PREVIOUS FREE PAGES BLOG

PREVIOUS FREE PAGES BLOG
DIPLOMATIC FREE PAGES - click image

TRIBUTE TO A PRESIDENT

Tuesday, September 27, 2016

Thierry Meyssan -- Porque o cessar-fogo falhou na Síria

O público ocidental entusiasmou-se com o cessar-fogo russo-americano na Síria e acreditou que ele podia trazer a paz. Ora, isto é não ter nenhuma memória do início da guerra e nada compreender sobre as motivações que ela visa. Explicações…
 | DAMASCO (SÍRIA)  

JPEG - 48.7 kb
Donbass-Levante : duas guerras com um mesmo objectivo. Encarregue de cortar a «nova rota da seda» que deve passar pela Sibéria e chegar à União Europeia via Ucrânia, o Presidente Petro Porochenko veio, a 21 de Setembro, repetir no Conselho de Segurança a propaganda anglo-saxónica a propósito da guerra contra a Síria e o Iraque, esta visando cortar o traçado da «Rota da Seda» histórico.
O cessar-fogo na Síria só durou a semana do Aïd. Foi a enésima vez desde a assinatura da paz entre os Estados Unidos e a Rússia. Este não durou mais que a tal paz, e que os precedentes.
Recordemos os factos: a 12 de Dezembro de 2003, o Presidente George W. Bush assinava uma declaração de guerra à Síria, o Syrian Accountability Act. Após uma série de tentativas para iniciar as hostilidades (cimeira da Liga Árabe de 2004, assassinato de Rafic Hariri em 2005, guerra contra o Líbano em 2006, criação da Frente de Salvação em 2007, etc.), as Forças Especiais do EU passaram à ofensiva, no início de 2011, dedicando-se a montar uma encenação visando fazer crer numa «revolução» interior. Após dois vetos no Conselho de Segurança pela Rússia e pela China, os Estados Unidos aceitavam uma negociação de paz em Genebra, que assinaram na ausência das partes sírias, a 30 de Junho de 2012.
Primeira nota : 
Aqueles que pretendem que o actual conflito não é o resultado de uma agressão externa, mas antes uma «guerra civil», não conseguem explicar as consequências da declaração de guerra à Síria pelo Presidente Bush em 2003, nem porque a paz de 2012 foi assinada pelas grandes potências sem a presença de qualquer Sírio.
Desde a assinatura da paz, há quatro anos, a guerra recomeçou, apesar das múltiplas tentativas de pacificação negociadas, cara a cara, pelo Secretário de Estado John Kerry e pelo seu homólogo russo, Sergey Lavrov.

