PREVIOUS FREE PAGES BLOG

PREVIOUS FREE PAGES BLOG
DIPLOMATIC FREE PAGES - click image

Wednesday, February 15, 2017

Brasileiro -- The Saker: Neocons e o Estado Profundo castraram a presidência Trump (atualizado 2x)



The Saker: Neocons e o Estado Profundo castraram a presidência Trump (atualizado 2x)

14.02.2016, The Saker, The Vineyard of the Saker



tradução btpsilveira





Há menos de um mês, alertei que uma “revolução colorida” estava em curso nos Estados Unidos. Meu principal elemento de prova era a assim chamada “investigação” que CIA, FBI, NSA e outras agências estavam conduzindo contra o candidato a se tornar Assessor para a Segurança Nacional do Presidente Trump, o General Flynn. Nesta noite, o plano para expulsar Flynn finalmente teve sucesso e ele ofereceu sua renúncia. Trump aceitou.

Uma coisa quero deixar bem clara desde o início: Dificilmente Flynn poderia ser visto como um homem sábio ou um santo, que poderia, sozinho, salvar o mundo. Não é. No entanto, Flyyn era a pedra angular da política de Segurança Nacional de Trump. Em primeiro lugar, Flynn ousou o impensável: ele ousou declarar que a comunidade de inteligência dos Estados Unidos, superdimensionada e inchada, tinha que ser reformada. Tentou ainda subordinar a CIA e o Estado Maior ao presidente via Conselho de Segurança Nacional. Colocado de maneira diferente, Flynn quis combater o poder incontestável até então que vem da CIA e do Pentágono e trazê-lo de volta para as mãos da Casa Branca. Além disso, queria trabalhar com a Rússia. Não porque fosse algum tipo de admirador da Rússia, a simples noção de que um diretor do DIA fosse fã de Putin é simplesmente ridícula, mas Flynn é um homem racional, ele entendeu que a Rússia não é uma ameaça para os Estados Unidos ou para a Europa e que a Rússia e o ocidente têm interesses em comum. Estas noções são um crime de pensamentoabsolutamente imperdoável na cidade de Washington, DC.

Os neocons que governam o ‘estado profundo’ forçaram Flynn a renunciar sob o pretexto imbecil de que ele teve uma conversação telefônica através de uma linha aberta, insegura e claramente monitorada, com o embaixador russo.

Pior: Trump aceitou a renúncia.

Desde que adentrou a Casa Branca, Trump tem apanhado dia após dia, aparando golpes da mídia sionista governado pelos neocons, das “estrelas” duplipensar-mas-gente-boa (doubleplusgoodthinking, no original-NT) de Hollywood e até mesmo de políticos europeus. E Trump aparou cada golpe olimpicamente, sempre devolvendo cada pancada. Nunca se ouviu o seu famoso “você está despedido!”. E eu tinha esperanças. Eu queria ter esperanças, sentia que era meu dever ter esperanças.

Agora, Trump nos traiu a todos.

Lembram-se a ocasião em que Obama nos revelou sua face verdadeira, quando denunciou seu pastor e amigo Ver. Jeremiah Wright Jr? Hoje, Trump nos mostrou sua verdadeira face. Ao invés de recusar a renúncia de Flynn e em vez de despedir aqueles que ousaram engendrar essas acusações ridículas contra Flynn, Trump aceitou a renúncia. Isso só pode ser chamado de uma covardia abjeta, e é também uma estupidez espantosa, embutindo um suicídio político porque agora, Trump está só, completamente sozinho, encarando gente como Mattis e Pence – padrões de lutadores radicais da Guerra Fria, ideológicos até o cerne, gente que quer a guerra sem se importar com a realidade.

Volto a enfatizar: Flynn não é o meu herói. Mas, por todas as medidas, era o herói de Trump. E Trump o traiu.

