PREVIOUS FREE PAGES BLOG

PREVIOUS FREE PAGES BLOG
DIPLOMATIC FREE PAGES - click image

Sunday, June 12, 2016

THE SAKER -- Como é que a Rússia se está a preparar para a Terceira Guerra Mundial


Como é que a Rússia  se está a preparar para a Terceira Guerra Mundial

How Russia is preparing for WWIII

26 de Maio de 2016 
Este artigo foi escrito para a 
Unz Review

Recentemente publiquei um artigo no qual tentei desacreditar alguns mitos populares sobre a guerra moderna. A julgar pelos múltiplos comentários que recebi em resposta a esta postagem, tenho de dizer que os mitos em questão ainda estão vivos e de saúde e que falhei completamente o meu intuito de convencer muitos leitores. O que me proponho fazer hoje, é observar o que, de facto, a Rússia está a fazer em resposta à ameaça crescente do Ocidente. Mas, em primeiro lugar, tenho de determinar ou mais precisamente, tenho de restabelecer o contexto no qual a Rússia está a agir. Vamos começar por considerar a política Anglo Sinonista em relação à Rússia.

As acções do Ocidente:

Em primeiro lugar, nesta lista, está obviamente a conquista de toda a Europa Oriental pela NATO. Menciono a conquista porque é exactamente o que é, mas uma conquista alcançada de acordo com as regras da guerra do séc. XXI, que defino como sendo uma guerra “80% informática, 15% económica e 5% militar”. Sim, compreendo que as pessoas bem intencionadas da Europa Oriental, sonhavam precisamente ser subjugadas pelos Estados Unidos da América, pela NATO, pela União Europeia, etc. – mas, e daí? Alguém que tenha lido Sun Tzu reconhecerá que este desejo profundo de ser ‘incorporado’ no “Borg”, não é nada mais do que o resultado de uma identidade auto esmagada, um complexo de inferioridade profundamente arreigado e, assim sendo, é uma renúncia que nem sequer teve de ser induzida através de meios militares. Ao fim do dia, não importa o que é que os residentes locais pensam que alcançaram – nesse momento, são súbditos do Império e os países deles são colónias mais ou menos insignificantes, localizadas na orla do Império Anglo Sionista. Como sempre, a elite dos *compradores locais  está agora inchada de orgulho ou, pelo menos, eles pensam dessa maneira, por serem aceites como iguais pelos seus novos donos (pensem em Poroshenko, Tusk ou Grybauskaite), o que lhes dá coragem para ladrar a Moscovo, por trás da barreira da NATO. Parabéns! (no sentido de: Que se lixem!)  *comprador = o indivíduo dentro de um país, que age como agente de organizações estrangeiras ligadas ao investimento, ao comércio, à economia ou à exploração política.

Em segundo lugar, está, neste momento, a colonização total da Europa Ocidental levada a cabo pelo Império. Enquanto a NATO se dirigia para Leste, os Estados Unidos também conseguiram um controlo muito mais profundo da Europa Ocidental que, presentemente, é administrada pelo Império, pelos indivíduos que o anterior Presidente da Câmara de Londres designou outrora, como sendo notáveis invertebrados protoplasmáticos, amorfos e indolentes – burocratas sem rosto, como François Hollande e Angela Merkel.
Em terceiro lugar, o Império deu o seu apoio total a criaturas semi-demoníacas que vão desde al-Khattab  até Nadezhda Savchenko. A política do Ocidente é extremamente cristalina e simples: se é uma política anti russa, apoiamo-la. Esta política está muito bem exemplificada pela campanha de demonização de Putin e da Rússia que, em minha opinião, é muito pior e muito mais histérica do que qualquer outra que ocorreu durante a Guerra Fria.

Em quarto lugar, o Ocidente realizou uma série de movimentações militares altamente perturbadoras, incluindo a implantação dos primeiros elementos de um sistema anti míssil na Europa de Leste, o envio de várias formas de Forças Armadas de reacção rápida, o estabelecimento de algumas unidades blindadas, etc. Actualmente a NATO introduziu  postos de comando que podem ser usados para apoiar o combate de uma força de reacção rápida.

O que é que tudo isto significa?

Realmente, neste momento não representa muito. Sim, a movimentação da NATO até às fronteiras russas é altamente agressiva, sobretudo em termos políticos. Em termos puramente militares, não só foi uma péssima idéia (veja o cliché # 6 aqui), mas, de facto, o tamanho das forças armadas reais instaladas é minúsculo: o sistema ABM (Míssil Anti Balístico)  introduzido recentemente pode, na melhor das hipóteses, ter a esperança de interceptar alguns mísseis (10 a 20, dependendo das vossas premissas) porque as forças convencionais são do tamanho de um batalhão (mais ou menos 600 soldados, além do apoio requerido). Então vejamos que precisamente neste momento, não há categoricamente qualquer verdadeira ameaça militar contra a Rússia.

Então, por que é que os russos estão tão preocupados?

Porque as movimentações actuais dos Estados Unidos e da NATO poderiam muito bem ser apenas os primeiros passos de um esforço muito maior que, com o passar do tempo, pode começar a ser um perigo muito real para a Rússia.