Ao longo destes quatro anos, eu detalhei, passo a passo, os conflitos no seio do aparelho de Estado dos E.U. (as maquinações de Jeffrey Feltman e dos generais David Petraeus e John Allen contra o Presidente Obama, bem como os problemas dentro do CentCom). Hoje em dia, segundo a imprensa norte-americana, os homens da CIA e os do Pentágono travam uma batalha feroz na Síria; enquanto o Secretário da Defesa, Ashton Carter, afirmou publicamente que não acreditava que os seus homens aplicariam o acordo assinado pelo seu colega John Kerry; o qual se afirmou céptico sobre a sua própria capacidade quanto a fazer a sua assinatura, em nome do seu país.
Segunda nota : 
Não apenas o Presidente Barack Obama não está à altura de impôr a sua vontade aos diferentes ramos da sua administração, como nem sequer consegue arbitrar mais entre elas. Cada sector prossegue a sua própria política, ao mesmo tempo contra os outros sectores e contra os inimigos externos
Os Estados Unidos mudaram várias vezes de objectivo de guerra, o que torna a sua política pouco perceptível.
- Em 2001, Washington procurava controlar todos os recursos petrolíferos e de gás disponíveis no mundo, persuadido como estava que nos dirigíamos para um período de penúria. Foi sobre esta base que reuniu aliados contra a Síria. No entanto, no fim dos anos 2010, abandonava a teoria do «pico petrolífero» e, ao contrário, avançava para a independência energética.
- Em 2011, Washington organizou os motins de Deraa pensando, com isso, provocar um levantamento popular e assim trocar o governo laico sírio pelos Irmãos Muçulmanos. Era o modelo da dita «Primavera Árabe». Ora em 2013, após a derrube de Mohamed Morsi no Egipto, tira as conclusões do fracasso desta experiência e abandona a ideia de confiar o poder nos países árabes a esta Confraria Islamista.
- Em 2014, como a guerra continuasse, Washington decide utilizá-la para cortar o projecto do Presidente Xi Jinping de restauração da «Rota da Seda», o que o obriga a transformar o «Emirado Islâmico no Iraque» em Daesh.
- Em 2015, após a intervenção militar russa, sem abandonar o objectivo anti-chinês que se tinha fixado, Washington acrescenta-lhe um segundo : impedir Moscovo de contestar a sua hegemonia e a manutenção unipolar das Relações internacionais.
Terceira nota : 
As mudanças de objectivo têm forçosamente sido recusadas pelos poderes que sofreram os prejuízos : o Catar no que diz respeito às questões energéticas e os Irmãos Muçulmanos quanto ao derrube de regime. Ora, estes actores são apoiados por poderosos lóbis nos EUA: a Exxon-Mobil —a mais importante multinacional mundial— e a família Rockefeller quanto ao Catar, a CIA e o Pentágono quanto aos Irmãos Muçulmanos.
No campo de batalha, os meios mobilizados pela Rússia atestam, sem equivoco, a superioridade das suas novas armas sobre as da OTAN.
Quarta nota : 
Para os chefes de Estado-maior e comandantes inter-armas do exército dos EUA (CentCom EuCom, PaCom, etc.), o fim do seu domínio, em matéria convencional, não deve permitir contestar o seu estatuto de primeira potência militar do mundo. O que os leva a dessolidarizar-se da CIA quanto ao uso dos Irmãos Muçulmanos, continuando seus aliados a propósito da prevenção da implantação chinesa, e portanto a favor do Daesh (E.I.)
O acordo russo-americano do início de Setembro previa claramente a separação de alguns grupos —cujos líderes foram considerados “frequentáveis” pelas duas partes— de outros jiadistas [1]. Depois estabelecer uma coordenação militar para esmagar os jiadistas. E, finalmente, formar um governo de unidade nacional, incluindo chefes dos grupos que se tinha apartado; dentro do modelo dos governos locais impostos pelos impérios europeus no século XIX ao Império Otomano.
O Pentágono aceitou este acordo sob duas condições : primeiro, cortar a Rota da Seda. O que o levou a bombardear o Exército Árabe Sírio em Deir ez-Zor para impedir que se possa, a termo, contornar o Daesh (E.I.) pelo vale do Rio Eufrates. Depois, trabalhar com os russos, mas não num pé de igualdade.
A primeira condição constitui um acto de guerra contra a Síria, em pleno cessar-fogo, que atinge o conjunto da comunidade internacional. A segunda é evidentemente inaceitável para a Rússia.
Para mascarar o crime cometido pelo Pentágono e pelo Reino Unido em Deir ez-Zor, o MI6 britânico organizou o espectáculo do «bombardeamento» de um comboio humanitário.
Na realidade, este comboio tinha sido revistado pelo Exército Árabe Sírio. Ele não continha armas (ou mais armas) e tinha sido autorizado a passar após o fim do cessar-fogo. Tinha sido fretado pelo Crescente Vermelho sírio, uma ONG ligada ao governo de Damasco e estava destinado às populações sírias das zonas ocupadas pelos jiadistas. Contrariamente às declarações ocidentais ele jamais foi bombardeado, tal como mostram as imagens difundidas pelo MI6, sob a etiqueta dos «Capacetes Brancos». Em parte nenhuma se vê qualquer cratera ou perfurações das estruturas. O comboio foi atacado no solo, e foi queimado. As imagens de um drone do Exército russo mostram a presença de jiadistas no momento do ataque, quando era suposto a zona estar desmilitarizada.
Pouco importam os factos, os Estados Unidos acusaram a Rússia de ter violado o cessar-fogo, o que ela não fez, e isto quando eles próprios acabavam de o violar ao bombardearem o Exército Árabe Sírio em Deir ez-Zor. A propaganda anglo-saxónica foi repetida, a 21 de Setembro, com descaramento, pelos ministros e presidentes do campo Ocidental, John Kerry (EUA), Petro Poroshenko (Ucrânia), Jean-Marc Ayrault (França) e Boris Johnson (Reino Unido).
Última nota : 
As negociações entre John Kerry e Sergey Lavrov foram retomadas. Elas não tem por objectivo reescrever novamente um acordo de paz sobre o qual já tudo foi dito. Mas, sim, ajudar o Departamento de Estado a vencer as resistências que ele enfrenta no seu próprio país.
Tradução
Alva
[1] “Russian-US Agreement on Syria”, Associated Press (USA) , Voltaire Network, 9 September 2016.
Este artigo encontra-se sob licença creative commons
Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

No comments:

