PREVIOUS FREE PAGES BLOG

PREVIOUS FREE PAGES BLOG
DIPLOMATIC FREE PAGES - click image

URGENT IMPORTANT -- FINANCIAL ASSISTANCE NEEDED FOR A YOUNG BOY 14 Y OLD WITH BRAIN CANCER

Dear Friends,

I have never asked any money/donations for myself in my blogs (400) but this is an exceptional emergency. Please help the best you can to assist Isabelle, our French Coordinator, to alleviate as much as possible her step son's health condition.



You can donate through Kees De Graaff

Type your recurring amount here:


PayPal


The email address connected with Kees Paypal account is keesdegraaff@gmail.com

Many thanks from the heart to all of you.



Friday, July 8, 2016

Thierry Meyssan -- A nova política estrangeira britânica (várias línguas)






Thierry Meyssan


A imprensa ocidental não cessa de o repetir: ao deixar a União Europeia, os Britânicos isolaram-se do resto do mundo e deverão enfrentar terríveis consequências económicas. Ora, a baixa do valor da Libra poderá ser uma vantagem no seio da Commonwealth, uma família mais vasta que a União e presente nos seis continentes. Pragmática, a City poderá rapidamente tornar-se o centro mundial do yuan e implantar a moeda chinesa no próprio seio da União.

REDE VOLTAIRE | DAMASCO (SÍRIA) | 4 DE JULHO DE 2016  
DEUTSCH  ENGLISH  ESPAÑOL  فارسى  FRANÇAIS  ITALIANO  РУССКИЙ  TÜRKÇE  عربي  ΕΛΛΗΝΙΚΆ 

JPEG - 23.1 kb
Isabel II, rainha do Reino Unido, Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, de Antígua e Barbuda, da Austrália, das Baamas, de Barbados, de Belize, do Canadá, de Granada, das Ilhas Salomão, da Jamaica, da Nova Zelândia, da Papua Nova-Guiné, de São Cristóvão e Nevis, de São Vicente e Granadinas, de Santa Lúcia, e de Tuvalu.

Os Estados Unidos continuam preocupados quanto à sua capacidade para convencer a União Europeia a participar activamente na OTAN, e quanto à vontade do Reino Unido de prosseguir a aliança militar, que eles construíram desde 1941 para dominar o mundo. Porque, contrariamente às alegações dos dirigentes europeus, o Brexit não isola o Reino Unido mas, sim, permite-lhe voltar à Commonwealth e desenvolver contactos com a China e a Rússia.

O alinhamento dos Europeus na OTAN


Os Estados Unidos e o Reino Unido tinham previsto forçar os membros da União a anunciar o aumento do seu orçamento militar, em 2% do PIB, durante a Cimeira da Aliança em Varsóvia (8 e 9 de julho). Além disso, um plano de colocação de forças na fronteira russa devia ser adoptado, incluindo a criação de uma unidade de logística conjunta da OTAN e da UE, permitindo partilhar helicópteros, navios, drones e satélites.

O Reino Unido era, até ao momento, o mais importante contribuinte para a União em matéria de defesa, com cerca de 15% do orçamento de defesa desta. Além disso, dirigia a operação Atlante para proteger os transportes marítimos ao largo do corno de África e tinha posto à disposição navios no Mediterrâneo. Por fim, estava previsto que forneceria tropas para a constituição do grupo de combate da UE. Com o Brexit, todos estes compromissos serão revogados.

Para Washington, a questão é saber se Londres aceitará ou não aumentar o seu investimento directo na OTAN —da qual já é o segundo contribuinte— para compensar o que fazia no seio da UE, mas sem daí tirar proveito particular. Muito embora Michael Fallon, o actual ministro da Defesa britânico, tenha prometido não minar os esforços conjuntos da OTAN e da UE, ninguém consegue ver por que razão Londres aceitaria colocar novas tropas sob um comando estrangeiro.

Por conseguinte, e acima de tudo, Washington interroga-se sobre a vontade de Londres em continuar a aliança militar que construiu com a Coroa desde 1941. É claro, não deve excluir-se que o Brexit possa ser uma encenação dos Britânicos para renegociar, com vantagem, a sua «relação especial» com os «Americanos». No entanto, é muito mais provável que Londres pretenda estender as suas relações a Pequim e a Moscovo sem, no entanto, largar os benefícios do seu entendimento com Washington.



