proceder à sua anexação, enquanto os EUA e a Rússia reagiram violentamente à expulsão da Força de Interposição das Nações Unidas encarregada de observar o armistício ( UNDOF) e à sua substituição pela Alcaida [6]. Não é entretanto impossível que, no decurso da guerra na Síria, Washington ou Moscovo tenham tomado o compromisso junto a Telavive de não modificar o status quo do Golã.
Este projecto de regulação geral reflecte o método de acção à homem de negócios de Donald Trump e Jared Kushner: criar uma situação económica que imponha uma mudança política. Ele irá seguramente chocar com a oposição da Irmandade Muçulmana (Hamas) e do triângulo do “islão político”: o Irão, o Catar e a Turquia.

2— O conflito sírio-iraquiano

A totalidade dos actores da região concordam em considerar que, hoje em dia, o Iraque e a Síria formam um único campo de batalha. Contudo os Ocidentais, os quais se agarram às mentiras da Administração Bush Jr. (mesmo quando admitem a insanidade das armas de destruição maciça atribuídas a Saddam Hussein) e à narrativa romântica das «Primaveras Árabes» (mesmo quando reconhecem que este movimento jamais tentou trazer qualquer liberdade, mas, antes pelo contrário, impor o “islão político”), teimam em considerá-las como distintas.
Dirijo os nossos leitores para o meu livro Sous nos yeux («Sob os nossos olhos. Do 11 de Set. a D. Trump»- ndT) no que respeita à maneira como a guerra começou [7]. Desde o início da crise em torno do Catar, a guerra no Iraque e na Síria tem-se limitado sempre à
- (1) luta contra o Daesh (Mossul e Rakka) e
- (2) contra a Turquia (Baachiqa e Al-Bab) [8].
O que é evidente para todos na região é que, desde a subida ao Poder do Presidente Xi Jinping, portador do projecto das duas «Rotas da Seda», Washington pressionou para a criação de um «Sunistão» a cavalo sobre o Iraque e a Síria. Para conseguir isso, financiou, armou e enquadrou o Daesh(E.I.) afim de cortar o eixo de comunicação Beirute-Damasco-Bagdade-Teerão-Pequim.
Desde há quatro meses, a Administração Trump estuda e negoceia a maneira como poderá modificar esta política e concluir uma parceria com Pequim em vez da confrontação actual [9].
Enquanto no terreno se encandeiam acontecimentos contraditórios, os Exércitos iraquiano e sírio, subitamente, avançaram bastante rápido após o início da crise em torno do Catar. Eles libertaram territórios fronteiriços das mãos do Daesh (E.I.) e estão, actualmente, à beira de concluir a sua junção (quer dizer, de restabelecer a Rota da Seda). Os dois Exércitos estão apenas separados por duzentos metros de terra controlados ilegalmente pelo Exército dos EUA [10].
Quanto aos combates no sul da Síria, miraculosamente pararam. Um cessar-fogo foi declarado unilateralmente por Damasco em Deraa. Na realidade, Moscovo e Washington deram a garantia a Telavive que a Síria só deixaria colocar na sua fronteira tropas russas e não iranianas, e muito menos as do Hezbolla libanês.
Em suma, se o Pentágono seguir as ordens da Casa Branca, o conflito deverá em grande parte cessar. Apenas restaria a ocupação turca do Iraque e da Síria, dentro do modelo da ocupação turca de Chipre, à qual a União Europeia se acomodou. Os Estados Unidos e a Arábia Saudita que eram inimigos do Iraque e da Síria iriam tornar-se seus aliados de novo.

3— O conflito iemenita

Os Iemenitas poderiam vir a pagar os custos da evolução actual. Embora seja claro que a Arábia Saudita entrou em guerra para instalar um governo favorável à exploração conjunta dos campos petrolíferos no «Quarto Minguante» e pela vaidade pessoal do Príncipe Mohamed Ben Salman, parece que a ajuda prestada pelo Irão aos Hutis e ao antigo Presidente Saleh desvia o olhar dos países árabes e da «comunidade internacional» dos crimes que lá se cometem.
É preciso, com efeito, escolher o seu campo, e quase todos optaram pela Arábia Saudita contra o Catar e seus aliados turco e iraniano. O que será positivo na Palestina, no Iraque e na Síria, revela-se negativo no Iémene.