As consequências serão imensas. Por um lado, agora, Trump está claramente batido. OP estado profundo levou apenas três wemanas para castrare Trump e fazê-lo reverenciar os “que mandam mesmo”. Aqueles que poderiam estar na retaguarda de Trump sentirão que ele não estará na sua retaguarda e se afastarão dele. Os Neocons se sentirão encorajados com a eliminação de seu pior inimigo e baseados nessa vitória, vão pressionar mais fortemente, dobrando a aposta mais uma vez e outra, e outra...

O estado profundo venceu, pessoal. Acabou.

De agora em diante, Trump se tornará o proverbial shabbos-goy (não judeu que realiza os trabalhos proibidos aos judeus no sábado – NT), o menino de recados do lobby israelense, fazendo o trabalho sujo que Israel rejeitar. Hassan Nasrallah tinha razão ao chamá-lo de “um idiota”.

Chineses e iranianos estarão às gargalhadas. Os russos não – eles serão polidos, sorrirão, e tentarão se restará algum bom senso político que possa ser salvo do desastre. Alguma coisa poderá. Mas qualquer sonho de uma parceria entre Rússia e Estados Unidos morreu nesta noite.

Os líderes da União Europeia, claro, celebrarão. Trump não é mais o bicho papão assustador que eles temiam. Trump se tornou um capacho – muito bom para a União Europeia.

Onde seremos largados nós – os milhões de “deploráveis” anônimos que deram o melhor de si para poder resistir ao imperialismo, guerra, violência e injustiça?

Penso que teremos direito às nossas esperanças, porque isso é tudo o que nós temos – esperança. Não expectativa, apenas esperança. Neste momento, falando objetivamente, temos poucas razões para ter esperanças. Por um lado, o “pântano” que domina Washington não será drenado. Se tanto, o pântano venceu. Poderemos encontrar talvez algum consolo em dois fatos inegáveis:

1 . Hillary teria sido bem pior que qualquer versão de uma presidência Trump.

2 . Para derrotar Trump, o estado profundo teve que enfraquecer terrivelmente os Estados Unidos e o Império AngloSionista. Da mesma forma que a “limpeza” realizada por Erdogan deixou o exército turco em farrapos, a “revolução colorida” anti Trump infligiu dano considerável na reputação, autoridade e até na credibilidade dos Estados Unidos.

O primeiro fato é tão óbvio que não necessita explicações. Assim, deixem que eu esclareça o segundo. Em sua raiva odiosa contra Trump e o povo (norte)americano (também conhecido como “cesta de deploráveis”) os Neocons foram obrigados a mostrar sua verdadeira natureza. Pela sua rejeição ao resultado das eleições, por suas manifestações violentas, pela demonização de Trump, os Neocons acabaram por mostrar duas coisas cruciais: primeiro, a assim chamada democracia (norte)americana é uma piada sem graça e eles, os neocons, são um regime de ocupação que governo em oposição aos desejos do povo (norte)americano. Em outras palavras, da mesma forma que Israel, os Estados Unidos não mais Têm legitimidade. E desde que, também como Israel, os EUA já não são capazes de amedrontar seus inimigos, basicamente nada mais têm, nem legitimidade, nem capacidade de coerção. Então, sim, os neocons venceram. Mas sua vitória está removendo a última oportunidade que os Estados Unidos tinham de evitar um colapso.

Trump, apesar de todas as suas falhas, quer favorecer os Estados Unidos como país, prevalecendo sobre o Império Global. Além disso, ele parece estar dolorosamente consciente de que “mais do mesmo” não é uma opção. Ele quer políticas compatíveis com as atuais possibilidades dos EUA. Com Flynn abandonando o campo de luta e com os neocons no comando – isso acabou. Neste instante estamos à mercê das ideologias e desprezando a realidade.

Trump provavelmente poderia ter tornado os EUA, senão “grandes novamente”, pelo menos outra vez forte, uma potência mundial de primeira linha que poderia negociar e usar o trunfo de sua influência para conseguir os melhores acordos possíveis com os outros. Isso agora acabou. Com Trump no chão, Rússia e China voltam diretamente para o nível em que estavam antes de Trump: uma resistência decidida baseada na vontade férrea e na habilidade/capacidade de confrontar e derrotar os EUA em qualquer nível.