As agências secretas anglo-saxónicas

Durante a Segunda Guerra mundial e antes mesmo da sua entrada na guerra, os Estados Unidos concluíram um pacto com o Reino Unido explicitado na Carta do Atlântico [1]. Tratava-se para os dois países de se unirem afim de garantir a livre circulação marítima e de expandir o livre comércio.

Esta aliança concretizou-se com o Acordo dos «Cinco olhos», que serve actualmente de base à cooperação entre 17 Agências de Inteligência (Serviços Secretos- ndT) de 5 Estados diferentes (os Estados Unidos e o Reino Unido, assim como três outros membros da Commonwealth : a Austrália, o Canadá e a Nova Zelândia).

Os documentos revelados por Edward Snowden atestam que a rede Echelon, na sua forma actual, constitui «uma agência de inteligência supranacional que não responde perante as leis dos seus próprios Estados-membros». Assim, os «Cinco olhos» tanto poderiam espiar personalidades, como o Secretário-geral da ONU ou o Chancelerina alemã, como praticar uma vigilância em massa sobre os seus próprios cidadãos.

Identicamente, em 1948, os Estados Unidos e o Reino Unido fundaram uma segunda Agência supranacional, o Gabinete de projetos especiais (Office of special Projects) que comanda as redes stay-behind (redes de retaguarda- ndT) da OTAN, conhecidas sob o nome de Gládio.

O Professor Daniele Ganser demonstrou que este Gabinete tinha organizado uma quantidade de golpes de Estado e de operações terroristas na Europa [2]. Se numa primeira fase se verificava que a «estratégia de tensão» visava prevenir a chegada ao poder, por via democrática, de governos comunistas na Europa, viu-se que visava, sobretudo, alimentar a fobia do comunismo e justificar a proteção militar anglo-saxónica. Novos documentos desclassificados mostraram que este dispositivo existe fora da Europa organizado para o mundo Árabe [3].

Finalmente, em 1982, os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália criaram uma terceira agência supranacional, que incluía pseudo-ONG.s —a NED e as suas quatro filiais : a ACILS, o CIPE, o NDI e o IRI— formando a parte visível [4]. Ela especializou-se na organização de golpes de Estado camuflados em «revoluções»

Muito embora haja uma impressionante literatura sobre estes três programas, ignora-se tudo sobre as agências supranacionais que os tutelam.

A «relação especial»

Os Estados Unidos, que se proclamaram independentes separando-se para isso da Coroa, só se reconciliaram com o Reino Unido no fim do século XIX (a «Grande reconciliação»). Os dois Estados aliaram-se durante a guerra contra os Espanhóis em Cuba, depois para a exploração dos seus balcões coloniais na China. Quer dizer no momento em que Washington descobriu uma vocação imperialista. Em 1902, um clube transatlântico foi formado para selar a amizade reencontrada, a Associação dos Peregrinos (The Pilgrims Society). Ela é tradicionalmente presidida pelo monarca inglês.

A Reconciliação foi selada em 1917 com o projecto conjunto de criação de um Estado judeu na Palestina [5]. E, os Estados Unidos entraram na guerra ao lado do Reino Unido. Desde então, os dois Estados partilham diversos meios militares, neles incluído, de seguida, a bomba atómica. No entanto, aquando da criação da Commonwealth, Washington recusou fazer parte dela, considerando-se no mesmo pé de igualdade com Londres.

Apesar de alguns confrontos, aquando dos ataques britânicos contra o Egipto (canal de Suez), ou contra a Argentina (a guerra das Malvinas-«Falklands»), ou ainda aquando do ataque norte-americano contra a Granada, as duas potências sempre se apoiaram intimamente.

Em 2008, a Coroa assegurou o financiamento do início da campanha eleitoral de Barack Obama, fazendo correr generosas contribuições através do negociante de armas iraquiano-britânico Francisco Auchi. Aquando do seu primeiro mandato, um grande número de colaboradores directos do novo Presidente eram, secretamente, membros da Associação dos Peregrinos, cuja secção norte-americana era, então, presidida por Timothy Geithner. Mas, o Presidente Obama foi-se gradualmente afastando, dando a impressão à Coroa que ela não era retribuída em troca. As coisas pioraram com as suas acerbas declarações contra David Cameron na Atlantic [6], e a visita do casal Obama à rainha Isabel II, pelo seu aniversário, não recolou os cacos.