Mais ainda, presentemente o tipo de retórica que chega do Ocidente não é apenas militarista e russofóbico (aversão à Rússia e a tudo o que é russo), muitas vezes é manifestado de imediato com grande fervor . Na última vez em 1000 anos, que o Ocidente teve um surto repentino de "síndroma messiânico", a Rússia perdeu cerca de 20 a 30 milhões de pessoas. Portanto, os russos podem, de facto,  ser perdoados se derem muita atenção ao que a propaganda Anglo Sionista diz sobre eles.

Os russos estão muito consternados com a recolonização da Europa Ocidental. Longe vão os dias em que indivíduos como Charles de Gaulle, Helmut Schmidt ou François Mitterrand, estavam encarregados do futuro da Europa. Para além de todas as suas falhas muito palpáveis, pelo menos, estes homens eram verdadeiros patriotas e não somente administradores coloniais a mando dos Estados Unidos.  Para os russos é muito mais preocupante a "perda" da Europa Ocidental  do que as antigas colónias soviéticas na Europa Oriental estarem agora sob a administração colonial dos Estados Unidos. Por quê?

Considerem este assunto sob o ponto de vista russo.
Todos os russos vêem que o poder norte-americano está em declínio e que, mais cedo ou mais tarde, o dólar vai, lenta ou subitamente, perder o seu papel de reserva principal e de moeda de troca no planeta (este processo já começou). Dito de maneira simples – o Império Anglo Sionista entrará em colapso, a não ser que os EUA encontrem uma maneira de alterar drasticamente a actual dinâmica internacional. Os russos acreditam que o que os americanos estão a fazer, na melhor das hipóteses, é usar as tensões com a Rússia para ressuscitar uma Guerra Fria adormecida versão 2 e, na pior das hipóteses, para  começar, de facto, uma verdadeira guerra na Europa, com recurso às armas.

Assim, temos um Império decadente com uma necessidade vital de criar uma grande crise, a Europa Ocidental covarde e incapaz de erguer-se no seu próprio interesse, uma Europa Oriental subserviente e a implorar para se transformar num campo de batalha enorme entre o Oriente e o Ocidente e uma retórica messiânica, russofóbica, levada irracionalmente até ao extremo,  como pano de fundo para que haja um aumento de destacamentos militares na fronteira russa. De facto, alguém se surpreende que os russos estejam a levar tudo isto muito a sério, mesmo que, de momento, a ameaça militar americana seja praticamente nula?

A reacção russa

Assim sendo, vamos examinar a reacção russa à posição do Império.

Em primeiro lugar, os russos querem ter a certeza de que os americanos não cedem à ilusão de que uma guerra em larga escala na Europa seria como a Segunda Guerra Mundial, que viu o território dos EUA sofrer apenas alguns ataques do inimigo, minúsculos e quase simbólicos.  Posto que uma guerra em larga escala na Europa, iria ameaçar a própria existência da nação e do Estado russo, os russos estão a tomar medidas para ter a certeza de que, se tal acontecesse, os EUA iriam pagar um preço enorme por esse ataque.

Em segundo lugar, é evidente que os russos estão a encarar a hipótese de uma ameaça convencional do Ocidente poder materializar-se num futuro previsível. Portanto, estão a tomar as medidas necessárias para combater essa ameaça convencional.

Em terceiro lugar, uma vez que os EUA parecem estar determinados a implantar um sistema de mísseis anti balísticos não só na Europa, mas também no Extremo Oriente, os russos estão a tomar medidas, tanto para derrotar como para  ultrapassar esse sistema.

O esforço russo é  vasto e complexo, e abrange quase todos os aspectos do planeamento da força russa, mas penso que há quatro exemplos que ilustram bem a determinação da Rússia para não permitir que volte a acontecer o mesmo que ocorreu no dia 22 de Junho de 1941:

- A reprodução  do 1ºExército de Blindados da Guarda (em progresso)
- A implantação do míssil balístico operacional-táctico, de curto alcance, Iskander-M (concluída) 

A introdução do míssil balístico termo-nuclear, intercontinental,  Sarmat ICBM (em progresso)
- A colocação do torpedo nuclear estratégico Status-6  (em progresso)

A reprodução do Primeiro Exército Blindado da Guarda

É difícil de acreditar, mas o facto é que, entre 1991 e 2016, a Rússia não tinha uma única formação militar destacada (do tamanho de uma divisão e maior do que ela) na região militar ocidental. Algumas brigadas, regimentos e batalhões foram designados nominalmente, como sendo um "Exército". Para expôr este assunto de maneira simples – era evidente que a Rússia não acreditava que havia uma ameaça militar convencional do Ocidente e, portanto, não se incomodou a instalar qualquer tipo de força militar significativa para se defender de uma ameaça não existente. A propósito, esse facto também deve esclarecer-vos  sobre os planos da Rússia para invadir a Ucrânia, a Polónia ou os países bálticos:  é um disparate completo. Esta situação alterou-se completamente.