Post a Comment

PUTIN FRENCH



2017 FSB Meeting - RO from Roberto Petitpas on Vimeo.

BOTH VIDEOS AVAILABLE IN ENGLISH,FRENCH, ROMANIAN, PORTUGUESE

PRESIDENT





Labels

A BRAMERTON A. Orlov Abayomi Azikiwe ABIZAID ABOGADOS ABOGADOS PROGRESISTAS DE ESPAÑA Acción secreta activism Ajamu Baraka AL-ASSAD AL-HUSAINI Aleksandar PAVIC alex gorka Alex Lantier Alexander Azadgan ALEXANDER DUGIN ALEXANDER KUZNETSOV Alexandra Bruce Alexandre Artamonov ALEXIS Ambrose Evans-Pritchard an Greenhalgh Ana de Sousa Dias ANA SOUSA DIAS ANASTASOV Anatol Lieven Andre Vltchek ANDREI AKULOV Andrew Griffin Andrew Korybko Andrew P. Napolitano Andrey Afanasyev animals Ann Diener Ann Wright Anna Hunt Anna Von Reitz Anne Speckhard Ph. D. Anne Speckhard PH. D Anti-Media News Desk aRABIC ARAM MIRZAEI Ariel Noyola Rodríguez Asaf Durakovic Asma Assad ASMOLOV ASSANGE Avelino Rodrigues AVNERY BAKER bankers BAOFU Barrett Brown Bashar al-Assad Baxter Dmitry BECKER Before it's News BEGLEY BERGER BILL SARDI Binoy Kampmark BOGDANOV Brazilian BRENNAN BRIAN CLOUGHLEY BULGARIAN BUTLER CABRAS Carey Wedler CAROL ADL CARTALUCCI CATHY O'BRIEN cats Chelsea Manning Choice and Truth Chossudovsky Chris Cole CHRIS HEDGES Christopher Black CIA Claire Bernish clinton Collective Evolution Comunidad Saker Latinoamérica COOK Covert Action Craig McKee CUNNINGHAM CURRENT CONCERNS Daniel Lazare Daniel McCARTHY Daniele Ganser DANSK Darius Shahtahmasebi DARK JOURNALIST DARK JOURNALISTt DAVID HOROVITZ David Lemire David STERN David Swanson DEAN Deena Stryker Deutsch DINNUCI DIPLOMACY Dmisa Malaroat DMITRIY SEDOV Dmitry Minin Domenico Losurdo Donald Trump doni DONINEWS Dr. Kevin Barrett DUFF DUGIN EDITOR'S CHOICE EDWARD SNOWDEN Eliason Eliseo Bertolasi EMMONS endgahl ENGDAHL Eric S. Margolis Eric Zuesse ESCOBAR EUROPE Evan at Fight for the Future F. William Engdahl FANG Farage farewell address FEDERICO PIERACCINI FERRIS Field McConnell finance Finian Cunningham FORBIDDEN KNOWLEDGE TV forbidden nowledge Foster Gamble four horsemen Fr. Andrew Phillips FRANCESCA CHAMBERS Francesco Colafemmina Freeman FRENCH FRISK FULFORD Fuller G20 SUMMIT GALLAGHER Gareth Porter GARY NORTH General Flynn George Gallanis GERMAN GERMANOS Gilad Atzmon Gilbert Doctorow Glenn Greenwald GLOBAL RESEARCH global warming GORDON GORDON DUFF Graham E. Fuller GREENHALGH GREENWALD Greg Hunter Gregory Copley GRETE MAUTNER GUEST CONTRIBUTORS GUNNAR GUTERRES HAGOPIAN Hakan Karakurt Herbert McMaster HERMAN hill HILLARY CLINTON hollywood http://www.independent.co.uk/ http://www.northcrane.com/ http://www.salem-news.com/ http://yournewswire.com/ HUDON HUDSON ideeCondividi INAUGURATION INCÊNDIOS Inform Clear House Internet IODINE Isaac Davis ITULAIN Ivan Blot JALIFE-RAHME JAMES James Comey JAMES CORBETT JAMES GEORGE JATRAS James ONeil JAMES PETRAS Jane Grey Jay Greenberg Jean Perier Jean Périer Jean-Claude Paye JEFFREY SMITH JEZEBEL JILL STEIN Jim W. Dean Joachim Hagopian john McCain JOHN PILGER John Podesta John W. Whitehead JONAS E. ALEXIS Jonathan Marshall JONES Joseph Thomas JULIAN ASSANGE KADI Kadir A. Mohmand Kadyrov kalee brown Karen Kwiatkowski Karine Bechet-Golovko KATEHON KATHEON Katherine Frisk Ken O’Keefe Kenneth P. VOGEL KERRY BOLTON Kerry Cassidy Kerry Picket Kevin Barret. VT Kim Petersen KIMBERLEY KINZER KIRYANOV KOENIG Konstantin Asmolov KORYBKO KORZUN Krum Velkov Larry