A Commonwealth

Ao separar-se da União e ao afastar-se dos Estados Unidos, o Reino Unido não fica nada isolado, pode, aliás, voltar de novo a jogar o seu grande trunfo: a Commonwealth.

Esquecem por completo que, em 1936, Winston Churchill lançou a ideia de incorporar os actuais Estados da União Europeia no seio da Commonwealth. A sua proposta colidiu com a ascensão dos perigos e a Guerra mundial. Só após a Vitória é que o mesmo Churchill lançou a ideia dos «Estados Unidos da Europa» [7] e convocou a Conferência do Movimento Europeu em Haia [8].

A Commonwealth é uma organização de 53 Estados-Membros que têm uma política comum apenas em matéria de valores ingleses de base: igualdade racial, estado de direito, direitos do homem face à «Razão de Estado». No entanto, ela propõe aos seus membros desenvolver os negócios e o desporto (esporte-br). Além disso, ela providencia peritos em todos os domínios.

A Rainha Isabel II, que é a soberana de 16 Estados-Membros, é o chefe da Commonwealth (título electivo não hereditário).

O que querem os Britânicos ?

Visto de Londres, foram os Estados Unidos quem quebrou a «relação especial», cedendo à desmesura (arrogância) do mundo unipolar e ao conduzir a sós as suas políticas financeira e externa. E, isto, numa altura onde deixaram de ser a principal potência económica do mundo e a primeira potência militar convencional.

Desde logo o interesse do Reino Unido é o de não colocar mais «todos os ovos na mesma cesta»; de conservar os instrumentos comuns que possui com Washington ao mesmo tempo que se apoia na Commonwealth, e ao estabelecer novas relações com Pequim e Moscovo, seja directamente, seja via Organização de Cooperação de Shanghai (OCS).

Precisamente no dia do Brexit a OCS aceitava, no seu seio, dois membros da Commonwealth, a Índia e o Paquistão, ela que até ali não incluía nenhum [9].

Se ignoramos tudo sobre os contactos que o Reino Unido já teve que estabelecer com a Rússia, podemos constatar a sua aproximação com a China.

Em Março último, a Bolsa de Londres, que gere as Bolsas de valores da City e de Milão, revelou o seu projecto de fusão com a Deutsche Börse (Bolsa Alemã), que gere a Bolsa de Frankfurt, a Câmara de Compensação Clearstream e o Eurex. Estava previsto que as duas sociedades concretizavam a operação logo após o referendo sobre o Brexit. Este anúncio foi tanto mais surpreendente quando os regulamentos Europeus interditavam formalmente esta operação, que equivaleria a criar uma «posição dominante». Ele pressupunha, pois, que as duas sociedades antecipavam a saída do Reino Unido da União Europeia.

Além disso, a Bolsa de Londres anunciava um acordo com o China Foreign Exchange Trade sistema (CFETS) e tornava-se, em Junho, a primeira Bolsa no mundo a cotar os Títulos do Tesouro chinês. Todos os elementos estavam prontos para fazer da City o cavalo de Tróia chinês na União Europeia, em detrimento da supremacia norte-americana.

Thierry Meyssan

Tradução 
Alva
               
[1] “The Atlantic Charter”, by Franklin Delano Roosevelt, Winston Churchill, Voltaire Network, 14 August 1941.

[2] Nato’s Secret Armies: Operation Gladio and Terrorism in Western Europe, Daniele Ganser, Cass, London, 2004.

Free PDF of this book: http://www.whale.to/b/ganser.pdf

[3] America’s Great Game: The CIA’s Secret Arabists and the Shaping of the Modern Middle East, Hugh Wilford, Basic Books, 2013.
Free PDF- sample of the content of this book 
-- http://samples.sainsburysebooks.co.uk/9780465069828_sample_536684.pdf

[4] “The networks of "democratic" interference”, by Thierry Meyssan,Voltaire Network, 22 January 2004; « Национальный фонд демократии — игровая площадка ЦРУ] », Тьерри Мейсан, Однако (Российская Федерация) , Сеть Вольтер, 6 октября 2010.