A Rússia anunciou oficialmente esse acontecimento - o Primeiro Exército Blindado da Guarda (uma formação com uma história prestigiante e muito simbólica). Este exército irá incluir a 4ª Divisão Blindada "Kantemirov”, a Segunda Divisão Motorizada "Taman", a 6ª Brigada de Blindados, a 27ª Divisão Motorizada da Brigada de Sebastopol e muitas unidades de apoio. O Quartel General deste Exército estará localizado no subúrbio Odinstovo, em Moscovo. Actualmente, o Exército está equipado com blindados T-72B3 e 80 tanques de batalha, mas serão substituídos pelo novo tanque revolucionário, T-14 Armata, se bem que os veículos de combate de infantaria actuais e os veículos blindados serão substituídos pelo novo APC e IFV. As unidades terrestres blindadas serão protegidas e apoiadas no ar pelos helicópteros de ataque Ka-52 e Mi-28. Não se enganem, pois será uma força muito grande, precisamente o tipo de força necessária para esmagar quando acontecer um ataque de forças inimigas (a propósito, a 1TGA esteve presente na batalha de Kursk). Tenho a certeza de que, quando a 1TGA estiver totalmente organizada será a mais poderosa formação blindada, algures, entre o Atlântico e os Urais (especialmente em termos qualitativos). Se persistirem as tensões actuais, ou mesmo, se piorararem, os russos poderiam aumentar a 1TGA com um "Exército de choque" tipo séc. XXI, com uma mobilidade crescente e especializada em romper profundamente as defesas do inimigo.

A introdução do sistema táctico e operacional de mísseis Iskander-M

O novo sistema operacional e táctico de mísseis Iskander-M é uma arma formidável em comparação com qualquer padrão. Embora, tecnicamente, seja um míssil táctico de curto alcance (abaixo de 1.000 km, o R-500 tem uma área de alcance oficial de 500 km), também pode disparar o míssil R-500  que tem a capacidade de atacar numa faixa intermédia/operacional (acima de 1.000 km, o R-500 tem um alcance de 2.000 km). É extremamente preciso, tem capacidades avançadas de anti-ABM voa a velocidades supersónicas e é praticamente indetectável a partir do chão (ver mais detalhes aqui). Será o míssil encarregado de destruir todas as unidades e equipamentos que os EUA e a NATO enviaram e instalaram na Europa Oriental e, se for necessário, de abrir o caminho para o 1TGA.

A colocação do míssil balístico intercontimental Sarmat ICBM (intercontinental ballistic missile)

Nem o 1TGA nem o míssil Iskander-M irão ameaçar, de maneira nenhuma, o território dos EUA. Assim sendo, a Rússia precisava de um tipo de arma que  realmente causasse medo ao Pentágono e à Casa Branca, à semelhança do que fizeram os famosos RS-36 Voevoda durante a Guerra Fria (também são conhecidos como SS-18 "Satan" na classificação dos EUA). O SS-18, o míssil balístico intercontinental (ICBM = intercontinental ballistic missile) mais potente jamais desenvolvido, era suficientemente aterrador. O RS-28 "Sarmat"   (SS-X-30, de acordo com a classificação da NATO) provoca o terror a um nível totalmente desconhecido.

O Sarmat é absolutamente incrível. Será capaz de transportar ogivas 10-15 MIRVed que serão distribuídas numa designada trajetória "deprimida" (suborbital) e que permanecerão manobráveis a velocidades supersónicas. O míssil não terá de usar a trajetória típica sobre o Pólo Norte, mas será capaz de atingir qualquer alvo, em qualquer lugar do planeta, a partir de qualquer trajetória. Todos esses elementos combinados farão com que o próprio  Sarmat    e as suas ogivas sejam completamente impossíveis de interceptar.

O Sarmat também será capaz de transportar ogivas  convencionais supersónicas Iu-7 capazes de um "ataque cinético" , que poderia ser usado para atacar um alvo inimigo fortificado num conflito não-nuclear. Isso será possível devido à incrível precisão das ogivas do Sarmat que, graças a uma fuga de informação recente  da Rússia, sabemos que tem um CEP de 10 metros (ver captura do monitor/tela do computador) 

Sarmat MIRV CEPOs silos do míssil balístico intercontinental Sarmat serão protegidos por "medidas de protecção activa" exclusivas, que incluirão 100 armas capazes de disparar uma "nuvem metálica" de quarenta mil  "balas" de 30mm a uma altitude de cerca de 6 km. Os russos também estão a planear proteger o Sarmat com os seus novos sistemas de defesa aérea S-500. Finalmente, o tempo de preparação do Sarmat para começar será inferior a 60 segundos, graças a um sistema de lançamento altamente automatizado. O que tudo isto significa é que o míssil Sarmat estará invulnerável no seu silo, durante o voo e na reentrada nas camadas mais baixas da atmosfera.

É interessante verificar que, enquanto os EUA faziam muito ruído em torno do seu sistema planeado de Prompt Global Strike, os russos já tinham começado a introduzir a sua versão deste conceito.

A implantação do torpedo estratégico Status-6 

Recordam-se da “fuga de informação” cuidadosamente encenada,  em Novembro do ano passado, quando os russos 'inadvertidamente' mostraram um torpedo estratégico e secreto, extremamente poderoso, no horário nobre de um noticiário? Eis o famoso diapositivo:

Status6-2015

Mostra um "veículo submarino autónomo", que tem uma capacidade avançada de navegação, mas que também pode ser controlado remotamente e conduzido a partir de um módulo de comando especializado. Este veículo pode mergulhar a 1000m de profundidade, a uma velocidade aproximada de 185 km/h e tem um alcance de 10.000km (dez mil quilómetros). É distribuído por submarinos concebidos especialmente para esse fim.