Tenho certeza que ninguém está comemorando, no Kremlin. Putin, Lavrov e outros com certeza sabem exatamente e entendem o que aconteceu. É como se Khodorkovski tivesse derrotado Putin em 2003. De fato, tenho que dar o devido crédito aos analistas russos que por várias semanas já estavam comparando Trump com Yanukovich, que também foi eleito pela maioria da população e que falhou em mostrar a determinação necessária para interromper a “revolução colorida” que se iniciava contra ele. Mas se Trump agora está parecendo Yanukovich, os Estados Unidos eventualmente se tornarão a próxima Ucrânia?

Flynn era ainda mais que a pedra angular da tão esperada política externa de Trump. Era a chance real de dominar as grandes, duras e incrivelmente poderosas agências de três letras dos Estados Unidos, e focar então o poderio da nação contra seu inimigo real: os wahabis. Com Flynn fora de cena, todo esse edifício conceitual desaba. Estamos partindo para ficar nas mãos de gente como Mattis e seus discursos anti-iranianos. Palhaços tentando impressionar outros palhaços.

Hoje, a vitória dos neocons sobre Trump e Flynn é um grande evento e provavelmente será apresentado de maneira distorcida pela imprensa oficial. Ironicamente, os apoiadores de Trump tentarão minimizar o acontecido. Mas a realidade é que a não ser que aconteça um improvável milagre de última hora, Trump está finalizado e também as esperanças de milhões de pessoas nos EUA e no resto do mundo que tinham a esperança de que os neocons poderiam ser barrados e colocados para fora do poder através de eleições pacíficas. Claramente, isso não vai acontecer.

Vejo grandes nuvens negras surgindo no horizonte.

The Saker



UPDATE1: Quero enfatizar uma coisa importante: o desastre real não é tanto sobre o fato de que Flynn está fora, mas sobre o que significa para a análise do caráter (ou falta dele) de Trump essa rendição aos neocons. Pergunte a você mesmo – depois do que aconteceu com Flynn, você colocaria a mão no fogo por Trump?

UPDATE2: Exatamente como previ, os neocons estão comemorando e, claro, dobrando a aposta:






No comments:

Post a Comment

PUTIN FRENCH



2017 FSB Meeting - RO from Roberto Petitpas on Vimeo.

BOTH VIDEOS AVAILABLE IN ENGLISH,FRENCH, ROMANIAN, PORTUGUESE

PRESIDENT





Labels

A BRAMERTON A. Orlov Abayomi Azikiwe ABIZAID ABOGADOS ABOGADOS PROGRESISTAS DE ESPAÑA Acción secreta activism Ajamu Baraka AL-ASSAD AL-HUSAINI Aleksandar PAVIC alex gorka Alex Lantier Alexander Azadgan ALEXANDER DUGIN ALEXANDER KUZNETSOV Alexandra Bruce Alexandre Artamonov ALEXIS Ambrose Evans-Pritchard an Greenhalgh Ana de Sousa Dias ANA SOUSA DIAS ANASTASOV Anatol Lieven Andre Vltchek ANDREI AKULOV Andrew Griffin Andrew Korybko Andrew P. Napolitano Andrey Afanasyev animals Ann Diener Ann Wright Anne Speckhard Ph. D. Anne Speckhard PH. D aRABIC ARAM MIRZAEI Ariel Noyola Rodríguez Asaf Durakovic Asma Assad ASMOLOV ASSANGE Avelino Rodrigues AVNERY BAKER bankers BAOFU Bashar al-Assad Baxter Dmitry BECKER Before it's News BEGLEY BERGER BILL SARDI Binoy Kampmark BOGDANOV Brazilian BRENNAN BRIAN CLOUGHLEY BULGARIAN BUTLER CABRAS Carey Wedler CAROL ADL CARTALUCCI CATHY O'BRIEN cats Chelsea Manning Choice and Truth Chossudovsky Chris Cole CHRIS HEDGES Christopher Black CIA Claire Bernish clinton Collective Evolution Comunidad Saker Latinoamérica COOK Covert Action Craig McKee CUNNINGHAM Daniel Lazare Daniel McCARTHY Daniele Ganser DANSK Darius Shahtahmasebi DARK JOURNALIST DARK JOURNALISTt DAVID HOROVITZ David Lemire David STERN David Swanson DEAN Deena Stryker Deutsch DINNUCI DIPLOMACY Dmisa Malaroat DMITRIY SEDOV Dmitry Minin Domenico Losurdo Donald Trump doni DONINEWS Dr. Kevin Barrett DUFF DUGIN EDITOR'S CHOICE EDWARD SNOWDEN Eliason Eliseo Bertolasi EMMONS endgahl ENGDAHL Eric S. Margolis Eric Zuesse ESCOBAR EUROPE Evan at Fight for the Future F. William Engdahl FANG Farage farewell address FEDERICO PIERACCINI FERRIS Finian Cunningham FORBIDDEN KNOWLEDGE TV forbidden nowledge Foster Gamble four horsemen Fr. Andrew Phillips FRANCESCA CHAMBERS Francesco Colafemmina Freeman FRENCH FRISK FULFORD Fuller G20 SUMMIT GALLAGHER Gareth Porter GARY NORTH General Flynn George Gallanis GERMAN GERMANOS Gilad Atzmon Gilbert Doctorow Glenn Greenwald GLOBAL RESEARCH GORDON GORDON DUFF Graham E. Fuller GREENHALGH GREENWALD Greg Hunter Gregory Copley GRETE MAUTNER GUEST CONTRIBUTORS GUNNAR GUTERRES HAGOPIAN Hakan Karakurt Herbert McMaster HERMAN hill HILLARY CLINTON http://www.independent.co.uk/ http://www.northcrane.com/ http://www.salem-news.com/ http://yournewswire.com/ HUDON HUDSON ideeCondividi INAUGURATION Inform Clear House Internet IODINE ITULAIN Ivan Blot JALIFE-RAHME JAMES James Comey JAMES CORBETT JAMES GEORGE JATRAS James ONeil JAMES PETRAS Jane Grey Jay Greenberg Jean Perier Jean Périer Jean-Claude Paye JEFFREY SMITH JEZEBEL JILL STEIN Jim W. Dean Joachim Hagopian john McCain JOHN PILGER John Podesta John W. Whitehead JONAS E. ALEXIS Jonathan Marshall JONES Joseph Thomas JULIAN ASSANGE KADI Kadir A. Mohmand Kadyrov kalee brown Karen Kwiatkowski Karine Bechet-Golovko KATEHON KATHEON Katherine Frisk Ken O’Keefe Kenneth P. VOGEL KERRY BOLTON Kerry Cassidy Kerry Picket Kevin Barret. VT Kim Petersen KIMBERLEY KINZER KIRYANOV KOENIG Konstantin Asmolov KORYBKO KORZUN Krum Velkov Larry Chin Laurent