[5] “Who is the Enemy?”, by Thierry Meyssan, Translation Roger Lagassé,Voltaire Network, 4 August 2014.

[6] “The Obama Doctrine”, by Jeffrey Goldberg, The Atlantic (USA) ,Voltaire Network, 10 March 2016.

[7] “Winston Churchill speaking in Zurich on the United States of Europe”, by Winston Churchill, Voltaire Network, 19 September 1946.
[8] « Histoire secrète de l’Union européenne », par Thierry Meyssan,Réseau Voltaire, 28 juin 2004.

[9] “Brexit coincides with India’s and Pakistan’s entry into the SCO”, by Alfredo Jalife-Rahme, Translation Anoosha Boralessa, La Jornada (Mexico) , Voltaire Network, 2 July 2016

No comments:

Post a Comment

Manlio Dinucci


SUBTITLES -- EN, FR, IT, PT, TR

SI VOUS VOULEZ TRADUIRE LES RAPPORTS DE MANLIO DINUCCI D'ANGLAIS, FRANÇAIS OU ITALIEN DANS VOTRE LANGUE MATERNELLE, SVP VEUILLEZ DEMANDER À

IF YOU WANT TO TRANSLATE MANLIO DINUCCI'S REPORTS FROM ENGLISH, FRENCH OR ITALIAN,INTO YOUR NATIVE LANGUAGE KINDLY CONTACT