O sistema Status-6 pode ser usado para alvejar grupos de porta-aviões, bases da marinha dos EUA (especialmente bases de SSBN = Submarinos Balísticos Nucleares) e, na sua versão mais terrível, pode ser usado para distribuir bombas de cobalto de alta radioactividade, capazes de devastar grandes extensões de territórios. O sistema Status-6 seria uma nova versão do torpedo T-15  que teria 24m de comprimento, 1,5m de largura, pesa 40 toneladas e é capaz de transportar uma ogiva de 100 megatoneladas (100 milhões de toneladas) o que o tornaria duas vezes mais potente do que o mais poderoso dispositivo nuclear já detonado, a Bomba Czar Soviética *(57 megatoneladas). A bomba lançada em Hiroshima tinha apenas 15 quilotoneladas.

    Quilotonelada = (FÍSICA) unidade de medida de quantidade de energia libertada numa explosão nuclear, de símbolo kt, que equivale à energia que seria libertada pela explosão de mil toneladas de trinitrotolueno; kilotonelada
Megatonelada (FÍSICA) unidade de medida da potência de um explosivo nuclear igual à energia libertada pela explosão de uma carga de 1 milhão de toneladas de trinitrotolueno

Tenha em mente que a maioria dos centros industriais e das cidades dos EUA está ao longo da costa o que as torna extremamente vulneráveis a ataques baseados em torpedos (quer seja a “Bomba Tsunami" de Sakharov ou o sistema Status-6). E, tal como no caso do Iskander-M ou o Sarmat ICBM, a profundidade e a velocidade do torpedo Status-6 torná-lo-ia basicamente invulnerável à incercepção.

Avaliação:

Realmente não há nada de novo em tudo o que foi mencionado acima e os comandantes militares americanos  tiveram sempre conhecimento destes assuntos. Essencialmente, todos os sistemas de mísseis anti-balísticos norte-americanos foram sempre,  um golpe financeiro, desde a “Guerra das Estrelas” de Reagan, até ao "ABM anti-iraniano" de Obama. Por um lado, qualquer sistema ABM é susceptível de "saturação local ': se você tiver um número X de  ABM = Mìsseis Anti Balísticos para proteger um espaço longo Y, contra um número X de mísseis, tudo o que precisa fazer é saturar apenas um sector do espaço Y com * muitos *  mísseis, verdadeiros e falsificados, disparando-os todos em simultâneo, através de um pequeno sector do espaço Y que o sistema de mísseis ABM está a proteger. E há muitas outras medidas que os russos poderiam tomar. Poderiam colocar apenas um único submarino SLBM, no Lago Baikal tornando-o, basicamente, invulnerável. Já existe na Rússia alguma discussão sobre essa ideia. Outra boa opção seria a de reactivar o ICBM BzhRK Soviético de mobilidade sobre carris. Desejo-vos sorte, para poderem encontrá-lo na vasta rede de caminhos de ferro russa. Na verdade, os russos têm imensas medidas baratas e eficazes. Querem que enumere mais uma?

Claro!

Considerem os mísseis de cruzeiro Kalibr observados recentemente na guerra da Síria. Sabiam que podem ser disparados a partir de um contentor comercial típico, como os que se encontram nos camiões, nos comboios e nos barcos? Veja este vídeo excelente que explica como funcionam:


Basta recordar que o Kalibr tem um alcance de qualquer alvo situado entre 50 km a 4.000 quilómetros de distância e pode transportar uma ogiva nuclear. Que grau de dificuldade teria a Rússia para introduzir esses mísseis de cruzeiro precisamente ao largo da costa dos Estados Unidos em navios de transporte de contentores? Ou manter alguns contentores em Cuba ou na Venezuela? É um sistema tão indetectável que, se os russos quisessem, poderiam dispô-lo ao largo da costa da Austrália para atingir a estação da NSA, em Alice Springs e ninguém se aperceberia da chegada dos mesmos.

A verdade é que a noção de que os EUA poderiam desencadear uma guerra contra a Rússia (ou contra a China, neste caso) e não sofrer  retaliação no continente norte-americano é absolutamente ridícula. E ainda assim, quando escuto toda a conversa de loucos dos políticos e dos generais ocidentais, fico com a sensação de que eles estão a esquecer esse facto irrefutável. Francamente, até mesmo as ameaças actuais contra a Rússia têm uma sensação de "meia verdade’ para eles: um batalhão aqui, outro ali, alguns mísseis aqui ou um pouco mais além. É como se os governantes do Império não percebessem que é uma péssima ideia picar constantemente um urso, quando tudo que têm como arma de defesa é apenas um canivete. Às vezes, a reacção dos políticos ocidentais faz-me lembrar os bandidos que tentam assaltar um posto de gasolina com uma arma descarregada ou de plástico e que ficam completamente surpreendidos quando são mortos a tiro pelo proprietário ou pela polícia. Este tipo de destruição não é nada mais do que uma forma de "suicídar-se usando a policia" e nunca termina bem para o que tenta fugir.

Por conseguinte, às vezes as coisas têm que ser ditas directamente e sem rodeios: é melhor que os  políticos ocidentais não acreditem na sua arrogância imperial. Até agora, tudo o que as suas ameaças conseguiram foi fazer com que os russos respondessem com um muitos protestos verbais fúteis e com um programa em larga escala para preparar a Rússia para a Terceira Guerra Mundial.

Como escrevi muitas vezes, os russos têm muito medo da guerra e farão tudo para evitá-la. Mas também estão preparados para ela. É uma característica cultural exclusivamente russa e que o Ocidente interpretou erradamente, inúmeras vezes, ao longo dos últimos 1000 anos ou mais. Os europeus atacaram a Rússia muitas vezes, para se embrenharem numa luta que nunca teriam imaginado, mesmo nos seus piores pesadelos. Por esse motivo é que os russos gostam de dizer que "a Rússia nunca começa guerras, só as termina".