Conclusão

Desde 5 de Junho e da ruptura de relações diplomáticas entre Riade e Doha, todas as chancelarias se preparam para uma possível guerra, mesmo se apenas a Alemanha a evocou publicamente. Esta situação é tanto mais surpreendente quando é o Catar e não a Arábia Saudita que é o observador na OTAN [11].
Demissões em cadeia sucedem-se em Doha, da embaixatriz dos Estados Unidos, Dana Shell Smith, ao selecionador da equipa nacional de futebol, Jorge Fossati. Não só os Estados alinhados com Riade cortaram relações comerciais com o Emirado, como, também, inúmeras empresas sem vínculos particulares com o Golfo fizeram o mesmo, tendo em vista o risco de guerra. É o caso, por exemplo, da COSCO, a maior companhia marítima chinesa.
Seja como for, apesar das suas justificadas reivindicações históricas, parece impossível que a Arábia Saudita anexe o Catar quando ela se havia oposto à anexação do Kuweit pelo Iraque, pelas mesmas razões. Uma regra impôs-se no mundo desde a descolonização britânica: ninguém tem o direito a tocar nas fronteiras concebidas por Londres, com o único e exclusivo objectivo de conservar problemas insolúveis para os novos Estados. Desta maneira, Londres mantém de facto a perpétua dependência deles a seu respeito. Além disso, a próxima chegada de 43.000 soldados paquistaneses e turcos vindos para defender o Catar deverá reforçar a sua posição.
Tradução
Alva
[1] “Exclusivo : Os projectos secretos de Israel e da Arábia Saudita”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 22 de Junho de 2015.
[2] “A Força «árabe» de Defesa comum”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 20 de Abril de 2015.
[3] “O Próximo-Oriente nuclearizado!”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 7 de Março de 2016.
[4] “Saudi trade talks with Israel are historic first” («Históricas primeiras conversações comerciais Sauditas com Israel»- ndT), Michael Binyon & Gregg Carlstrom, The Times, June 17th, 2017.
[5] “Exclusivo : A Arábia Saudita constrói uma embaixada em Israel”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 29 de Maio de 2016.
[6] « Le Conseil de sécurité s’apprête à enjoindre à Israël de rompre avec al-Qaïda », par Thierry Meyssan, Réseau Voltaire, 2 juillet 2016.
[7Sous nos Yeux. Du 11-Septembre à Donald Trump («Sob os nossos Olhos. Do 11 de Setembro a D. Trump»- ndT), éditions Demi-Lune, 2017.
[8] « Invasion militaire turque de l’Irak », par Ibrahim Al-Jaafari, Réseau Voltaire, 19 octobre 2016.
[9] “Trump : o negócio em vez da guerra”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 15 de Fevereiro de 2017.
[10] “Irão os EUA impedir a reabertura da Rota da Seda?”, Tradução Alva, Rede Voltaire, 18 de Junho de 2017.
[11] “Israel e os emires dentro da Otan”, Manlio Dinucci, Tradução José Reinaldo Carvalho , Il Manifesto (Itália) , Rede Voltaire, 13 de Maio de 2016.
Este artigo encontra-se sob licença creative commons
Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

No comments:

Post a Comment

URGENT IMPORTANT -- FINANCIAL ASSISTANCE NEEDED FOR A YOUNG BOY 14 Y OLD WITH BRAIN CANCER

Dear Friends,

I have never asked any money/donations for myself in my blogs (400) but this is an exceptional emergency. Please help the best you can to assist Isabelle, our French Coordinator, to alleviate as much as possible her step son's health condition.



You can donate through Kees De Graaff

Type your recurring amount here:


PayPal


The email address connected with Kees Paypal account is keesdegraaff@gmail.com

Many thanks from the heart to all of you.