luisavasconcellos2012@gmail.com

PUTIN FRENCH



2017 FSB Meeting - RO from Roberto Petitpas on Vimeo.

BOTH VIDEOS AVAILABLE IN ENGLISH,FRENCH, ROMANIAN, PORTUGUESE

PRESIDENT





Labels

21st Century Wire A BRAMERTON A. Orlov Abayomi Azikiwe ABIZAID ABOGADOS ABOGADOS PROGRESISTAS DE ESPAÑA Acción secreta activism Adam GArrie Ajamu Baraka AL-ASSAD AL-HUSAINI Aleksandar PAVIC alex gorka Alex Lantier Alexander Azadgan ALEXANDER DUGIN ALEXANDER KUZNETSOV Alexandra Bruce Alexandre Artamonov Alexandre Cazes ALEXIS Ambrose Evans-Pritchard an Greenhalgh Ana de Sousa Dias ANA SOUSA DIAS ANASTASOV Anatol Lieven Andre Vltchek ANDREI AKULOV Andrew Griffin Andrew Korybko Andrew P. Napolitano Andrey Afanasyev animals Ann Diener Ann Wright Anna Hunt ANNA KURBATOVA Anna Von Reitz Anne Speckhard Ph. D. Anne Speckhard PH. D ANONYMOUS PATRIOTS Anti-Media News Desk Antony C. Black ap aRABIC ARAM MIRZAEI Ariel Noyola Rodríguez ARJUN WALIA Asaf Durakovic Asma Assad ASMOLOV ASSANGE Avelino Rodrigues AVNERY BAKER bankers BAOFU barcelona Barrett Brown Bashar al-Assad Baxter Dmitry BECKER Before it's News BEGLEY BERGER BILL SARDI Binoy Kampmark BOGDANOV Brazilian BRENNAN BRIAN CLOUGHLEY BULGARIAN BUTLER By Jack Heart & Orage By Prof Michel Chossudovsky CABRAS Captagon Carey Wedler Carla Stea CAROL ADL CARTALUCCI CATALUNHA Catherine Austin Fitts CATHY O'BRIEN cats Chelsea Manning Choice and Truth Chossudovsky Chris Cole CHRIS HEDGES Christopher Black CIA Claire Bernish clinton Collective Evolution Comunidad Saker Latinoamérica COOK Covert Action Craig McKee CROATIAN CUNNINGHAM CURENT CONCERNS CURRENT CONCERNS Daniel Lazare Daniel McCARTHY Daniele Ganser DANSK Darius Shahtahmasebi DARK JOURNALIST DARK JOURNALISTt DAVID HOROVITZ David Lemire David STERN David Swanson DAVIDSWANSON DEAN Deena Stryker Denali Deutsch DINNUCI DIPLOMACY Dmisa Malaroat DMITRIY SEDOV Dmitry Minin Domenico Losurdo Donald Trump doni DONINEWS Dr. Kevin Barrett DUFF DUGIN EDITOR'S CHOICE EDWARD SNOWDEN El Periodico Eliason ELISABETE LUIS FIALHO Eliseo Bertolasi EMMONS endgahl ENGDAHL Eric S. Margolis Eric Zuesse ESCOBAR EUROPE Eva Bartlett Evan at Fight for the Future F. William Engdahl FANG Farage farewell address FEDERICO PIERACCINI Felicity Arbuthnot FERRIS Field McConnell finance Finian Cunningham FORBIDDEN KNOWLEDGE TV forbidden nowledge Foster Gamble four horsemen Fr. Andrew Phillips FRANCESCA CHAMBERS Francesco Colafemmina Freeman FRENCH FRISK FULFORD Fuller G20 G20 SUMMIT GALLAGHER Gareth Porter GARY NORTH General Flynn George Gallanis GERMAN GERMANOS Gilad Atzmon Gilbert Doctorow Glen Greenwald Glenn Greenwald GLOBAL RESEARCH global warming GMO GMOS GORDON GORDON DUFF Graham E. Fuller Graham Vanbergen GREENHALGH GREENWALD Greg Hunter Gregory Copley GRETE MAUTNER GUEST CONTRIBUTORS GUNNAR GUTERRES HAARP HAGOPIAN Hakan Karakurt Herbert McMaster HERMAN HERNÂNI CARVALHO hill HILLARY CLINTON hollywood http://www.independent.co.uk/ http://www.northcrane.com/ http://www.salem-news.com/ http://yournewswire.com/ HUDON HUDSON Ian Greenhalgh Ian Shilling ideeCondividi INAUGURATION INCÊNDIOS Inform Clear House Internet IODINE Isaac Davis Israel ITULAIN Ivan Blot JALIFE-RAHME JAMES James Comey JAMES CORBETT JAMES GEORGE JATRAS James ONeil JAMES PETRAS Jane Grey Jay Greenberg Jean Perier Jean Périer Jean-Claude Paye JEFFREY SMITH JEZEBEL JFK JILL STEIN Jim W. Dean Jimmy Carter Joachim Hagopian john McCain JOHN PILGER John Podesta John W. Whitehead JONAS E. ALEXIS Jonathan Marshall JONES Joseph Thomas JULIAN ASSANGE JULIAN ROSE Justin Raimondo KADI Kadir A. Mohmand Kadyrov kalee brown Karen Kwiatkowski Karine Bechet-Golovko KATEHON KATHEON Katherine Frisk Ken O’Keefe Kenneth P. VOGEL KERRY BOLTON Kerry Cassidy Kerry Picket Kevin Barret. VT Kim Petersen KIMBERLEY KINZER KIRYANOV KOENIG Konstantin Asmolov KORYBKO