Há um profundo abismo cultural entre a forma como o Ocidente e os russos vêem a guerra. No Ocidente, a guerra é, de facto, "a continuação da política por outros meios". Para os russos, é uma luta implacável pela sobrevivência. Basta olhar para os generais no Ocidente: eles são gerentes/executivos elegantes e bem educados, muito mais semelhantes a executivos de empresas do que, digamos, chefes da máfia. Observem os generais russos (por exemplo, vejam o desfile do Dia da Vitória, em Moscovo). Em comparação com os seus colegas ocidentais, têm um aspecto  quase brutal, porque em primeiro lugar e acima de tudo, eles são assassinos cruéis e calculistas. Não quero dizer de uma forma negativa - muitas vezes, individualmente são homens muito dignos e afáveis e como todos os bons comandantes, cuidam dos seus homens e amam o seu país. Mas o cargo que ocupam não é, de modo algum, a continuação da política por outros meios, a actividade em que estão inseridos é a sobrevivência. A todo o custo. 

Não podem julgar um militar ou, consequentemente, uma nação, pela forma como se comporta quando triunfa, quando está na ofensiva a perseguir um inimigo derrotado. Todos os exércitos parecem bons quando estão a ganhar. Vocês podem realmente avaliar a natureza de um militar, ou de uma nação, na sua hora mais negra, quando as coisas estão terríveis e a situação é pior do que catastrófica. Foi o que aconteceu em 1995, quando o regime de Yeltsin ordenou aos militares russos, totalmente despreparados, desmoralizados, mal treinados, mal alimentados, mal equipados e completamente desorganizados (bem, algumas unidades foram organizadas à pressa) para tomar Grozny aos chechenos. Foi o inferno na Terra. Eis algumas imagens do general Lev Rokhlin num posto de comando organizado rapidamente, numa cave, dentro de Grozny. Ele está tão exausto, sujo e exposto como qualquer um dos seus soldados. Olhem para o seu rosto e para os rostos dos homens que o rodeiam. É assim que o exército russo se parece quando está nas profundezas do inferno, traído pelos traidores que se sentavam no Kremlin e abandonado pela maioria do povo russo (que, lamento recordá-lo aqui, só sonhava com o McDonalds e com Michael Jackson, em 1995).



Podem imaginar, digamos, o General Wesley Clark ou David Petraeus a lutar como fizeram estes homens?

Vejam este vídeo de General Shamanov a ler o acto de motim para um político checheno local (não há necessidade de traduzir):


Hoje em dia, Shamanov é o Comandante Chefe das Forças Aerotransportadas (ver foto) cujo tamanho Putin duplicou tranquilamente para 72.000 efectivos, algo que mencionei no passado como sendo altamente relevante, especialmente em comparação com os aumentos tépidos de nível de força anunciados pela NATO (consulte "O suicídio da União Europeia pela negação da realidade"). Para ter uma noção de como são as forças russas aerotransportadas modernas, consulte este artigo aqui.

Vladimir_Shamanov._Cabinet_photo

A minha intenção não é glorificar a guerra nuclear ou as Forças Armadas russas. O motivo deste e de muitos outros artigos, é tentar dar o alarme sobre o que vejo estar a acontecer hoje em dia. Os líderes ocidentais estão embriagados com a sua arrogância imperial. Nações que outrora eram consideradas como sendo manchas menores no mapa, sentem-se agora encorajadas a provocar constantemente uma super potência nuclear. Os americanos estão a ser enganados e é-lhes prometido  que algo mágico de alta tecnologia irá protegê-los da guerra, enquanto os russos estão a preparar-se seriamente para a Terceira Guerra Mundial porque chegaram à conclusão de que a única maneira de evitar a guerra é tornar absoluta e inequivocamente claro, aos  Anglo Sionistas que nunca poderãosobreviver a uma guerra com a Rússia, mesmo que cada russo seja morto.

Lembro-me muito bem da Guerra Fria. Fiz parte dela. Recordo que a grande maioria, nos dois lados, percebeu que uma guerra entre a Rússia e o Ocidente deve ser evitada a todo custo. Agora fico horrorizado quando leio artigos de Altos Dignatários a discutir seriamente tal possibilidade.

Por favor, basta apenas ler este artigo: O que seria uma guerra entre a União Europeia e a Rússia? Aqui está o que este indivíduo escreve:

Para os que estão inclinados para a poesia, os militares russos parecem ser mais uma tripulação gigantesca de piratas, do que um exército regular. Os que governam são os que têm a faca mais afiada e a boca maior, tipicamente como alguns piratas infestados com escorbuto, que contam com o apoio dos companheiros para fazer qualquer "oficial" impopular caminhar na prancha ... Ou, mais apropriado ainda, assemelham-se aos membros de uma horda cossaca, governados por guerreiros fragmentados ... Embora possam ser soldados muito corajosos, por vezes, não são eficientes na batalha contra uma máquina militar moderna, bem regulada e treinada. Dada esta situação, é improvável, ou mesmo impossível, que as tropas russas conduzam operações de grande envergadura a um nível superior ao de um pelotão contra exércitos disciplinados, especialmente contra o exército americano, britânico, alemão ou francês.