Manlio Dinucci


SUBTITLES -- EN, FR, IT, PT, TR

SI VOUS VOULEZ TRADUIRE LES RAPPORTS DE MANLIO DINUCCI D'ANGLAIS, FRANÇAIS OU ITALIEN DANS VOTRE LANGUE MATERNELLE, SVP VEUILLEZ DEMANDER À

IF YOU WANT TO TRANSLATE MANLIO DINUCCI'S REPORTS FROM ENGLISH, FRENCH OR ITALIAN,INTO YOUR NATIVE LANGUAGE KINDLY CONTACT

luisavasconcellos2012@gmail.com

PUTIN FRENCH



2017 FSB Meeting - RO from Roberto Petitpas on Vimeo.

BOTH VIDEOS AVAILABLE IN ENGLISH,FRENCH, ROMANIAN, PORTUGUESE

PRESIDENT





Labels

21st Century Wire A BRAMERTON A. Orlov Abayomi Azikiwe ABIZAID ABOGADOS ABOGADOS PROGRESISTAS DE ESPAÑA Acción secreta activism Adam GArrie Ajamu Baraka AL-ASSAD AL-HUSAINI Aleksandar PAVIC alex gorka Alex Lantier Alexander Azadgan ALEXANDER COCKBURN ALEXANDER DUGIN ALEXANDER KUZNETSOV Alexandra Bruce Alexandre Artamonov Alexandre Cazes ALEXIS Alfred McCoy Ambrose Evans-Pritchard an Greenhalgh Ana de Sousa Dias ANA SOUSA DIAS ANASTASOV Anatol Lieven Andre Vltchek ANDREI AKULOV Andrew Griffin Andrew Korybko Andrew P. Napolitano Andrey Afanasyev animals Ann Diener Ann Wright Anna Hunt ANNA KURBATOVA Anna Von Reitz Anne Speckhard Ph. D. Anne Speckhard PH. D ANONYMOUS PATRIOTS Anti-Media News Desk Antony C. Black ap APEC aRABIC ARAM MIRZAEI Ariel Noyola Rodríguez ARJUN WALIA Asaf Durakovic Asma Assad ASMOLOV ASSANGE AUTOPSY Avelino Rodrigues AVNERY BAKER balfour bankers BAOFU barcelona Barrett Brown Bashar al-Assad Baxter Dmitry BECKER Before it's News BEGLEY BERGER BILL SARDI Binoy Kampmark BOGDANOV Brazilian BRENNAN BRIAN CLOUGHLEY Bruce Cagnon Bruce Gagnon BULGARIAN Bush family BUTLER By Jack Heart & Orage By Prof Michel Chossudovsky CABRAS Captagon Carey Wedler Carla Stea CAROL ADL CARTALUCCI CATALUNHA Catherine Austin Fitts CATHY O'BRIEN cats Chelsea Manning Choice and Truth Chossudovsky Chris Cole CHRIS HEDGES Christopher Black CIA Claire Bernish clinton Collective Evolution Comunidad Saker Latinoamérica COOK Corey Feldman cost of war counterpunch Covert Action Craig McKee CROATIAN CUNNINGHAM CURENT CONCERNS CURRENT CONCERNS Daniel Lazare Daniel McCARTHY Daniele Ganser DANSK Darius Shahtahmasebi DARK JOURNALIST DARK JOURNALISTt DAVE WEBB DAVID HOROVITZ David Lemire David STERN David Swanson DAVIDSWANSON DEAN Dean Henderson Deena Stryker Defense Pact Denali Deutsch DINNUCI DIPLOMACY Dmisa Malaroat DMITRIY SEDOV Dmitry Minin Domenico Losurdo Donald Trump doni DONINEWS Dr. Kevin Barrett DUFF DUGIN e-commerce Ed Dames EDITOR'S CHOICE EDWARD SNOWDEN El Periodico Eliason ELISABETE LUIS FIALHO Eliseo Bertolasi EMMONS endgahl ENGDAHL English Eric S. Margolis Eric Zuesse ESCOBAR EUROPE Eva Bartlett Evan at Fight for the Future Evgeny Baranov F. William Engdahl FANG Farage farewell address FBI FEDERICO PIERACCINI Felicity Arbuthnot FERRIS Field McConnell finance Finian Cunningham Follhas FORBIDDEN KNOWLEDGE TV forbidden