Gerra lavr LAVROV Le Saker Francophone LENDMAN Lionel Shriver LOFGREN LVOV MACMILLAN Makia Freeman Manlio Dinucci Manlio Dinucci - Manuel Ochsenreiter Marco Cassiano MARCUS WEISGERBER MARGARET KIMBERLEY MARIA ZAKHAROVA Mark Citadel Mark Taliano Markus Frohnmaier Martin Berger MARUSEK Matt Peppe MATTEO rRENZI MATTHEW COLE MATTHEW JAMISON MCLAUGHLIN MÉLENCHON MELKULANGARA BHADRAKUMAR MERCOURIS MEYSSAN MICHAEL AVERKO Michael Brenner Michael Hudson MICHAEL JABARA CARLEY Michael S. Rozeff Michael T. Klare Middle East MIG video Mike Whitney MINA Mint Press News MintPressNews MIRANDA Misión Verdad MKULTRA Mohamed Mokhtar Qandiel MOHMAND Montenegro MOON OF ALABAMA moonofalabama MOST DAMAGING WIKILEAKS NATO NEO NEWS DESK Nicholas Nicholaides Nick Turse NIKANDROV Nile Bowie NISSANI NOVOROSSIA novorussia obama obamas Olivier Renault ONU ORLOV OSCAR FORTIN PALESTINE PARRY Patrick J. Buchanan Patrick Martin PAUL CRAIG ROBERTS Paul Fitzgerald Paul R. PILLAR Paul Street PAYE PCR Pedro Bustamante PEPE ESCOBAR Peter Dale Scot Peter Dale Scott Peter Koenig PETER KORZUN PETRAS Ph.D Phil Butler PICCARD Pierre Farge PILGER PISKORSKI PODESTA Pope Francis PORTUGUESE PRAVDA prc PRESTON JAMES Prof Michel Chossudovsky Prof Rodrigue Tremblay Project Veritas PUTIN PYOTR ISKENDEROV Queen Elizabeth Rajan Menon Raphaël Meyssan rebecca gordon Redmayne-Titley RELAX réseau Réseau International Réseau Voltaire Réseau Voltaire: Revue Défense Nationale Ricardo Vaz RICHARD DOLAN Richard Galustian Richard Labévière Richard Spencer Rick Sterling Rob Urie Robert Bridge Robert J. Burrowes Robert J. O’Dowd Robert O’Dowd ROBERT PARRY robert steele ROBERTS rof. Mohssen Massarrat ROLAND Roland San Juan blog ROMANIA PROTESTS ROMANIAN Ron Aledo RON PAUL RT Rudolph Giuliani RUDY GIULIANI RUSSIA TODAY RUSSIAN Russian Insider Russie politics Russka RUSSOPHILE Ryan Dawson Ryan Gallagher Salman Rafi Sheikh sana sanders SANTOS SILVA SCAHILL SCOTT Scott Humor Sean Adl-Tabatabai SERGEY LAVROV Seth Ferris SHAKDAM Shawn Hamilton SHEIKH SIMON PARKES Smith & Wesson SNOWDEN SNYDER Sophie & Co Soros SOUTH FRONT SOUTHFRONT SPANISH speech GERMAN MP Speer-Williams Sputinik sPUTNICK SPUTNIK STACHNIO State of the Nation Stephen Kinzer Stephen Lendman Steve Pieczenik STEVE PIECZENIK: STONE STORM CLOUDS GATHERING StormCloudsGathering.com Strategic Culture STRATTON STRYKER Sunagawa Syria TAKEHON TALIANO TASS TEREHOV The Anti-Media THE INTERCEPT THE SAKER the true activist THERAPEOFJUSTICE Thierry Meyssan Third Presidential Debate Tillerson tom dispatch TOM ELEY Tom Engelhardt Tom Feeley TOM JOAD TomDispatch TOMGRAM Tony Cartalucci True Activist TrueActivist.com trump TSUKANOVA TTIP TURKEY TYLER DURDEN Udo Ulfkotte Ukrainian Deserter USA ELECTION USA ELECTIONS Valentin Vasilescu Van AUKEN Vanessa Beeley VASILESCU Vault 7 Veteran Intelligence Professionals for Sanity VETERANS TODAY VETERNAS TODAY video videos VIETNAM VETERANS Viktor Mikhin VITALY CHURKIN Vladimir Chizhov Vladimir Safronkov VLTCHEK VT Waking Times WANTA Washingtons blog WAYNE MADSEN WESTBERG Westmoreland WHITEHEAD Whitney Webb WIKILEAKS Wikispooks William Blum WOODS world cup 2018 Xi Jinping YEMEN Youssef A. Khaddour ZAKHAROVA ZÉ GERALDO ZEROHEDGE ZUESSE