The dream of the West
“Para o nosso Jardim Zológico” (o velho sonho ocidental)

Realmente este tipo de artigo assusta-me. Não por causa da estupidez imbecil e racista do conteúdo do mesmo, mas porque em grande parte continua incontestado na comunicação mediática de destaque. Não só este, há uma grande abundância de tais artigos noutros lugares (ver aqui, aqui ou aqui). É claro que os autores desse tipo de "análise" ganham dinheiro precisamente como chefes de claques dos apoiantes das forças ocidentais, mas foi  exactamente essa mentalidade que colocou Napoleão e Hitler em apuros e terminou com as forças russas estacionadas em Paris e em Berlim. Comparem esse tipo de idiotices chauvinistas e francamente irresponsáveis com o que Montgomery, um verdadeiro comandante militar, disse sobre este assunto:

A próxima guerra em terra vai ser muito diferente da última, pois teremos de combatê-la de maneira diferente. Para chegar a uma decisão sobre essa matéria, primeiro é preciso ser claro sobre certas regras de guerra. A Regra 1, na página I do livro da guerra, é: "Não marchar sobre Moscovo". Várias pessoas tentaram-no, Napoleão e Hitler, e isso não é bom. Esta é a primeira regra.

Então, em quem confiam? Nos líderes professionais das claques ou nos soldados profissionais? Realmente acreditam que Obama (ou Hillary), Merkel e Hollande vão ser mais capazes  do que Napoleão ou Hitler?

Se "*Estado profundo"  Anglo Sionista é, de facto, suficientemente delirante para desencadear uma guerra contra a Rússia, na Europa ou noutro lugar, o Ocidente, narcisista e hedonista, embriagado com a sua arrogância e propaganda, vai descobrir um nível de violência e  de guerra, que nunca pôde imaginar e se isso afectasse apenas os responsáveis por essas políticas imprudentes e suicídas, seria óptimo. Mas, claro que o problema é que muitos milhões de pessoas normais e simples como nós, irão sofrer e morrer em consequência do nosso falhanço colectivo de evitar esse resultado. Espero e rezo para que minhas repetidas advertências contribuam, pelo menos, para o que espero ser uma percepção crescente de que essa loucura tem de ser interrompida de imediato e que a sanidade regresse à política.


Saker drawing from community
The Saker

Nota da Trad.: - *O Estado profundo, o Estado dentro de um Estado, o governo sombra ou o governo permanente é uma rede de indivíduos e grupos que, de facto, estão encarregados do governo nacional. Muitos governos "eleitos democraticamente" funcionam como “testas de ferro”, proporcionando um nível de negação plausível e permitindo que o Estado profundo governe em segredo. Em assuntos de importância política vital, a máquina pública do governo é destruída rotineiramente pelos agentes do estado profundo



Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos
Email: luisavasconcellos2012@gmail.com

No comments:

Post a Comment

URGENT IMPORTANT -- FINANCIAL ASSISTANCE NEEDED FOR A YOUNG BOY 14 Y OLD WITH BRAIN CANCER

Dear Friends,

I have never asked any money/donations for myself in my blogs (400) but this is an exceptional emergency. Please help the best you can to assist Isabelle, our French Coordinator, to alleviate as much as possible her step son's health condition.



You can donate through Kees De Graaff

Type your recurring amount here:


PayPal


The email address connected with Kees Paypal account is keesdegraaff@gmail.com

Many thanks from the heart to all of you.



Manlio Dinucci


SUBTITLES -- EN, FR, IT, PT, TR

SI VOUS VOULEZ TRADUIRE LES RAPPORTS DE MANLIO DINUCCI D'ANGLAIS, FRANÇAIS OU ITALIEN DANS VOTRE LANGUE MATERNELLE, SVP VEUILLEZ DEMANDER À

IF YOU WANT TO TRANSLATE MANLIO DINUCCI'S REPORTS FROM ENGLISH, FRENCH OR ITALIAN,INTO YOUR NATIVE LANGUAGE KINDLY CONTACT