nowledge Foster Gamble four horsemen Fr. Andrew Phillips FRANCESCA CHAMBERS Francesco Colafemmina Freeman FRENCH FRISK FULFORD Fuller G20 G20 SUMMIT GALLAGHER Gareth Porter GARY NORTH General Flynn George Gallanis GERMAN GERMANOS Gilad Atzmon Gilbert Doctorow Glen Greenwald Glenn Greenwald GLOBAL RESEARCH global warming GMO GMOS GORDON GORDON DUFF Graham E. Fuller Graham Vanbergen GRAZIA TANTA GREENHALGH GREENWALD Greg Hunter Gregory Copley GRETE MAUTNER GUEST CONTRIBUTORS GUNNAR GUTERRES HAARP HAGOPIAN Hakan Karakurt Herbert McMaster HERMAN HERNÂNI CARVALHO hill HILLARY CLINTON hollywood http://www.independent.co.uk/ http://www.northcrane.com/ http://www.salem-news.com/ http://yournewswire.com/ HUDON HUDSON Ian Greenhalgh Ian Shilling ideeCondividi INAUGURATION INCÊNDIOS INDEPENDÊNCIA Inform Clear House Internet IODINE Isaac Davis Israel ITULAIN Ivan Blot JALIFE-RAHME JAMES James A. Lucas James Comey JAMES CORBETT JAMES GEORGE JATRAS James ONeil JAMES PETRAS Jane Grey Jay Greenberg Jean Perier Jean Périer Jean-Claude Paye JEFF SESSIONS JEFFREY SMITH JEFFREY ST. CLAIR JEFFREY ST. CLAIR - ALEXANDER COCKBURN JEZEBEL JFK JILL STEIN Jim W. Dean Jimmy Carter Joachim Hagopian john McCain JOHN PILGER John Podesta John W. Whitehead JONAS E. ALEXIS Jonathan Marshall JONES Joseph Thomas JULIAN ASSANGE JULIAN ROSE Justin Raimondo KADI Kadir A. Mohmand Kadyrov kalee brown Karen Kwiatkowski Karine Bechet-Golovko KATEHON KATHEON Katherine Frisk Ken O’Keefe Kenneth P. VOGEL kerry KERRY BOLTON Kerry Cassidy Kerry Picket Kevin Barret. VT Kim Petersen KIMBERLEY KINZER KIRYANOV KOENIG Konstantin Asmolov KORYBKO KORZUN Krum Velkov Larry Chin Laurent Gerra lavr LAVROV Le Monde LE PARISIEN Le Saker Francophone LENDMAN Lionel Shriver LOFGREN LVOV MACMILLAN macron Makia Freeman MANLIO Manlio Dinucci Manlio Dinucci - Manuel Ochsenreiter Marco Cassiano MARCUS WEISGERBER MARGARET KIMBERLEY Margarita Simonyan MARIA ZAKHAROVA Mark Citadel Mark Taliano Markus Frohnmaier Martin Berger Martin Hurkes MARUSEK MARY BETH SULLIVAN Matt Agorist Matt Peppe MATTEO rRENZI MATTHEW COLE MATTHEW JAMISON MCLAUGHLIN MÉLENCHON MELKULANGARA BHADRAKUMAR MERCOURIS MEU COMENTÁRIO MEYSSAN MICHAEL AVERKO Michael Brenner Michael Hudson MICHAEL JABARA CARLEY Michael S. Rozeff Michael T. Klare Michel Raimbaud Middle East MIG video mike harris Mike Whitney militarized budget MINA Mint Press News MintPressNews MIRANDA Misión Verdad MKULTRA Mohamed Mokhtar Qandiel MOHMAND Montenegro MOON OF ALABAMA moonofalabama MOST DAMAGING WIKILEAKS NÃO À GUERRA NÃO À NATO national archives NATO NEO NEWS DESK Nicholas Nicholaides Nick Turse NIKANDROV nikki haley Nile Bowie NISSANI NO WAR NO NATO NORMAN SOLOMON NORTH KOREA NOVOROSSIA novorussia nuclear NYTIMES obama obamas Oliver Stone Olivier Renault ONU ORLOV OSCAR FORTIN PALESTINE Palestinians PANDORA TV PARRY Patrick Iber Patrick