KORZUN Krum Velkov Larry Chin Laurent Gerra lavr LAVROV Le Monde LE PARISIEN Le Saker Francophone LENDMAN Lionel Shriver LOFGREN LVOV MACMILLAN macron Makia Freeman MANLIO Manlio Dinucci Manlio Dinucci - Manuel Ochsenreiter Marco Cassiano MARCUS WEISGERBER MARGARET KIMBERLEY MARIA ZAKHAROVA Mark Citadel Mark Taliano Markus Frohnmaier Martin Berger Martin Hurkes MARUSEK Matt Agorist Matt Peppe MATTEO rRENZI MATTHEW COLE MATTHEW JAMISON MCLAUGHLIN MÉLENCHON MELKULANGARA BHADRAKUMAR MERCOURIS MEU COMENTÁRIO MEYSSAN MICHAEL AVERKO Michael Brenner Michael Hudson MICHAEL JABARA CARLEY Michael S. Rozeff Michael T. Klare Middle East MIG video mike harris Mike Whitney MINA Mint Press News MintPressNews MIRANDA Misión Verdad MKULTRA Mohamed Mokhtar Qandiel MOHMAND Montenegro MOON OF ALABAMA moonofalabama MOST DAMAGING WIKILEAKS NÃO À GUERRA NÃO À NATO NATO NEO NEWS DESK Nicholas Nicholaides Nick Turse NIKANDROV nikki haley Nile Bowie NISSANI NO WAR NO NATO NORMAN SOLOMON NOVOROSSIA novorussia NYTIMES obama obamas Oliver Stone Olivier Renault ONU ORLOV OSCAR FORTIN PALESTINE PARRY Patrick Iber Patrick J. Buchanan Patrick Martin PAUL CRAIG ROBERTS Paul Fitzgerald Paul R. PILLAR Paul Street PAYE PCR Pedro Bustamante pedrógão grande PEPE ESCOBAR Peter Dale Scot Peter Dale Scott Peter Koenig PETER KORZUN PETRAS Ph.D Phil Butler PICCARD Pierre Farge PILGER PISKORSKI PODESTA POLISH Pope Francis PORTUGUESE PRAVDA prc PRESTON JAMES Prof Michel Chossudovsky Prof Rodrigue Tremblay Project Veritas Público PUTIN PUTIN/TRUMP Putin/Trump meeting PYOTR ISKENDEROV Queen Elizabeth Rajan Menon Raphaël Meyssan rebecca gordon Redmayne-Titley RELAX Rep. Ron Paul réseau Réseau International Réseau Voltaire Réseau Voltaire: Revue Défense Nationale Ricardo Vaz RICHARD DOLAN Richard Galustian Richard Labévière Richard Spencer Rick Sterling Rob Urie Robert Bridge Robert F. Kennedy Jr Robert J. Burrowes Robert J. O’Dowd Robert O’Dowd ROBERT PARRY robert steele ROBERTS rof. Mohssen Massarrat ROLAND Roland San Juan blog ROMANIA PROTESTS ROMANIAN Ron Aledo RON PAUL Ron Paul Institute RT Rudolph Giuliani RUDY GIULIANI Russia feed RUSSIA TODAY RUSSIAN Russian Insider Russie politics Russka RUSSOPHILE Ryan Dawson Ryan Gallagher Salman Rafi Sheikh sana sanders SANTOS SILVA Sarah Abed SCAHILL SCOTT Scott Humor Sean Adl-Tabatabai SERGEY LAVROV sessions Seth Ferris SETH RICH SHAKDAM Shawn Hamilton SHEIKH sic sic notícias SIMON PARKES Smith & Wesson SNOWDEN SNYDER Sophie & Co Soros SOUTH FRONT South Korea SOUTHFRONT SPANISH speech GERMAN MP Speer-Williams Sputinik sPUTNICK SPUTNIK STACHNIO Stanislav Petrov State of the Nation STEPHEN KARGANOVIC Stephen Kinzer Stephen Lendman Steve Pieczenik STEVE PIECZENIK: Steve Robertson Steven MacMillan STONE STORM CLOUDS GATHERING StormCloudsGathering.com Strategic Culture STRATTON STRYKER Sunagawa Syria TAKEHON TALIANO TASS TED RALL TEREHOV the The Anti-Media The Duran THE INTERCEPT THE SAKER the true activist THERAPEOFJUSTICE Thierry Meyssan Third Presidential Debate Tillerson tom dispatch TOM ELEY Tom Engelhardt Tom Feeley TOM JOAD TomDispatch TOMGRAM Tony Cartalucci trees True Activist TrueActivist.com trump TSUKANOVA TTIP TURKEY TYLER DURDEN Udo Ulfkotte Ukrainian Deserter USA USA ELECTION USA ELECTIONS USA USE OF CHEMICAL WEAPONS Valentin Vasilescu Van AUKEN Vanessa Beeley VASILESCU Vault 7 Veteran Intelligence Professionals for Sanity VETERANS TODAY VETERNAS TODAY Victory Day video videos VIETNAM VETERANS Viktor Mikhin VITALY CHURKIN Vladimir Chizhov Vladimir Safronkov Vladimir Terehov VLTCHEK VT Waking Times WANTA Washingtons blog WAYNE MADSEN WESTBERG Westmoreland WHITEHEAD Whitney Webb WIKILEAKS Wikispooks William Blum WOODS world beyond war world cup 2018 Xi Jinping Yameen Khan Yanis Varoufakis YEMEN Youssef A. Khaddour ZAKHAROVA ZÉ GERALDO ZEROHEDGE ZUESSE