luisavasconcellos2012@gmail.com

PUTIN FRENCH



2017 FSB Meeting - RO from Roberto Petitpas on Vimeo.

BOTH VIDEOS AVAILABLE IN ENGLISH,FRENCH, ROMANIAN, PORTUGUESE

PRESIDENT





Labels

21st Century Wire A BRAMERTON A. Orlov Abayomi Azikiwe ABIZAID ABOGADOS ABOGADOS PROGRESISTAS DE ESPAÑA Acción secreta activism Adam GArrie Ajamu Baraka AL-ASSAD AL-HUSAINI Aleksandar PAVIC alex gorka Alex Lantier Alexander Azadgan ALEXANDER COCKBURN ALEXANDER DUGIN ALEXANDER KUZNETSOV Alexandra Bruce Alexandre Artamonov Alexandre Cazes ALEXIS Alfred McCoy Ambrose Evans-Pritchard an Greenhalgh Ana de Sousa Dias ANA SOUSA DIAS ANASTASOV Anatol Lieven Andre Vltchek ANDREI AKULOV Andrew Griffin Andrew Korybko Andrew P. Napolitano Andrey Afanasyev animals Ann Diener Ann Wright Anna Hunt ANNA KURBATOVA Anna Von Reitz Anne Speckhard Ph. D. Anne Speckhard PH. D ANONYMOUS PATRIOTS Anti-Media News Desk Antony C. Black ap APEC aRABIC ARAM MIRZAEI Ariel Noyola Rodríguez ARJUN WALIA Asaf Durakovic Asma Assad ASMOLOV ASSANGE AUTOPSY Avelino Rodrigues AVNERY BAKER balfour bankers BAOFU barcelona Barrett Brown Bashar al-Assad Basi americane Baxter Dmitry BECKER Before it's News BEGLEY BERGER BILL SARDI Binoy Kampmark BOGDANOV Brazilian BRENNAN BRIAN CLOUGHLEY Bruce Cagnon Bruce Gagnon BULGARIAN Bush family BUTLER By Jack Heart & Orage By Prof Michel Chossudovsky CABRAS cancer Captagon Carey Wedler Carla Stea CAROL ADL CARTALUCCI CATALUNHA Catherine Austin Fitts CATHY O'BRIEN cats Chelsea Manning Choice and Truth Chossudovsky Chris Cole CHRIS HEDGES Christopher Black CIA Claire Bernish clinton Collective Evolution Comunidad Saker Latinoamérica COOK COREIA DO NORTE Corey Feldman cost of war counterpunch Covert Action Craig McKee CROATIAN CUNNINGHAM CURENT CONCERNS CURRENT CONCERNS Daniel Lazare Daniel McCARTHY Daniele Ganser DANSK Darius Shahtahmasebi DARK JOURNALIST DARK JOURNALISTt DAVE WEBB DAVID HOROVITZ David Lemire David STERN David Swanson DAVIDSWANSON DEAN Dean Henderson Deena Stryker Defense Pact Denali Deutsch DINNUCI DIPLOMACY Dmisa Malaroat DMITRIY SEDOV Dmitry Minin Domenico Losurdo Donald Trump doni DONINEWS Dr. Kevin Barrett DUFF DUGIN e-commerce Ed Dames EDITOR'S CHOICE EDWARD SNOWDEN El Periodico Eliason ELISABETE LUIS FIALHO Eliseo Bertolasi EMMONS endgahl ENGDAHL English Eric S. Margolis Eric Zuesse ESCOBAR EUROPE Eva Bartlett Evan at Fight for the Future Evgeny Baranov F. William Engdahl FALTA DE IMPARCIALIDADE FANG Farage farewell address Fattima Mahdi FBI FEDERICO PIERACCINI Felicity Arbuthnot FERRIS Field McConnell finance Finian Cunningham Follhas FORBIDDEN KNOWLEDGE TV forbidden nowledge Foster Gamble four horsemen Fr. Andrew Phillips FRANCESCA CHAMBERS Francesco Colafemmina Freeman FRENCH FRISK FULFORD Fuller G20 G20 SUMMIT GALLAGHER Gareth Porter GARY NORTH General Flynn George Gallanis GERMAN GERMANOS Gilad Atzmon Gilbert Doctorow Glen Greenwald Glenn Greenwald GLOBAL RESEARCH global warming GMO GMOS GORDON GORDON DUFF Graham E. Fuller Graham Vanbergen GRAZIA TANTA GREENHALGH GREENWALD Greg Hunter Gregory Copley GRETE MAUTNER GUEST CONTRIBUTORS GUNNAR GUTERRES HAARP HAGOPIAN Hakan Karakurt health Herbert McMaster HERMAN HERNÂNI CARVALHO hill HILLARY CLINTON hollywood http://www.independent.co.uk/ http://www.northcrane.com/ http://www.salem-news.com/ http://yournewswire.com/ HUDON HUDSON Ian Greenhalgh Ian Shilling ideeCondividi INAUGURATION INCÊNDIOS INDEPENDÊNCIA Inform Clear House Internet IODINE Isaac Davis Israel ITULAIN Ivan Blot Jacques Sapir JALIFE-RAHME JAMES James A. Lucas James Comey JAMES CORBETT JAMES GEORGE JATRAS James ONeil JAMES PETRAS Jane Grey Jay Greenberg Jean Perier Jean Périer Jean-Claude Paye JEFF SESSIONS JEFFREY SMITH JEFFREY ST. CLAIR JEFFREY ST. CLAIR - ALEXANDER COCKBURN JEZEBEL JFK JILL STEIN Jim W. Dean Jimmy Carter Joachim Hagopian john McCain JOHN PILGER John Podesta John W. Whitehead JONAS E. ALEXIS Jonathan Marshall JONES Joseph Thomas JULIAN ASSANGE JULIAN ROSE Justin Raimondo KADI Kadir A. Mohmand Kadyrov kalee brown Karen Kwiatkowski Karine Bechet-Golovko KATEHON KATHEON Katherine Frisk Ken O’Keefe Kenneth P. VOGEL kerry KERRY BOLTON Kerry Cassidy Kerry Picket Kevin Barret. VT Kim Petersen KIMBERLEY