J. Buchanan Patrick Martin PAUL CRAIG ROBERTS Paul Fitzgerald Paul R. PILLAR Paul Street PAYE PCR Pedro Bustamante pedrógão grande PEPE ESCOBAR Peter Dale Scot Peter Dale Scott Peter Koenig PETER KORZUN PETRAS Ph.D Phil Butler PICCARD Pierre Farge PILGER PISKORSKI PODESTA POLISH Pope Francis PORTUGUESE PRAVDA prc PRESTON JAMES Prof Michel Chossudovsky Prof Rodrigue Tremblay Project Veritas Público PUTIN PUTIN/TRUMP Putin/Trump meeting PYOTR ISKENDEROV Queen Elizabeth Rajan Menon Raphaël Meyssan rebecca gordon Redmayne-Titley RELAX remote viewing Rep. Ron Paul réseau Réseau International Réseau Voltaire Réseau Voltaire: Revue Défense Nationale Ricardo Vaz RICHARD DOLAN Richard Galustian Richard Labévière Richard Spencer Rick Sterling Rob Urie Robert Bridge Robert F. Kennedy Jr Robert J. Burrowes Robert J. O’Dowd Robert Mueller Robert O’Dowd ROBERT PARRY robert steele ROBERTS rof. Mohssen Massarrat ROLAND Roland San Juan blog ROMANIA PROTESTS ROMANIAN Ron Aledo RON PAUL Ron Paul Institute RT Rudolph Giuliani RUDY GIULIANI Russia feed RUSSIA TODAY russiafeed russiagate RUSSIAN Russian Insider Russie politics Russka RUSSOPHILE Ryan Dawson Ryan Gallagher Salman Rafi Sheikh sana sanders SANTOS SILVA Sarah Abed SCAHILL SCOTT Scott Humor Sean Adl-Tabatabai SERGEY LAVROV sessions Seth Ferris SETH RICH SHAKDAM Shawn Hamilton SHEIKH sic sic notícias SIMON PARKES Smith & Wesson SNOWDEN SNYDER Sophie & Co Soros SOUTH FRONT South Korea SOUTHFRONT Space Daily SPANISH speech GERMAN MP Speer-Williams Sputinik sPUTNICK SPUTNIK STACHNIO Stanislav Petrov State of the Nation STEPHEN KARGANOVIC Stephen Kinzer Stephen Lendman Steve Pieczenik STEVE PIECZENIK: Steve Robertson Steven MacMillan STONE STORM CLOUDS GATHERING StormCloudsGathering.com Strategic Culture STRATTON STRYKER Sunagawa Syria T.J. COLES TAKEHON TALIANO TASS TED RALL TEREHOV the The Anti-Media the coming storm The Duran THE INTERCEPT THE SAKER the true activist THERAPEOFJUSTICE Thierry Meyssan Third Presidential Debate Tillerson tom dispatch TOM ELEY Tom Engelhardt Tom Feeley TOM JOAD TomDispatch TOMGRAM Tony Cartalucci trees True Activist TrueActivist.com trump TSUKANOVA TTIP TURKEY TYLER DURDEN Udo Ulfkotte Ukrainian Deserter USA USA ELECTION USA ELECTIONS USA USE OF CHEMICAL WEAPONS VALDAI Valentin Vasilescu Van AUKEN Vanessa Beeley VASILESCU Vault 7 Veteran Intelligence Professionals for Sanity VETERANS TODAY VETERNAS TODAY Victory Day video VIDEO. videos VIETNAM VETERANS Viktor Mikhin VITALY CHURKIN Vladimir Chizhov Vladimir Safronkov Vladimir Terehov VLTCHEK VT Waking Times WANTA war Washingtons blog WAYNE MADSEN WENDY WOLFSON – KEN LEVY WESTBERG Westmoreland WHITEHEAD Whitney Webb WIKILEAKS Wikispooks William Blum WOODS world beyond war world cup 2018 XI JIMPING Xi Jinping Yameen Khan Yanis Varoufakis YEMEN Youssef A. Khaddour ZAKHAROVA ZÉ GERALDO ZEROHEDGE ZUESSE