Chin Laurent Gerra lavr LAVROV LE PARISIEN Le Saker Francophone LENDMAN Lionel Shriver LOFGREN LVOV MACMILLAN macron Makia Freeman Manlio Dinucci Manlio Dinucci - Manuel Ochsenreiter Marco Cassiano MARCUS WEISGERBER MARGARET KIMBERLEY MARIA ZAKHAROVA Mark Citadel Mark Taliano Markus Frohnmaier Martin Berger MARUSEK Matt Peppe MATTEO rRENZI MATTHEW COLE MATTHEW JAMISON MCLAUGHLIN MÉLENCHON MELKULANGARA BHADRAKUMAR MERCOURIS MEYSSAN MICHAEL AVERKO Michael Brenner Michael Hudson MICHAEL JABARA CARLEY Michael S. Rozeff Michael T. Klare Middle East MIG video mike harris Mike Whitney MINA Mint Press News MintPressNews MIRANDA Misión Verdad MKULTRA Mohamed Mokhtar Qandiel MOHMAND Montenegro MOON OF ALABAMA moonofalabama MOST DAMAGING WIKILEAKS NATO NEO NEWS DESK Nicholas Nicholaides Nick Turse NIKANDROV Nile Bowie NISSANI NOVOROSSIA novorussia NYTIMES obama obamas Olivier Renault ONU ORLOV OSCAR FORTIN PALESTINE PARRY Patrick J. Buchanan Patrick Martin PAUL CRAIG ROBERTS Paul Fitzgerald Paul R. PILLAR Paul Street PAYE PCR Pedro Bustamante PEPE ESCOBAR Peter Dale Scot Peter Dale Scott Peter Koenig PETER KORZUN PETRAS Ph.D Phil Butler PICCARD Pierre Farge PILGER PISKORSKI PODESTA Pope Francis PORTUGUESE PRAVDA prc PRESTON JAMES Prof Michel Chossudovsky Prof Rodrigue Tremblay Project Veritas PUTIN PYOTR ISKENDEROV Queen Elizabeth Rajan Menon Raphaël Meyssan rebecca gordon Redmayne-Titley RELAX réseau Réseau International Réseau Voltaire Réseau Voltaire: Revue Défense Nationale Ricardo Vaz RICHARD DOLAN Richard Galustian Richard Labévière Richard Spencer Rick Sterling Rob Urie Robert Bridge Robert J. Burrowes Robert J. O’Dowd Robert O’Dowd ROBERT PARRY robert steele ROBERTS rof. Mohssen Massarrat ROLAND Roland San Juan blog ROMANIA PROTESTS ROMANIAN Ron Aledo RON PAUL Ron Paul Institute RT Rudolph Giuliani RUDY GIULIANI RUSSIA TODAY RUSSIAN Russian Insider Russie politics Russka RUSSOPHILE Ryan Dawson Ryan Gallagher Salman Rafi Sheikh sana sanders SANTOS SILVA SCAHILL SCOTT Scott Humor Sean Adl-Tabatabai SERGEY LAVROV sessions Seth Ferris SHAKDAM Shawn Hamilton SHEIKH sic notícias SIMON PARKES Smith & Wesson SNOWDEN SNYDER Sophie & Co Soros SOUTH FRONT SOUTHFRONT SPANISH speech GERMAN MP Speer-Williams Sputinik sPUTNICK SPUTNIK STACHNIO State of the Nation Stephen Kinzer Stephen Lendman Steve Pieczenik STEVE PIECZENIK: Steven MacMillan STONE STORM CLOUDS GATHERING StormCloudsGathering.com Strategic Culture STRATTON STRYKER Sunagawa Syria TAKEHON TALIANO TASS TEREHOV The Anti-Media THE INTERCEPT THE SAKER the true activist THERAPEOFJUSTICE Thierry Meyssan Third Presidential Debate Tillerson tom dispatch TOM ELEY Tom Engelhardt Tom Feeley TOM JOAD TomDispatch TOMGRAM Tony Cartalucci True Activist TrueActivist.com trump TSUKANOVA TTIP TURKEY TYLER DURDEN Udo Ulfkotte Ukrainian Deserter USA ELECTION USA ELECTIONS Valentin Vasilescu Van AUKEN Vanessa Beeley VASILESCU Vault 7 Veteran Intelligence Professionals for Sanity VETERANS TODAY VETERNAS TODAY Victory Day video videos VIETNAM VETERANS Viktor Mikhin VITALY CHURKIN Vladimir Chizhov Vladimir Safronkov VLTCHEK VT Waking Times WANTA Washingtons blog WAYNE MADSEN WESTBERG Westmoreland WHITEHEAD Whitney Webb WIKILEAKS Wikispooks William Blum WOODS world cup 2018 Xi Jinping Yanis Varoufakis YEMEN Youssef A. Khaddour ZAKHAROVA ZÉ GERALDO ZEROHEDGE ZUESSE