KINZER KIRYANOV KOENIG Konstantin Asmolov KORYBKO KORZUN Krum Velkov Larry Chin Laurent Gerra lavr LAVROV Le Monde LE PARISIEN Le Saker Francophone LENDMAN Lionel Shriver LOFGREN LVOV MACMILLAN macron Maidan Makia Freeman MANLIO Manlio Dinucci Manlio Dinucci - Manuel Ochsenreiter Marco Cassiano MARCUS WEISGERBER MARGARET KIMBERLEY Margarita Simonyan MARIA ZAKHAROVA Mark Citadel Mark Taliano Markus Frohnmaier Martin Berger Martin Hurkes MARUSEK MARY BETH SULLIVAN Matt Agorist Matt Peppe MATTEO rRENZI MATTHEW COLE MATTHEW JAMISON MCLAUGHLIN MÉLENCHON MELKULANGARA BHADRAKUMAR MERCOURIS MEU COMENTÁRIO MEYSSAN MICHAEL AVERKO Michael Brenner Michael Hudson MICHAEL JABARA CARLEY Michael S. Rozeff Michael T. Klare Michel Raimbaud Middle East MIG video mike harris Mike Whitney militarized budget MINA Mint Press News MintPressNews MIRANDA Misión Verdad MKULTRA Mohamed Mokhtar Qandiel MOHMAND Montenegro MOON OF ALABAMA moonofalabama MOST DAMAGING WIKILEAKS NÃO À GUERRA NÃO À NATO national archives NATO NEO NEWS DESK Nicholas Nicholaides Nick Turse NIKANDROV nikki haley Nile Bowie NISSANI NO WAR NO NATO NORMAN SOLOMON NORTH KOREA NOVOROSSIA novorussia nuclear NYTIMES obama obamas Oliver Stone Olivier Renault ONU ORLOV OSCAR FORTIN PALESTINE Palestinians PANDORA TV PARRY Patrick Iber Patrick J. Buchanan Patrick Martin PAUL CRAIG ROBERTS Paul Fitzgerald Paul R. PILLAR Paul Street PAYE PCR Pedro Bustamante pedrógão grande PEPE ESCOBAR Peter Dale Scot Peter Dale Scott Peter Koenig PETER KORZUN PETRAS Ph.D Phil Butler PICCARD Pierre Farge PILGER PISKORSKI PODESTA POLISH Pope Francis PORTUGUESE PRAVDA prc PRESTON JAMES Prof Michel Chossudovsky Prof Rodrigue Tremblay Project Veritas Público PUTIN PUTIN/TRUMP Putin/Trump meeting PYOTR ISKENDEROV Queen Elizabeth Rajan Menon Raphaël Meyssan rebecca gordon Redmayne-Titley RELAX remote viewing Rep. Ron Paul réseau Réseau International Réseau Voltaire Réseau Voltaire: Revue Défense Nationale Ricardo Vaz RICHARD DOLAN Richard Galustian Richard Labévière Richard Spencer Rick Sterling Rob Urie Robert Bridge Robert F. Kennedy Jr Robert J. Burrowes Robert J. O’Dowd Robert Maginnis Robert Mueller Robert O’Dowd ROBERT PARRY robert steele ROBERTS rof. Mohssen Massarrat ROLAND Roland San Juan blog ROMANIA PROTESTS ROMANIAN Ron Aledo RON PAUL Ron Paul Institute rothschild RT Rudolph Giuliani RUDY GIULIANI Russia feed RUSSIA TODAY russiafeed russiagate RUSSIAN Russian Insider Russie politics Russka RUSSOPHILE Ryan Dawson Ryan Gallagher Salman Rafi Sheikh sana sanders SANTOS SILVA Sarah Abed SCAHILL SCOTT Scott Humor Sean Adl-Tabatabai SERGEY LAVROV sessions Seth Ferris SETH RICH SHAKDAM Shawn Hamilton SHEIKH sic sic notícias SIMON PARKES Smith & Wesson SNOWDEN SNYDER Sophie & Co Soros SOUTH FRONT South Korea SOUTHFRONT Space Daily SPANISH speech GERMAN MP Speer-Williams Sputinik sPUTNICK SPUTNIK STACHNIO Stanislav Petrov State of the Nation STEPHEN KARGANOVIC Stephen Kinzer Stephen Lendman Steve Pieczenik STEVE PIECZENIK: Steve Robertson Steven MacMillan STONE STORM CLOUDS GATHERING StormCloudsGathering.com Strategic Culture STRATTON STRYKER Sunagawa Syria T.J. COLES TAKEHON TALIANO TASS TED RALL TEREHOV the The Anti-Media the coming storm The deeper state The Duran THE INTERCEPT THE SAKER the true activist THERAPEOFJUSTICE Thierry Meyssan Third Presidential Debate Tillerson tom dispatch TOM ELEY Tom Engelhardt Tom Feeley TOM JOAD TomDispatch TOMGRAM Tony Cartalucci trees True Activist TrueActivist.com trump TSUKANOVA TTIP TURKEY TYLER DURDEN Udo Ulfkotte Ukrainian Deserter USA USA ELECTION USA ELECTIONS USA USE OF CHEMICAL WEAPONS VALDAI Valentin Vasilescu Van AUKEN Vanessa Beeley VASILESCU Vault 7 Veteran Intelligence Professionals for Sanity VETERANS TODAY VETERNAS TODAY Victory Day video VIDEO. videos VIETNAM VETERANS Viktor Mikhin VITALY CHURKIN Vladimir Chizhov Vladimir Safronkov Vladimir Terehov VLTCHEK VT Waking Times WANTA war Washingtons blog WAYNE MADSEN WENDY WOLFSON – KEN LEVY WESTBERG Westmoreland WHITEHEAD Whitney Webb WIKILEAKS Wikispooks William Blum WOODS world beyond war world cup 2018 XI JIMPING Xi Jinping Yameen Khan Yanis Varoufakis YEMEN Youssef A. Khaddour ZAKHAROVA ZÉ GERALDO ZEROHEDGE ZUESSE